Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Um grande companheiro

Hoje fui fazer o amanhecer ao spinning com um o colega Hélder Lucas, um  grande(mas pequeno) amigo que arranjei já vai para alguns anos, em que a nossa amizade começou quando estava ele à pesca num final de tarde em Ribamar da Ericeira, mais propriamente nos Coxos quando eu vinha do trabalho e fui espreitar o mar e pus conversa com ele (o que costumo fazer com qualquer pescador com que me cruze).
Nunca mais me esquece, ele estava a pescar à bóia e a engodar na tentativa de apanhar alguns carapaus ou cavalas, eu chego ao pé dele e faço a abordagem do costume « então mestre à peixe ou não??», ele disse que não, o mar estava manso com as aguas bastante boas, nisto reparo que iscava com camarão e também com sardinha mas em grandes pedaços com pele (o que muitas das vezes o peixe não pega), eu como bom samaritano que sou e vendo nele os erros que eu cometera a já alguns anos ( e penso para mim onde é que eu já vi isto?), e decido dar umas pequenas dicas de como devia iscar com sardinha correctamente, e engodar melhor para apanhar alguns peixes. Nisto ele começou de tirar peixes uns atrás dos outros, carapaus e cavalas, o peixe já estava no pesqueiro faltava só aquele pequeno pormenor para a pesca resultar, e a partir dai ficamos bons amigos e combinamos outras pescarias com historias bastante engraçadas, como a história do camaroeiro, que talvez conte um dia.
Bom mas passando à pescaria de hoje, o mar estava forte sem vento com aguas bastante convidativas, iniciamos a pescaria nos Coxos e fomos pescando até Ribeira D´ilhas, e pelo caminho íamos pondo a conversa em dia, e robalos nada, depois fomos andando no sentido contrário até à praia de São Lourenço onde ainda encontramos o colega João Rodrigues, mas robalos nem sinal, apenas consegui deixar lá 2 amostras.
Resumindo foi uma manhã muito bem passada em que nos fartamos de andar, faz bem para queimarmos  algumas calorias pois bem que precisamos!!!! 
Ó Hélder é o que dá ter amigos malucos como eu, mas prá próxima ver se o peixe colabora.




domingo, 19 de fevereiro de 2012

Pescaria Carnavalesca

 Em semana de Carnaval e como torriense de gema que sou não podia faltar a uma saída na noite de Torres Vedras para brincar ao Carnaval, Para quem não sabe Torres Vedras é a capital do Carnaval mais português de portugal onde o pessoal sai à rua mascarado para se divertir, por acaso encontrei o colega de clube de pesca Felipe Ferreira disfarçado de palhaço.

Depois de uma noite de folia e de brincadeira, fui à pesca sem ir à cama, tinha ficado combinado no dia anterior com o colega Miguel Serra encontramos-nos na Praia Azul onde eu iria fazer uns lances de spinning e depois lhe iria fazer companhia à bóia.

Nesta saída de bóia tinha como objectivo testar uns pesqueiros novos onde eu nunca tinha pescado à bóia, o mar estava de feição com aguas abertas mas bastante oxigenadas, o que faria prever a captura de alguns sargos,, que com o mar a encher se veio a confirmar, apanhando 11 sargos e 4 salemas,o Miguel apanhou algumas Salemas e um sargo.
Foi um dia de pesca agradável e em boa companhia, onde o cansaço depois de uma directa fez-se sentir e de que maneira, era então hora de ir até casa à procura do almoço.
Depois de almoço fui novamente até Torres Vedras para participar no corso carnavalesco onde a sátira politica é mote para brincadeiras e modo de brincar com a realidade, para quem não conhece passem por cá e verão que vale bem a pena.





quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Praia Formosa e Penedo do Guincho

A praia Formosa é uma pequena praia localizada em Santa Cruz, um local bastante agradável para se passar um dia bastante agradável, quer para pesca, como para praia.
Este pesqueiro tem como particularidade uma afloração rochosa que entra pelo mar adentro, formando uma baía com uma antiga rampa para barcos, denominada «Rampa dos Crocodilos», que outrora foi um pequeno porto de pesca artesanal.
Este local tem a particularidade de ser abrigado do vento norte que costuma fustigar esta zona, é um sitio muito pescado pois tem muito bom acesso.
Nesta foto podemos ver a rampa , local onde muitos pescadores se concentram pois tem bom piso e dá alguns peixes, principalmente Salemas e tainhas nesta altura do ano.
 No verão com o mar manso dá bastantes carapaus, em dias de provas é praticamente impensável pescar lá devido à quantidade de pescadores que se amontoam lá.


Do lado norte deste temos mais 2  bons locais de pesca, a «Pedra que Bole», é um pequeno varandim feito em cima de uma rocha, onde podemos pescar lá de cima, ter em conta se mar estiver um pouco bravo não podemos ficar até à maré cheia pois torna-se perigoso, corremos o risco de ficar ilhados como se vê na foto.



Apenas mais uns metros ao lado temos o tão famoso Penedo do Guincho, bastante famoso devido ao seu formato, ai também será um bom local para tentarmos a nossa sorte e fazer uns lances.

Toda esta zona tem um fundo misto de areia e lajes com algumas pedras, local excelente para qualquer tipo de pesca onde se destaca sem duvida a pesca à bóia com qualquer altura de maré,sendo as duas ultimas horas de enchente talvez as melhores, as espécies mais capturadas são as Salemas, Tainhas, Carapaus(mais no verão), alguns sargos e robalos.
É sem duvida um local a visitar, não apenas pela pesca mas também pela beleza natural da zona.    

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Robalo XL

Na madrugada de sexta para sábado, depois de consultar o estado do mar decidi levantar-me bem cedo para nova investida ao spinning.
Esta é uma historia que dificilmente esquecerei, começa assim, cheguei a Ribeira D´Ilhas por volta das 2 e meia da manhã, monto a cana toca de lançar, estava um frio de rachar, pouco tempo depois nem sentia as pontas dos dedos, após alguns minutos de pesca e sem sentir nada troco 2 vezes de amostra, mas peixe nem vê-lo.
A maré estava a encher e faltava apenas uma hora e meia para a praia mar, mudo novamente de amostra e após três lançamentos sinto uma forte porrada na cana, ferro peixe e o drag dispara, apesar da minha inexperiência neste tipo pesca, vi logo que se tratava de um bom exemplar pelos arranques que dava mar dentro.
Após 4 ou 5 minutos a trabalhar o peixe, consigo segurar o robalo na areia após a escoa de de uma onda, corri para o agarrar, ainda lhe pus a mão em cima, mas por pouco tempo, veio uma nova onda que o voltou a levar para a zona de rebentação.
Espero nova onda para voltar a tentar encalha-lo, mas no descair o fio roça numa pedra e partiu, ficando o robalo com a amostra ali a mercê que o mar o levasse para o seu habitat.
Bem que corri para o tentar agarrar, ainda lhe toquei ligeiramente ma ponta do rabo, mas uma nova vaga veio e deitou por terra todo o meu trabalho, levou o peixe de vez e deixou-me todo molhado a fazer contas à vida, nada mais havia a fazer, lá foi ele!!!
Fiquei furioso, disse uns quantos palavrões, chamei-me burro vezes sem conta, depois de trabalhar o peixe, que era grande entre 4 e 5kg, depois de estar em seco, e pior, depois de lhe ter posto a mão por 2 vezes. acabava de o perder de uma forma inglória, levando a amostra nos queixos.
Desanimado, molhado, lá fui eu nervoso tentar colocar novo clip e nova amostra, mas com o corpo e as mãos a congelar esta tarefa demorou bastante mais tempo, finalmente estava tudo funcional e lá voltei à carga.
O mar neste espaço de tempo perdido, começou a ficar impraticável ganhando muita força com a subida da maré, decidi parar de pescar e pensei, vou esperar o mar descer um pouco e tentar novamente, fui para o carro para tentar aquecer-me, mas o frio era tanto e a imagem do peixe a ir embora não facilitavam a tarefa e cada vez congelava mais.
Tinha de sair dali, ligo o carro e fui até ao porto de pesca da Ericeira beber um reconfortante café no Clube Naval da Ericeira, os barcos da pesca estavam a sair para o mar, estive ali um pouco a ver televisão e na conversa.
Com o corpo já mais quente e com as baterias carregadas, volto ao local do crime, com a maré no ponto, logo após 4 ou 5 lances sinto nova porrada, drag a cantar novamente, desta feita ainda com mais força.
Após alguns minutos de luta, consigo com ajuda de uma onda encalhar o peixe, neste não ia cometer o mesmo erro, tinha de o agarrar de qualquer maneira, assim que tive oportunidade joguei-me a ele com unhas e dentes.
Mas que peixe, valeu a pena esperar, grande sensação, aquela adrenalina tirou-me o frio completamente!! Um belo robalo, 6 kg certinhos e quase 80cm de comprimento, um novo recorde pessoal.
Depois ainda fiz mais 2 horas de pesca, mas não senti mais nada, apesar de ter sido uma boa pescaria, fiquei com uma espinha atravessada na garganta, que custou a engolir, mas é com estes erros que vamos aprendendo.
Apesar de tudo deu para tirar algumas conclusões neste tipo de pesca, tenho de arranjar um companheiro de pesca para nos ajudarmos mutuamente quando tiramos peixe, deu também para começar a eleger a amostra matadora, pois por curiosidade todos os peixes que tranquei até agora foram com a mesma amostra.
Já em casa a amanhar este menino, abri-lhe o bucho, qual não foi o meu espanto quando vi lá dentro uma salema inteirinha, mesmo assim ainda estava esfomeado??Vai lá vai, olhem a fome que ele tinha!!
Eu que pensava que as salemas não serviam para nada, afinal servem para alimentar estes famintos predadores.







segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

6ª prova do campeonato

Este domingo realizou-se a 6º prova do campeonato, depois de ver o mar no sábado achei um boa opção nova investida até ao Porto Chão.
O mar estava mexido com agua aberta, mas com muitos enchidos, a que se seguiam escoas grandes ficando quase sem agua no pesqueiro, provocando um comportamento das correntes de agua muito escangalhado  e com movimentos laterais rápidos o que em nada beneficia a engodagem, levando o engodo para bem longe e rápido do pesqueiro.
Inicio de prova e logo ao segundo lançamento desferra-se um sargo as meus pés, e disse cá para mim hoje está a começar mal, mais meia dúzia de lances tiro um sargo, depois com a maré a subir nem sinal de peixe até ás 11 horas, corri vários sítios mas era mais do mesmo, nem um toque de peixe, bastante desanimado já dizia mal da vida, e apenas me restava uma única esperança pois sargos e tainhas não havia, com o aproximar da maré cheia as Salemas entrassem no pesqueiro.
Foi o que aconteceu mas com poucas, e as que conseguia trancar na maioria ficaram no mar, umas desferravam outras partiam, hoje acontecia-me um pouco de tudo estava em dia não.
Ilações a tirar desta pescaria menos conseguida, o mar que não estava nas melhores condições, com um pouco de vento norte que também não ajuda, aliado ao factor principal, a falta de peixe resultaram numa fraca. No final da prova apenas tirei 2 salemas, 3 tainhas das quais só uma pontuou, e um sargo, totalizaram 4570pts, ficando num modesto 15º lugar.
Em 1º lugar ficou o Miguel Serra, com 17400pts a quem dou os parabéns, com este resultado encurtou para apenas um ponto a liderança da geral.

O grande campeão  desta jornada Miguel Serra.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

É já no dia 12 deste mês o 1º encontro de pesca com amostras, após receber alguns convites para participar mas apesar da minha inexperiência nesta modalidade estou seriamente a ponderar em marcar presença, pois será uma boa oportunidade de aprender algo com quem realmente percebe do assunto, e quem sabe se os ares de Salir do Porto me livrem das grades e me dê algum motivo de alegria testando o meu modesto material ao limite.
Certamente será uma boa oportunidade de travar novas amizades e um bom convívio.  


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...