Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Seguidores

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Uma perdiz mansa e 2 patos bravos.

No dia 16 de Novembro realizou-se o Convívio de pesca nos Casais de São Lourenço, como tinha prometido levei o meu júnior pois tem-se portado bem na escola, como era capa do cartaz do convívio tinha de estar presente.
Como pouco tempo ou quase nenhum tinha para pescar, para dar apoio ao júnior, aproveite e levei comigo mais um júnior da zona Oeste, que conheci na net o Sandro Policarpo, deu para dar-lhe umas dicas e também para ele ver como é o ambiente destes convívios.
O dia começou bem para mim, depois de apanhar o Sandro, íamos a caminho quando na estrada encontramos uma perdiz pousada, quando lhe passei por cima nem se mexeu, encosto o carro e vou busca-la pensando que estava ferida, depois de a agarrar é que deu sinal de vida, nem sequer um arranhão tinha o raio do bicho ou fez-se de morto ou era mansa.
O Sandro como leitor fiel do blog, disse logo que a pesca estava feita, pois leu os relatos, em quando a caminho da pesca apanho alguma peça de caça a pescaria é um fiasco, mas vamos ver o que nos reservava o dia.
Depois da concentração na colectividade, para um café e 2 dedos de conversa com o pessoal, estava na hora de ir trabalhar he he he....
O mar neste dia não estava para brincadeiras, muito bravo e barrento, as perspectivas de apanhar peixe eram fracas, mas apesar de tudo os 2 júniores estavam animados.
Pescar à bóia era quase impossível para um experiente quanto mais para os iniciados, assim tentei arranjar um canto calmo para pescar à chumbadinha, praia do Sul foi a escolha. 

Faço um balde de engodo de sardinha e areia para tentar segurar melhor o engodo, monto apenas a cana do júnior e dou umas dicas ao Sandro.
3 colheres de engodo na areia onde o mar vinha lavar, logo no 1º lançamento os 2 ferram peixe, o peixe do Sandro acabou por partir o empate, deveria ser um bom sargo, o João lá tirou um sargo que viria a ser o seu único peixe desta jornada.


Começou muito bem mas depois não saiu mais nada, nem para nós, nem para outros pescadores e pescadoras(que coragem!!!). 
As condições pioraram e fomos procurar outro canto onde desse para pescar minimamente, acabamos por encontrar um cantinho na praia do Matadouro.


Com o mar a descer, fazendo alguma acalmia, estiquei uma cana e montei com uma bóia de 7grs, entre as ajudas que dava aos pequenos ia fazendo um lance, logo no 1º tirei um sargo e até ao final ainda tirei mais uma tainha e outro sargo a pescar a conta gotas, não foi mau de todo.

Durante a pesagem aconteceu mais um daqueles insólitos, surgiram duas pescas de 27 e 20 tainhas miúdas que "alarmaram" os participantes por serem algo inéditas com as condições que o mar tinha, sobre as quais não se conseguiu saber onde foram efectuadas.
Quanto à frescura do peixe tudo bem, conhecendo eu esta zona muito bem assim como os sítios onde o mar deixava pescar e onde eles não estiveram garantidamente, a grande dúvida surge da maneira como foram feitas as capturas e sobre o local das mesmas, se tinham estado em algum pesqueiro que constava no Regulamento.

Depois de uma bela almoçarada seguiu-se a entrega de prémios, em 1º lugar ficou o Rogério Rodrigues com 10220pts, em 2º ficou o Ivo Nunes com 8520pts, sem querer tirar o eventual mérito aos concorrentes premiados, mas a situação criou uma grande dúvida e até agora ainda ninguém soube onde estiveram a pescar.
Em 3º lugar ficou o Nelson Inácio com 8192pts, eu mesmo a pescar a conta gotas fiquei em 8º, o meu júnior em 19º lugar, mais uma vez não conseguiu ganhar ao avô que ficou em 4º.
Até que não foi mau de todo, só tive pena do Sandro que não conseguiu safar a grade, mas estava satisfeito e gostou do ambiente, com as dicas que dei certamente vai ter dias de felicidade em breve.
Um abraço e uma boa semana a todos.

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Praia dos Coxos

A praia dos Coxos situada em Ribamar, perto da Ericeira, além de ser de ser muito conhecida por um bom spot de surf é também um bom locar muito procurado pelos pescadores.
É um dos pesqueiros mais polivalentes nesta zona, pois aqui é possível fazer todos os tipos de pescas, spinning, surfcasting, chumbadinha bóia tanto de pião como bóia ligeira dadas as suas características, em poucos metros temos pesqueiros para todos os gostos, pesqueiros altos e fundos, pesqueiros mais baixos em lajes, com caneiros, a praia é um pouco curta mas ainda assim permite fazer um surfcasting.
Além destas vantagens que falei de polivalência piscatória, tem muito bom acesso, o carro fica perto e não é preciso andar muito para estarmos a pescar.
Esmiuçando a coisa por partes, começamos a analisar de norte para sul, do lado direito da praia tem uns lajões altos onde podemos pescar à bóia/chumbadinha tanto na maré baixa como na maré alta sempre com mares não muito mexidos, na minha opinião não é grande pesqueiro mas dá uns peixes.
No final desse lajão temos então a pequena e acolhedora praia dos Coxos, abrigada dos ventos predominantes de norte dá para o tal surfcasting, e no canto esquerdo da praia quando não tem muita areia e faz um fundo junto à rebentação dá para se matar uns bons peixes à bóia.



Agora passamos para os pesqueiros mais altos, desse mesmo lado esquerdo, mas cá da parte de cima da arriba existem 2 varandinhas, aqui dá para pescar ao pião, é um pesqueiro mais fundo e com mares não muito mexidos costuma dar uns peixes.

Daqui para a frente é só escolher pois é tudo muito idêntico, pesqueiros altos e fundos, na maior parte deles não se consegue pescar perto da agua, porque não existem descidas, pesca-se cá do alto dos patamares, o mar não convém estar muito mexido, ideal para pescar ao pião, bóia, chumbadinha e rockfishing mas aviso que é mu cemitério de chumbadas, as pedras bastante irregulares e com muito marisco parece que tem dentes he he he...

Praticamente no final desses patamares, temos o pesqueiro das Pontes, são 2 pontas que entram mar dentro e formam umas pequenas baías, aqui já se pesca mais junto do mar, são pesqueiros de bóia, muito procurados na altura do carapau e das cavalas, o mar para se pescar aqui tem de estar manso, atenção redobrada pois o mar é traiçoeiro e com facilidade o mar varre estas pontas.
Depois tem um grande lajão onde costumam estar os surfistas, já com menos altura de agua, todo ele é bom para pescar à chumbadinha, muito bom para os sargos e spinning.
Acabando esse lajão uma malhada de pedra solta com caneiros e alguns buracos bastante interessantes, muito bom para pescar em toda a sua extensão para qualquer tipo de pesca.
Na minha opinião toda esta zona de pesca é para mar não muito mexido, entre 1 e 2mts no máximo, com a maré a encher de preferência, os peixes que mais lá saem são os sargos, robalos, salemas, tainhas e no verão cavalas e carapaus.
As indicações estão dadas, agora é tentar a sorte e fazer lá uma visita, depois contem como correu e o que acharam da zona.

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

Ajudem-me na escolha!!!

Caros amigos e seguidores já lá vão mais de 4 anos desde que iniciei este projecto, ainda não tinha criado logótipo para o identificar.
Depois pedir ajuda a um colega para me realizar um logótipo que o identifique, ele enviou-me estes 2 para escolher.
Embora já tenha preferência, gostaria de pedir a vossa ajuda na escolha para confirmar a minha escolha.
Para vós qual dos 2 escolheriam?

Logo1


Logo 2

Um abraço a todos, continuem a passar por cá, lerem os relatos e deixem o vosso testemunho e opinião que para mim é de grade valor.

sábado, 8 de Novembro de 2014

Tive de me render!!!!

No dia 19 de Outubro a Associação Recreativa Amigos da Capeleira e Navalha perto de Óbidos realizou um convívio de pesca intitulado Troféu Rodrigo Rodrigues, este convívio tinha como objectivo homenagear o sócio e pescador Rodrigo Rodrigues, falecido recentemente.
A prova foi disputada por umas boas dezenas de participantes entre o Baleal e Peniche, desafiado pelo meu grande amigo Artur Silva e Nuno Pereira resolvi participar nesta homenagem.
O mar não estava com muito boas condições, barrento na zona de Peniche, o que nos fez apostar numa ida ao Baleal, onde as aguas tinham melhor aspecto.

Como de de costume apostei na pesca à bóia com engodo.
Os meus companheiros de equipa procuraram abrigo e mar mais calmo do lado norte da ilha, dedicaram-se logo às tainhas, eu tentei nas primeiras horas procurar nas aguas mais agitadas uns sargos, no lado sul da ilha.
Após um primeiro pesqueiro falhado, onde apenas senti uns toques de peixe miúdo que não ficaram, fui em busca de novo poiso,
Com a maré já bem alta, depois de dar uma volta à ilha onde não vi pesqueiro que me agradasse  virei-me também para o lado norte, numa baía junto à capela a pescar alto, 3 colheradas de engodo para cima de umas pedras onde o mar vinha lavar e onde fazia uma boa escoa logo ao 1º lançamento ferro um bom sargo, depois de o trabalhar só tinha uma solução iça-lo, um pouco a medo pois estava a pescar com fio 0,18mm lá o consegui por cá em cima.
A coisa prometia, este sargo logo após a bóia cair na agua fez-me pensar logo que podia andar ali mais desta fruta, mero engano, este andava mesmo perdido, insisti mas apenas enganei mais 2 tainhas  entre as centenas delas que por ali andavam.
Como não havia sargos e só via a malta a tirar tainhas e garrentos, tive de me render e na ultima hora e meia encostei-me aos meus colegas e dediquei-me também a elas, esta é definitivamente uma pesca que não me agrada, mas entre não apanhar mais nada e tirar uns garrentos e umas tainhas, olha que se lixe!!!
Até ao fim ainda consegui compor a pesca com mais uns 7kgs de peixe, do qual não tirei foto, por razões óbvias tinha as mãos e braços todos sujos de ranho de garrento, o tempo para entrega do peixe era pouco tinha de me despachar e a maior parte do peixe não merecia foto.
Depois de ajudar na pesagem do pescado, tomar um merecido banho, era hora de almoçar, petiscos, boa comida foi coisa que não faltou e estando na terra da típica Ginginha, para ajudar à digestão umas boas copaneiras deste néctar divino fizeram a alegria de alguns pescadores, EU que o diga, já nem sabia para que lado era o Norte e o Sul, he he he....
Faltava saber a classificação e respectiva entrega de prémios, em primeiro lugar e destacadamente ficou o Paulo Lourinho que capturou 125 tainhas(31,195kg) totalizou 31040pts.
Em 2º lugar ficou o Nelson Inácio com 26135pts e a fechar o pódio ficou o Jorge Soeiro com 19180pts, eu acabei no 11º lugar com 9337pts.



A organização empenhou-se em satisfazer todos os participantes, tendo o pessoal saído bem satisfeito e prometendo regressar para o ano, pois esta Associação merece.

quarta-feira, 5 de Novembro de 2014

No mundo do associativismo

O associativismo assume, cada vez mais nos dias de hoje, um papel estratégico no âmbito do sistema Desportivo, Cultural, uma vez que estas estruturas, dada a proximidade face aos cidadãos, afirmam-se quer como pólos de desenvolvimento local, promovendo a crescente oferta de actividades, quer como espaços para fomentar hábitos de cidadania activa.


As Associação Promotoras de Desporto (APD), são pessoas colectivas de direito privado, sem fins lucrativos, que correspondem aos agrupamentos de clubes, de praticantes ou outras entidades que tenham por objecto exclusivo a promoção e organização de actividades físicas e desportivas, com finalidades lúdicas, formativas ou sociais.
 A A.D.R.C da Bordinheira enquadra-se neste tipo de associações, que se devem pautar por alguns requisitos:
- Promover e organizar actividades físicas e desportivas com finalidades exclusivamente lúdicas, formativas ou sociais.
- Assegurar que o seu objecto não se encontre compreendido na área de jurisdição própria das federações desportivas dotadas de utilidade pública desportiva.
- Dispor de incrementação local ou regional, assegurada pela filiação de praticantes.
- Comprovar ter capacidade para assegurar o desenvolvimento e expansão das actividades físicas e desportivas que promovem.


Entre as varias modalidades desportivas realizadas nesta colectividade encontram-se obviamente a pesca, o tiro ao alvo em varias vertentes, carabina de ar comprimido de precisão, carabina de ar comprimido de recreio e pistola de ar comprimido, existe também o ginásio que oferece um vasto leque de actividades.

Além destes desportos a colectividade organiza muitas outras actividades sociais anuais, o passeio de motorizadas, torneios de cartas, festas anuais bem como muitos outros festejos temáticos, magusto de São Martinho, festa das crianças no Natal, festejo dos santos populares com as típica sardinhada entre outros.
Este tipo de clubes desportivos são meio de acesso e suporte fundamental à actividade desportiva de largos estratos da população. Considerando a importância que os clubes desportivos ou associações podem ter junto da população, constituem em muitos casos a única via de acesso à prática desportiva,é importante conhecer a realidade do associativismo, dando a conhecer sobretudo os serviços que estes prestam à população.
Por todos estes motivos não podemos deixar morrer estas Colectividades e Associações muitas delas com muitos anos de vida, seja associado e contribua para um futuro melhor para as gerações vindouras.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...