Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sábado, 31 de maio de 2014

Hoje o dia é nosso!!!

Hoje é o nosso dia caros companheiros!!!
O Dia do Pescador comemora-se, todos os anos, no dia 31 de Maio. É um dia em que se homenageiam todos aqueles que fazem da pesca a sua vida.
Faça jus ao dia e vá pescar, qualquer buraco serve para matar o vicio ;) ;) he he he....
Um abraço a todos e bons lances.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Convívio de pesca em Cambelas

Boas pessoal no feriado dia 10 de Junho vai realizar-se um convívio de pesca em Cambelas organizado pela associação, conheço muito bem esta casa e este pessoal, pois pesquei uns bons anos com esta malta, infelizmente não vou poder participar e matar saudades destes amigos,  pois estarei a trabalhar nesse dia, mas é com satisfação que divulgo este evento, mais um convívio no concelho de Torres é sempre uma boa causa para apoiar, deixo também a ideia  à organização para voltarem a criar uma equipa de pescadores que representem esta casa ou empresas desta terra.  
Apareçam por lá que vai valer a pena, este pessoal gosta de tratar bem da malta, muito ao género da Bordinheira.
Deixo aqui o cartaz com toda a informação.
Um abraço, espero que corra bem e que se divirtam.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Robalos Americanos em menu económico.

A vida não está fácil amigos, sem grande disponibilidade devido a falta de tempo entre outros tantos factores, para participar nos convívios de pesca que tanto gosto, mas já com as saudades da pesca a apertar lá arranjei umas horas e fui dar banho aos anzóis.
A ideia era tentar uns sargos ou uns robalos ao nascer do dia, apostei na Foz do Lizandro, do lado norte, a pesca habitual, à bóia com engodo de sardinha bem como a isca.
A pesca prometia pois as condições do mar estavam boas, apenas o vento norte destoava, mas nada que não deixasse pescar, após 2 horas de pesca sargos nem vê-los, Robalos Americanos deu alguns e de bom porte, pois dos legítimos apenas umas amostras que foram sendo devolvidas.
Sem sinal do peixe alvo, fui até nova paragem, a caminho de casa uma paragem na praia de São Lourenço para mais 2 horas de pesca, aqui ainda consegui enganar 4 sargos e mais 2 robalos das Américas, deu para divertir e desanuviar a cabeça.

Apesar de a maioria do peixe não ser nobre, são tainhas de uma costa sem poluição e esgotos, como lá em casa nada se desperdiça e com este peixe que muitos deitam fora fazem-se maravilhas gastronómicas, eu chamo-lhes menus da crise, por 2 motivos, escassez de peixe nobre e escassez económica, com as dificuldades que  atravessamos não devemos dar-nos ao luxo de desperdiçar recursos.

Aqui ficam os pratos do dia uma sopa de peixe, e uns hambúrguer de peixe com arroz de cenoura, feitos pelas maus da minha fada do lar, para ver as receitas passem no blog Ideias Saborosas.
Um abraço e bons lances.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Concurso de pesca G.A.P. Magoito

No passado domingo realizou-se o Concurso de pesca do G.A.P. Magoito, eu por motivos pessoais não pude estar presente mas a Bordinheira esteve presente e com bons desempenhos.
Faço questão de publicar os resultados e umas fotos deste convívio de forma a promover estes eventos de pesca que tanto gosto, de modo a que nunca acabem.
O texto e fotos são do grande amigo Artur Silva, o repórter e fotografo de serviço, um amante incondicional da pesca de competição.

« Esta zona litoral de Sintra tem óptimos pesqueiros, embora de difícil ou cansativo acesso, no entanto quem corre por gosto não cansa, e eu conheço 3 pescadores que se mandaram para a Ribeira da Mata. Este pesqueiro manifestou-se como um ninho de robalos e.... contaram-me que.... até um robalo de cerca de 2 kg, ganhou balanço, saiu fora da água e trancou-se na bóia, que tinha a cor de uma petinga. O mar nem sempre respondeu como o desejado, as águas apresentavam-se esverdeadas e a maré predominava na descida, no entanto especialistas apresentaram bom peixe na pesagem.
Avançámos para o petisco, com entradas, almoço, bebidas e sobremesas de boa qualidade e fartas. Notou-se bem, em todo o staff do serviço, um desejo de servir bem toda a gente, o que proporcionou uma tarde agradável de convívio entre pescadores.



Publica-se a seguir a classificação dos primeiros 10.
1º - Luís Alves, Individual, 35.300pts. (sargos)

2º - António José, Charneca, 21.950pts

3º - António Malaquias, Bordinheira, 20.400pts

4º - Feliciano Laibaças, Charneca, 16.900pts
5º - Guilherme Serrário, Apecaco, 16.550pts
6º - João Pola, Charneca, 16.000pts
7º - Carlos Maria, Unidos, 14.850pts
8º - António Eduardo, Apecaco, 12.250pts
9º - Carlos Laibaças, Charneca, 11.000pts
10º - Pedro Ramos, Individual, 10.600pts
Maior Exemplar: Robalo, 1,900kg, César Ribeiro, Bordinheira

Maior nº Exemplares: 57, Guilherme Serrário, Apecaco.
1ª Senhora: Vera Martins, Carrascalense, 0 pontos
1ª Equipa: Charneca, 50.750pts
1º Clube: Charneca, 21 pontos.

Ao que parece correu tudo bem  e a organização está de parabéns pelo esforço
Um abraço a todos e boas fainas.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O Tubarão veio para casa

Bom dia pessoal, é com enorme satisfação que realizo este post, este não é apenas mais um mero relato de  um convívio de pesca desportiva, é muito mais que isso, no passado domingo comemorou-se com pompa e circunstância os 10 anos da secção de pesca da A.D.R.C da Bordinheira e outros tantos convívios de pesca, secção essa de que orgulhosamente faço parte desde o 1º momento.
Como sabem o lema desta casa é saber receber bem todos os que fazem questão de nela comparecer, assim sendo foram realizados todos os trabalhos com grande afinco da parte da direcção e dos amigos desta casa, para tornar este convívio num dos melhores, com muita comida e bebida servida com a simpatia habitual e uma montra de prémios como já não se vê, restava esperar que o mar e tempo nos ajudasse também, para tornar este dia perfeito.




Claro que as expectativas quanto ao numero de participantes eram altas, esperávamos atingir os 200 participantes, o numero não andou longe, foram 190, diga-se de passagem que é bastante bom, um dos mais participados da ultima década, aproveitamos a ocasião para apresentar o novo patrocinador oficial da secção de pesca, a Silfesan uma serralharia cá da terra, gerida pelo pescador Silvino Feijão e também estrear a nova indumentária.
Para mim foi um fim de semana de trabalho, deixando a família um pouco de lado, principalmente a minha esposa e filho, espero que compreendam, mas tinha de estar presente e ajudar para que nada falhasse, pois organizar um evento desta envergadura acarreta muitas responsabilidades.
Logicamente tinha de dar também o meu contributo na pesca, sem tempo para preparar o quer que fosse de material, apenas tive tempo de tirar as sardinhas do congelador no sábado de manhã, mas ainda assim tinha de por a minhoca de molho e dar aquela luta habitual.
Chegado o grande dia, as expectativas num bom resultado não eram muitas, por vários motivos, o vento norte forte que se fazia sentir, o  mar a ganhar força ao longo da manhã, as aguas que pelo que tinha ouvido eram bastante tapadas alem da maré não ser do meu agrado.
Sem ter visto o mar a minha escolha recaiu no Porto Chão, na companhia do meu mestre, lá nos fizemos ao mar, ao chegar confirmavam-se as previsões adversas, mas pior!!! O mar estava de enchios, apostamos na mesma ali, tinha de se aproveitar bem as 3 primeiras horas de pesca, porque depois ia ser complicado.

Zero, mais uma grade dizia o meu pai.

Rapidamente descemos a arriba, montei uma cana com fio 0,18mm e uma bóia de 4gr, engodo feito e estava na hora de iniciar a pesca.
Como conheço bem este pesqueiro fui procurando nas lagaceiras entre as lages, algum peixe que por ali encostasse, mas nada, o mar também não ajudava ora empurrava a pesca para terra, ora levava-a mar dentro, o tempo passava e maré enchia, após 1 hora de pesca nada de peixe, a não ser umas sarguetas que foram devolvidas.
Depois de correr uns quantos buracos sem peixe, lá consegui dar com 2 tainhas praticamente seguidas, mas parou, vou para norte uns bons metros tentar no meio das pedras, dou com um robalote(sem medida legal, mas com peso suficiente para pontuar), o mar não me deixava pescar à bóia e fui obrigado a montar outra cana para pescar à chumbadinha, até ao final nem mais 1 toque.






A pesca era fraca, restava saber como tinha corrido aos outros pescadores, já na pesagem veio a confirmar-se que o mal tinha sido geral, muito pouco peixe mesmo, apenas 59 conseguiram desgradar.
Mesmo sem peixe a festa foi rija, com muitos petiscos servidos  antes do almoço para forrar o estômago para o almoço que vinha a seguir, os participantes ainda puderam ver as novidades num expositor de material da Vega que esteve presente e ter patrocinado vários prémios.

Seguiu-se o almoço com uma sopa e os tradicionais pratos da matança de porco, o sarrabulho e o porco no espeto, tudo regado com bom vinho da região, sangria e cerveja à descrição, rematando depois com uma variedade de sobremesas caseiras de top, deixando todos satisfeitos e desfrutando plenamente daquela camaradagem que tanto vos falo.

De barriga bem cheia procedeu-se a entrega dos prémios, este ano o grande vencedor foi o Alexandre Tomás do Independente, que capturou 2 bons robalos, um dos quais o maior exemplar da prova com 1,695kg, totalizando 9420pts, para ele os meus sinceros parabéns.
Em 2º lugar ficou o Jorge Soeiro do Independente com 7060pts, que ganhou também o prémio para o maior nº de exemplares com 6 peixes capturados e a fechar o pódio mais um pescador do Independente o veterano João Alves com 5920pts.

Nas senhoras a Srª Vera Martins do Carrascalense ganhou com 1680pts, os meus parabéns, não só pela pescaria mas acima de tudo pela coragem, de lamentar fica a nota negativa para a falta de participantes nas categorias mais jovens, algo que me entristece e deixa antever um futuro pouco risonho desta nossa modalidade.
Eu ainda consegui alcançar um honroso 7º lugar com 4130pts e trazer para casa um tubarão, bonito troféu artesanal feito pelo pescador e artista plástico Pedro Saruco.

Por clubes e equipas o Independente dominou e alcançou a vitória em ambas as categorias.
Penso que correu tudo de forma exemplar e mais uma vez todos saíram satisfeitos desta colectividade.
Para nós foi um prazer enorme contar com a vossa presença, esperamos que voltem para o ano e que tragam ainda mais amigos que estas mulheres tratam bem de todos.
Não podia deixar de agradecer a todos os que colaboraram generosamente, para que fosse possível realizar este evento de forma irrepreensível, julgo que estamos todos de parabéns.
Um abraço e boas jornadas piscatórias.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

De Lés a Lés

Quando digo que estão todos convidados, falo mesmo a sério, do norte ao sul!!!
Este domingo venham todos participar no grande convivio de pesca na Bordinheira, para mais informações consultem o cartaz da foto.



Um abraço e até domingo.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Vasculhando o baú

Pois é pessoal andei a dar uma volta no baú lá de casa e encontrei umas coisas engraçadas, regulamentos de concursos/convívios de pesca já com uns anos valentes, ainda da altura dos escudos, muitos deles de secções de pesca já extintas, que faço gosto de partilhar convosco.
Em 1991 a Física de Torres Vedras realizou em o concurso com o maior nº de participantes que tenho conhecimento, foram mais de 700 pescadores que participaram, este foi também o ultimo realizado por esta colectividade.
Guardo recordações boas e más deste dia, tinha apenas 10 anos, portei-me mal uns dias antes, fiquei de castigo e o meu pai  não me levou com ele para participar, foi uma lição para a vida que nunca me esquecerei.
A boa recordação foi a vitória do meu pai nesta prova, a pescar ao fundo apanhou 3 bons robalos e conseguiu ganhar no meio de tantos participantes, um grande feito.
Fica aqui o regulamento para os mais curiosos consultarem, onde destaco 3 coisas, os preços das inscrições, a tabela das pontuações e pesos mínimos e a área da prova.
A inscrição dos seniores custava na altura 600 escudos.

 A área da prova como manda as leis, da Ponta da Aguda até à praia da Calada, suficiente para os 700 pescadores.


 As pontuações da altura onde o peixe de qualidade se destacava, com os pesos mínimos de 200grs, não respeitando em algumas espécies as medidas mínimas, mas bastante aceitáveis.

E por ultimo uma regra habitual fundamental na altura, trazer prato, talheres e copo, para depois poder ir para a fila do tacho onde a típica feijoada era rainha, mesmo com estas condições juntavam-se no mínimo 200 pescadores(nos concursos mais fracos), o normal era 300/400.
Agora é bem diferente, ninguém tem que trazer pratos e restantes ferramentas, somos servidos comodamente à mesa, com ementas fartas e variadas, com direito a sobremesas e fruta, mas o numero de pescadores diminuiu drasticamente, 150 participantes já é bastante bom, vamos lá perceber isto!!!
Não sei se se recordam destes tempos, provavelmente não, mas gostaria de saber das vossas opiniões acerca das diferenças para os dias de hoje, o que mudou? E se mudou para melhor ou para pior? 
Brevemente publicarei mais de outras colectividades, espero que gostem.
Um abraço a todos e boas jornadas de pesca quer seja de lazer ou de competição.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...