Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Os meus anzóis de eleição

Já lá vão alguns anos de pesca e bastantes marcas e modelos de anzóis utilizados. Mas desde que comecei a usar estes  me mantenho fiel a estes modelos e marcas, que me dão bastante segurança pois tem bastante qualidade e um óptimo preço.
Para se conseguir iscar com sardinha os anzóis não podem ser muito grossos de modo a não desfazer muito a sardinha e para fazer uma pesca ligeira como a das tainhas que são muito desconfiadas temos de ter anzóis finos, pequenos e com bicos bastante afiados de modo a ferrar o maior numero de peixes com sucesso. 

 Os da marca Hayabusa são os meus anzóis de eleição nos tamanhos 8,10,11,e 12 sendo o tamanho 11 o mais utilizado pois é polivalente dá para todo o tipo e tamanho de peixe.


 Também pesco com a Marca Gamakatsu  nos tamanhos 4,6 e 8.

  Estes uso apenas para as Salemas, são anzóis de pé comprido da Sasame e da Hiro de maneira a que a dentadura destas não chegue a tocar no empate, pois se isso acontecer quase perda certa. 
Aqui ficam algumas dicas de bom material no que toca a anzóis. 

domingo, 11 de setembro de 2011

Alguns tipos de bóias com que mais pesco

Aqui estão alguns tipos de bóias com que costumo pescar e em diferentes condições de mar.
Tendo em conta que a função principal das bóias é dar sinal que o peixe picou ou seja afundar na água quando o peixe está a comer, não costumo utilizar bóias muito pesadas com gramagens entre 2grs e 10grs.
Consoante o tipo de mar e tipo de pesca, escolho as bóias que mais se adequam. 
Ou seja mares parados e com pouca altura de água escolho bóias tipo caneta entre 3 a 5 grs.

 Este tipo de bóias ao mínimo toque afundam com bastante facilidade, mas quando pescamos ás tainhas devemos estar atentos aos movimentos laterais da bóia pois elas muitas vezes não afundam, mas arrastam-nas em pequenos movimentos cabendo ao pescador dar o toque fatal. Para pescar com este tipo de bóias temos de ter uma cana sensível, com acção entre 5 e 40grs no máximo,  fio 0,14 a 0,18mm no carreto directo evitando ao máximo nós, de forma a minimizar ao máximo o risco de partir a linha.
Para mares um pouco mais mexidos e pesqueiros com um pouco mais altura de água utilizo bóias com um pouco mais de barriga de modo a aguentar-se mais tempo dentro de água sem ser arrastada pelas ondas e sem estar sempre a afundar devido ás correntes que as ondas provocam.


Para calibrar as bóias uso chumbos fendidos de meia grama e uma grama, convém estes serem macios de forma a que uma vez colocados no fio, consigamos abrir com facilidade movimentando-os  um pouco mais para cima ou para baixo e estes não coçarem o fio evitando perdas de peixes por partir o fio.

          

domingo, 4 de setembro de 2011

Deu para matar saudades

Hoje depois de umas férias nas pescarias decidi ir matar o vicio e apanhar alguns peixes, com o mar sargalheiro e uma ligeira brisa de norte, levantei-me e fui até Ribeira D´ Ilhas ao romper do dia e com a maré cheia por volta das 8 horas pensava apanhar alguns peixes. Depois de 4 horas de pesca deu para o almoço 8 sargos 1 tainha, uma salema e um robalote.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...