Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Mesmo com mar bravo, maré cheia e chuva, fui ao marisco.

Pois é pessoal mesmo com o mar bravo, maré cheia e chuva fui ao marisco.
Depois de uma pescaria ao spinning em que safei o jantar, fui lá ao cair da noite insistir mas trouxe a grade, o normal!!!
No domingo com a previsão de tempo e mar a piorar, optei por ir fazer a manhã à bóia na Calada com o meu pai, apesar de o mar ainda estar bom levantou-se uma ventania daquelas, que tornou a pesca quase impossível.
A pescaria não tem grande história, a maré a descer e o peixe de qualidade aredio da costa, e por falta de condições bem cedo demos a pescaria por terminada , nas 3 horas de pesca o fraco resultado, 4 salemas, uma tainha e um sargo.

Sem condições de mar e tempo para pescar, mas principalmente devido á falta de peixe de qualidade na costa, aproveitei a noite chuvosa de segunda e depois de jantar decidi dedicar-me ao caracol.

Ao fim de 3 horas a correr atrás deles que nem um desalmado já a lata estava a metade e parei de mariscar.
  Não sei se o caracol é carne, se é peixe, ou se é marisco, de uma coisa eu sei, vai dar uns belos petiscos.
Por agora estão de quarentena para limparem a tripa, mas em breve uns vão acabar assados na chapa e outros mexidos com ovos, depois mostro umas fotos do pitéu.
Abraços e as pescas possíveis.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

AJUDAR NÃO DÓI NADA!!!!

No dia 3 de Março vai realizar-se em Peniche um concurso/convívio de pesca de beneficência para ajudar o Gonçalo.
O Gonçalo é familiar de um nosso colega pescador de Peniche, é um menino de 2 anos, que nasceu com uma deficiência motora, que necessita de fazer um tratamento  no estrangeiro, que exige uma verba elevada acima das possibilidades dos pais e família.
Surgiu então a ideia de realizar este convívio de pesca para ajudar a angariar fundos, para quem sabe no futuro o Gonçalo venha a fazer parte desta grande comunidade e se torne pescador.
Penso que este será um dia em que o que menos importa são os resultados, pois o mais importante é participar e ajudar, assim sendo vou oferecer um troféu, e além de participar neste convívio faço questão de o divulgar pois AJUDAR NÃO DÓI NADA!!!!

Os contactos para inscrições são:

O  clube  Independente de Peniche - 262 789 890

António Gonçalves(também conhecido por Totas ) - 965 664 067


CONCENTRAÇÃO NA CANTINA DA C.M.PENICHE(na traseira Bombeiros Voluntários)  7:00H

CHAMADA DOS PESCADORES 8:00H

INICIO  DA PESCA  9:00H

FINAL DA PESCA 13:00H

ENTREGA DO PESCADO 14:00H

ALMOÇO CONVÍVIO(jardineira) 15:30H ;  SEGUIDA ENTREGA DE PRÉMIOS ........ E RIFAS (Mexe o sacoooooo!!).

Apareçam e tragam um amigo, vamos ajudar o Gonçalo a ter a possibilidade de ser livre e independente como esta gaivota.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Mais fresco não há!!!

Com as previsões de mar a cair para este fim de semana, e como a vontade de lançar uma amostras era muita decidi no sábado madrugar e ir até Ribeira D´ilhas fazer  uns lançamentos para tentar apanhar algum robalo.
Sai bem cedinho de casa e por volta das 4 e 30 da manhã já estava no pesqueiro,  fui varrendo a praia varias vezes e trocando de amostra, mas nem sinal de peixe.
Entretanto amanheceu, o mar estava bom, com uma boa cor e continuava a cair.
Fui caminhando depois para norte e experimentando aqui e ali, mas nada, a maré já vazava, chego ao lajão dos Coxos, o mar estava espumado de norte e quebrava no fim da lage, mesmo a convidar, decido fazer uns lances ali, e logo ao segundo lançamento sinto umas cabeçadas, cana vergada, e sem grande trabalho encalho o peixe.


Não era muito grande, era um peixe com 1,250kg, para desenjoar das Salemas já chegava, depois de tiradas as fotos da praxe, volto ao ataque, insisto durante mais meia hora, este andava perdido.
De volta para sul fui aproveitando para mais alguns disparos, mas sem sucesso, estive um bocado à conversa com o amigo Hélder que estava nos Guiões a pescar à bóia, também se queixava da  falta de peixe, apenas uma tainha e algumas Salemas entretinha a pescaria.

Já estava na minha hora e decido dar por terminada a jornada, com sentido de dever cumprido, já tinha o jantar ganho, este robalo estava destinado a ir fresquinho para o forno, sem passar pelo congelador.
Deixo aqui umas fotos da janta, Robalo ao Sal confeccionado pela patroa.

Estava uma maravilha, mais fresco não há, que venham mais destes, maiores não porque depois não cabem no tabuleiro, hi hi hi....

  

   

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Saber engodar não é para todos!!!!

video
A engodagem de pesqueiros a partir da costa é utilizada por muitos pescadores, mas não dominada por todos, não é o caso do protagonista deste video, chamem-lhe parvo!!!
Porque engodar não é só mandar sardinha migada ou qualquer outro tipo de engodo, é necessário saber trabalhar bem o engodo, é necessário escolher os sítios e horas certas para o fazer, para conseguir atrair e apanhar(ou tentar) os nossos peixes.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O pescador e peixe apareceram mascarados!!!!!

Diz o ditado que a vida são dois dias e o Carnaval são três,  mas para os Torrienses são 6 dias de pura diversão, começa na sexta e acaba apenas na quarta feira depois do feriado, que gentilmente o governo fez questão de retirar.
Claro está que fim de semana sem pesca não é fim de semana, e após mais uma noitada de folia no sábado e sem ir à cama lá fui continuar a divertir-me mas com a cana na mão, grande maluco!!!!!
A pescaria essa não tem grande história para contar,  mas vou relata-la na mesma, com previsão de mar aceitável aproveitei para ir fazer o romper da manhã e lançar umas amostras ao spinning na Foz do Lizandro, após hora e meia nem um único toque, mudei de táctica e decidi pescar à bóia pois as condições agradavam-me para tentar uns sargos, monto uma cana com fio 0´165mm e uma bóia de 4grs, faço um bom balde de engodo com sardinha, e isco com sardinha, pesca a trabalhar na água e mais do mesmo, peixe nem sinal, a não ser meia dúzia de sargetas que iam sendo devolvidas ao mar, com a maré a começar a encher o peixe deu sinal e entro no pesqueiro em força, eram sargos XL de riscas amarelas aos montes, hi hi hi...
Era só por e tirar, lá pelo meio saiu uma solitária tainha, foram 2 horas sempre com a cana vergada, conforme ia tirando ia devolvendo ao mar, outras partiam levando o anzol, já farto de perder material e satisfeito com a boa luta que as salemas davam decidi dar por terminada a pesca, não valia a pena   insistir pois os sargos que iam saindo também andavam a brincar ao Carnaval, pois vinham mascarados de Salemas.


 Aqui fica a foto do grupo de mascados para a posteridade.
Mas a folia não ficou por aqui, e o Carnaval continuou pois ainda havia mais 3 dias(e noites) de festa pela frente.









Para quem não conhece o Carnaval de Torres Vedras, deixo uma pequena descrição, é apelidado de o «Carnaval mais português de Portugal», onde milhares de pessoas mascaradas enchem as ruas da cidade durante o dia, e especialmente à noite, para se divertirem, fazendo a festa com quem por lá anda, ainda me cruzei por lá com alguns camaradas de pesca que de copo na mão iam fazendo a festa.
Não tendo nada relacionado com a pesca, deixo aqui um convite a todos, venham um dia ao Carnaval de Torres Vedras pois vale mesmo a pena, é 5 estrelas.      
       

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Ganha concurso com robalo ROUBADO!!!!

Um inglês ganhou um concurso de pesca em Guernsey, Inglaterra, com um peixe que se encontrava em exposição num aquário local. O caso já foi a tribunal e, depois de ter admitido o crime, réu foi condenado a 100 horas de serviço comunitário.
Matt Clark, um jovem da ilha de Guernsey, no arquipélago inglês das Ilhas do Canal, ganhou primeiro lugar de um concurso de pesca desportiva, ao apresentar um "Robalo" de 6,27 kilos que se encontrava em exposição num dos tanques do "Saint Peter Port", um aquário local.

 O primeiro lugar do concurso de pesca do clube "Bailiwick Bass Fishing Club" rendeu a Matt Clark um prémio de 970 euros. Mas a má sorte bateu à porta do jovem, quando o peixe usado foi reconhecido por Shane Bentley, outro dos concorrentes dessa competição, que identificou o animal por umas marcas características que este tinha na cabeça.
O caso foi levado a tribunal, e o conjunto de juízes da comarca de Guersney considerou o jovem Matt Clark culpado dos crimes de fraude e de furto, condenando-o a 100 horas de serviço comunitário.
Durante o julgamento, Matt Clark contou em tribunal que na véspera do concurso de pesca escalou uma falésia e, usando uma escada de corda, entrou nas instalações do aquário da localidade de Saint Peter Port, de onde roubou o animal que usou para apresentar no concurso, e que lhe valeu a vitória.
A intenção do jovem era, no entanto, fazer retornar o peixe ao aquário de onde o tirara. Mas devido ao medo de ser apanhado, no final do concurso, decidiu vender o animal a um pescador local.
Ao exibir um animal de exposição com um peso superior, Matt conseguiu ganhar o concurso a um outro competidor que levou um peixe de 4,5 quilos. No centro desta burla, parecem ter estado algumas dívidas contraídas por Matt junto do proprietário do aquário de Saint Peter Port, num montante que já ascendia aos 1800 euros.
Shane Bentley, o competidor que reconheceu o animal furtado do aquário, disse que durante a sessão de amostragem dos animais pescados em concurso achou muito esquisito as semelhanças entre o peixe exibido por Matt e um outro animal que tinha visto recentemente durante uma visita familiar, no aquário de Saint Peter Port.
Ao retornar ao local, para confirmar a veracidade das suas ilações, Shane deparou-se e reforçou as suspeitas. Nem a guia do aquário nem o próprio proprietário do local conseguiram encontrar o famoso robalo de mais seis quilogramas, que era a grande estrela de um dos tanques do aquário. A solução deste mistério só podia ser uma: tinham sido alvos de um roubo. Facto que se viria mais tarde a confirmar com detenção do jovem Matt Clark, e posterior condenação.

Fonte da noticia: Jornal JN
 http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/MundoInsolito/Interior.aspx?content_id=2988254&page=-1

Podemos retirar algumas lições deste acontecimento, recorrendo a alguns ditados populares:
- Pela boca morre o peixe
- O crime não compensa
- Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo
- Gato( neste caso robalo) escondido com o rabo de fora.

De que vale ter um prémio numa montra em casa, sabendo que não teve mérito nenhum na sua conquista? 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Praia da Arrifana

Na passada semana andei em trabalho pelas bandas dos Algarves, mais propriamente em Aljezur, terras da batata doce e do maravilhoso medronho caseiro que tive muito gosto em provar, oferecido por gente muito hospitaleira que encontrei por estas bandas.
No final do dia era para pernoitar na Pousada da Juventude da praia da Arrifana, mas infelizmente estava fechada, como ainda tinha tempo e não conhecia esta magnifica praia situada em pleno parque natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, resolvi descer e apreciar esta maravilhosa baía num final de tarde algo nublado.
Uma extensa praia com muito boas condições para o surfcasting com bons fundos, do lado sul umas escarpas rochosas e do lado direito um pequeno porto de abrigo para pesca local protegido por uma enseada rochosa onde certamente se pesca bom peixe.






 Ficou aquela sensação de que estava peixe no pesqueiro pois as condições estavam muito boas com uma coroa de areia a encostar ás pedras, só não levei a cana, mas numa próxima visita mesmo que a trabalho vou levar uma cana e apanhar alguma coisa para o jantar.

Um final de tarde simplesmente magnifico, deu para recarregar baterias para o dia seguinte e dormir sonhando com um dia de pesca nestas bandas, vale a pena visitar.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

3ª Prova do campeonato 2013 da Bordinheira

Este domingo realizou-se a 3ª prova do campeonato, mais uma vez o mar e o tempo resolveram dificultar a tarefa aos 50 bravos pescadores que participam nesta brincadeira.
Para esta jornada a expectativa era elevada, não só pela necessidade de pescar, é que já ia para a terceira semana sem ir ao mar, mas também porque as previsões eram animadoras, e a perspectiva de uma boa jornada era muita.
Depois da volta habitual por alguns pesqueiros no dia anterior, ficou decidido que iria novamente para Porto Chão.
No dia da prova chego ao pesqueiro e as condições já eram completamente diferentes do dia anterior, pois o mar além de ser bastante mexido, apresentava-se algo barrento, devido á forte nortada do dia anterior.
Apesar de ter verificado cá de cima da arriba essas condições, e saber que com o estado do mar assim é quase garantia de pesca fraca, decidi arriscar e descer a arriba na companhia do meu pai e do Artur.
 À medida que ia descendo, descia também o animo pois verificava que as condições eram poucas para realizar alguma captura, mas nada como experimentar.
Engodado o pesqueiro como manda a lei, esticadas as canas com as montagens do costume, começava a pesca, bóias na água e peixe nem sinal, nem tainhas, nem Salemas  nem sargos, nada de nada, a não ser umas pequenas sarguetas que foram sendo devolvidas, após quase 2 horas de pesca nenhum de nós tinha peixe na lata, ele há gajos teimosos( eu claro)!!!
Estou farto de saber que com estas condições é um grande erro pescar aqui, mas a teimosia e burrice falaram mais alto, ou então foram os grandes sonhos de uma boa pescaria que fui tendo ao longo da semana que quase me obrigaram a descer.
Enquanto pescava, ia pensando, o que é que estou ainda aqui a fazer, vamos mas é arrumar a tralha e mudar de sitio se quero livrar a grade, e após mais alguns lances foi o que fizemos.
Voltamos a subir a penosa arriba e começar a magicar um sitio onde pelo menos a cor das águas fosse melhor, e onde abrigasse da forte nortada.
Fomos andando para sul, e acabamos por arriscar em Ribeira D´Ilhas, mesmo no meio da praia, a amigo Artur decidiu ficar pela Assenta.
Restavam apenas 2 horas de pesca e a custo lá consegui enganar com muito pouca altura de água um cachaço, uma Salema, um sargote e algumas tainhas.
Não sendo uma grande pescaria, pois o peixe era miúdo, fiquei satisfeito, pois deu para livrar a grade e ainda  alcançar um 7º lugar com 4810 pontos.
Esta prova foi ganha pelo João Carvalho que capturou 32 Salemas com 14,225 kgs, (sem contar com as cabeças de Salemas que apanhou e que não pesaram, hi,hi,hi!!!) totalizando 28450 pontos, para ele os meus merecidos parabéns, está a cumprir o prometido, dito por ele «Fui contratado para te fazer a vida negra e ganhar o campeonato», este ano vai ser ainda mais animada e renhida a luta, mas apenas no final se fazem as contas.
No segundo lugar ficou o César Ribeiro, e em 3º lugar a fechar o pódio ficou o Paulo Marques, esta prova ficou claramente marcada pelas fortes pescarias de Salemas, até o pequeno Tiago, futuro pescador, de tenra idade e que já tem o vicio pela pesca, ficou espantado com as quantidades de Salemas capturadas .




O resto foi o costume, boa comida, boa bebida e a grande camaradagem do costume, daqui a três semanas  repetimos a doze, com mais uma grande batalha para gáudio de todos.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O canhão da Nazaré, grande onda!!!

Pois é!!!| Estas imagens andam a correr mundo.

Esta semana ficou registado mais um grande momento do surfista Garrett McNamara no canhão da Nazaré, onde surfou uma onda gigante de 35 metros, se é assustador para quem está cá fora a ver, imaginem se estivessemos lá dentro do mar, não há palavras só vendo mesmo.
Sendo que o surf não tem nada relacionado com pesca, a não ser que ambos os desportos partilham o mesmo gosto pelo mar e ondas, o que muitas vezes faz com que se cruzem caminhos, sempre que o mar é manso ambos procuramos sitios onde façam ondas, ou caso o mar seja mais bravo ambos pruocuramos cantos de alguma calmia maritima, quero apenas deixar um pensamento em jeito de desabafo.
Como pesco muito na zona da Ericeira, para muitos surfistas a Meca do surf em Portugal, onde especialmente ao fim de semana se concentram muitos surfistas e algumas escolas de surf.
Todos sabemos que o mar não tem donos e que todos podem desfrutar dos seus proveitos para praticarem os seus desportos, tirando o pleno proveito dai.
Penso no entanto que devemos respeirar os espaços de cada um, o que muitas vezes não se verifica nestes 2 desportos talvez por falta de informação ou simplesmente falta de civismo, passo a explicar, como todos sabem pesco á bóia em locais com pouca altura de água(entre 1 e 2metros), onde utilizo engodo como maneira de abordar o peixe em pequenos cantos onde o mar quebra.
O que acontece muitas das vezes é que nesses mesmos cantos é onde os surfistas entram e saem da agua mais facilmente, sendo esses mesmos cantos os locais ediais para as escolas de surf que nos ultimos anos tem nascido na Ericeira como cogumelos, se o o peixe estiver no pesqueiro, cada vez que entrar ou sair algum surfista ali com aqueles fatos coloridos, o peixe pura e simplesmente desaparece mar dentro, e só passados alguns minutos volta a entrar.
Penso que muitos pescadores já presenciaram situações destas, e até mesmo histórias caricatas e engraçadas de surfistas pescados.
Penso que provavelmente muitos destes surfistas não tem noção das consequencia destas situações, mas sempre que virem alguem a pescar podem evitar esta situação para tal basta que entrem noutro local de modo a respeitarmos os espaços de cada um.
Fica a chamada de atenção para os surfistas,vamos continuar todos a disfrutar do mar e dos nossos desportos na sua total plenitude e beleza.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...