Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Regresso às Aulas

Com o inicio do ano escolar à porta, nada melhor que fechar a época de férias escolares do meu júnior que uma pescaria com o pai.
Como já é habitual no convívio de pesca da A.C.D.R. dos Arneiros lá fomos nós participar, eu abdicando da minha pescaria em prol de auxiliar o pequeno na sua jornada, sempre com o principal objectivo de dar uma tareia no avô.
Depois da concentração matinal na sede da associação, lá arrancamos para o mar, sem destino pensado, uma primeira olhadela pelos spots para ver onde íamos cair.
A escolha desta vez foi Cambelas, pois parecia oferecer boas condições para esta jornada, mar mexido, bem certinho, maré a subir, faziam prever uma boa jornada de pesca.
O tipo de pesca já sabem qual foi, a habitual pesca à bóia com engodo de sardinha e lombos de sardinha para isco, uma pesca ligeira com fio 0,18mm e bóia de 4grs.
Quanto ao relato da jornada piscatória, desta vez não o vou fazer já que está bem documentado no video com que vos presenteio, apenas digo que foi uma jornada bastante activa e animada.
Com os sargotes a fazerem as delicias do pequeno, algumas bailas e tainhas também, muito peixe pequeno a ser devolvido e bem pelo João, que apesar de terem peso mínimo insistia em o devolver ao mar, uma boa atitude, a demonstrar que está no caminho certo.

No final aproveitaram-se 17 peixes, 13 sargos, 2 bailas e 2 tainhas, uma pesca engraçada que dava boas perspectivas de alcaçar o seu principal objectivo.
Depois da pesagem e entrega do pescado, os resultados obtidos foram melhores que os esperados,  acabou por ficar em 1º lugar totalizando 17000pts, bem à frente do avô que ficou em 8º lugar com metade dos pontos e ganhou ainda o prémio para o maior numero de exemplares com 17 peixes, não podia ter melhor fecho da sua época piscatória.



Em segundo lugar ficou o Miguel Santos com 15120pts e a fechar o pódio ficou o João Rodrigues com 13390pts.
Agora à que voltar aos estudos com a minha promessa se as notas forem positivas, volta a ter oportunidade de participar no Convívio dos Casais de São Lourenço que se vai realizar no dia 13 de Novembro.
Quanto a mim, vou continuando a minha luta competitiva, com mais uma jornada para o campeonato da Bordinheira que se realizou este fim de semana passado, que com certeza em breve vou relatar para todos vós.
Abraços e bons lances.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Para Matar Saudades

Este é um relato de uma pescaria realizada no dia 5 de Junho, no 2º Convívio de Pesca da Feira Oeste Natura 2016, que mais uma vez se realizou no litoral e Torres Vedras.
Este post tem uma dedicatória especial, vai para um companheiro de pesca que tive o privilégio de conhecer à pouco mais de um ano, com quem partilhei algumas pescarias e conhecimentos, esta pescaria foi realizada na sua companhia, serve pare ele matar saudades dos convívios mas acima de tudo das boas amizades.
O pesqueiro escolhido foi Porto Chão, o mar estava manso, a  maré vazia a meio da prova, fazia prever uma boa jornada de pesca à bóia, já que permitia alcançar uns buracos sargalheiros que conheço bem.

Nesta prova estreei uma cana nova, uma Barros Ultron Telematch de 4,20mts, ideal para pescas ligeiras, com uma bóia de 3grs e fio 0,16mm.
Depois de preparado o engodo de sardinha, uns lombos de sardinha para isco, era hora de ver se o peixe lá estava, avançamos mar dentro até alcançarmos a pedra desejada, pesqueiro engodado a preceito e timidamente lá foram aparecendo uns sargos para nos animar.
A pesca foi-se compondo, entre alguns peixes desferrados e outros a partir, entretanto apareceram umas salemas de grande porte que fizeram desaparecer os sargos e nos proporcionaram bons momentos de luta.
Com a maré a sacudir-nos do pesqueiro, fomos obrigados a procurar peixe noutro spot, com o mar manso e aguas abertas, os locais onde fazia alguma feição eram escassos, terminamos a pescaria na Caldeira quando os sargos estavam a entrar em força.

No final ainda consegui uma pesca engraçada, com 3 salemas, um robalote e 19 sargos, foi uma estreia bastante positiva da nova cana, que se revelou uma boa aposta, bastante leve o que permite bom conforto, mata muito bem o peixe assim como permite uma boa e rápida ferragem, não é uma cana para levantar peixe, perfeita para o tipo de pesca que mais gosto, dentro de agua ou ao nível dela.
Depois de realizada a pesagem e do almoço bem regado seguimos com a entrega dos prémios, consegui repetir o feito da edição do ano passado, arrecadando o prémio para maior numero de exemplares e ganhando a prova.
Em 2º lugar ficou o João Fastré da GAP Magoito e a fechar o pódio ficou o João Rodrigues.

Por equipas e clubes a A.D.R.C Bordinhera saiu vitoriosa.
O maior exemplar foi uma tainha com 1,075kg capturada pelo António Malaquias.
Este ano foi assim, para o ano vamos ver como vai ser!!!
Abraços e bons lances companheiros.

domingo, 28 de agosto de 2016

Convívio Pesca Festa Anual da Bordinheira

No dia 3 de Setembro realiza-se mais um convívio de pesca na Bordinheira, integrado nos grandes festejos anuais.
Convido todos a participar, para inscrições os contactos são, Pedro Franco 963302613 ou David Forcada 937991615.
Aproveito ainda para convidar todos a vir até à festa da Bordinheira, além da pesca, podem participar no passeio de motos, na corrida colorida COLOR RÃ e claro está nos típicos bailaricos de verão com entrada gratuita.
Já me esquecia, podem ainda beber uns copos acompanhados de boa musica, no bar jovem O CHARCO num ambiente lounge.
Deixo também o cartaz com o programa da festa, onde destaco o grande QUIM BARREIROS na terça feira.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Continuando a escalada na tabela

No dia 22 de maio realizou-se a 4ª prova do campeonato de pesca da Bordinheira, o meu objectivo nesta jornada era continuar a subir na tabela da classificação geral, onde ocupava o 6º lugar.
Não podia falhar esta oportunidade para subir na tabela, com a maré ao meu gosto, rumei a um pesqueiro que já me deu muitas alegrias, a Pedra da Mesa na Foz do Sizandro, mais uma vez contei com a companhia do João Cardoso.
O resumo da jornada é muito simples, uma primeira abordagem ao pesqueiro da Mesa ainda do alto da arriba antes de descer, sinceramente não me inspirava muita confiança, mar bastante mexido, muita corrente no pesqueiro para dentro, agua não estava muito má, mas do lado do rio estava pior, com a possibilidade dessa agua com o baixar da maré vir para o lado da Mesa, tive vai não vai para não apostar ali,  mas após algumas indecisões acabei mesmo por ficar por ali.
Depois de estar no pesqueiro as duvidas de que seria uma boa aposta continuaram, com muita corrente para dentro, não me garantia a aproximação do peixe, mas já que lá estava só tinha de experimentar.
Comecei com uma bóia de 3grs com fio 0,16mm a iscar com sardinha, mas após perder uma salema nos primeiros lances a cortar o fio,  depressa mudei para uma pesca mais grossa com fio 0,20mm, bóia de 4grs, anzol de pé comprido e iscar com limo obviamente.
Após a mudança não senti mais nenhuma salema, as aguas estavam a ficar mais tapadas, com alguns pedaços de caniços e paus, com o baixar da maré a corrente diminuiu bastante e os lixos que andavam por ali não abalavam, ou seja iam mas voltavam, sinal que o engodo fazia o mesmo.
Nisto avanço para uma pedra mais dentro, vejo que estava roída de peixe, bom sinal, após alguns lançamentos com sardinha em anzol de pé comprido a sentir peixe mas não conseguir ferra-lo, nova mudança, tirei o anzol das salemas e pus um mais para os sargos e tainhas.
Numa pesca praticamente ao tente, com a bóia muitas vezes fora de água, pois eles estavam a comer mal lá foram saindo alguns, o João também lá ia conseguindo sacar alguns.
Já na ultima hora e com o mar a subir começar a cobri a laje, fomos obrigados a recuar, os sargos desapareceram, mas as esperadas salemas davam sinal, novamente mudei de anzol para o de pé comprido e iscar com limo lá fui tirando algumas, e desferrar outras tantas, tal como os sargos estas também estavam manhosas, entraram foi um pouco tarde, pois o mar mandou-nos rapidamente embora da laje e ai acabou-se a pesca.
O João não conseguiu aproveitar o pesqueiro da melhor maneira pois acho que ficava nos 3 primeiros, mas divertiu-se bastante pois fartou-se de sentir, perder e tirar peixe, a minha pesca estava bem composta, 3 tainhas, 6 salemas e 22 sargotes.
Após a pesagem e valente almoçarada, seguiu-se a entrega de prémios, acabei por alcançar o 1º lugar totalizando 25490pts.
Em 2º lugar com 16390pts, ficou o David Forcada e a fechar o pódio ficou o César Ribeiro com 11770pts.
O objectivo principal foi plenamente atingido, continuar a subir na tabela, onde agora ocupo o 3º lugar a apenas 7pts do líder Miguel Serra, a próxima prova realiza-se já no dia 18 de Setembro, vamos ver se consigo encurtar a distancia para o líder.
Abraços e bons lances.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Os Senhores dos Mares

Após alguns meses sem publicar, por vários motivos, decidi voltar ao activo e continuar a dar vida a este espaço de partilha.
Para recomeçar nada melhor que colocar alguma lenha na fogueira, claro que a carapuça fica para quem a enfiar, já que vou dissecar um tema bastante peculiar e corrente dos pescadores dos dias de hoje, em especial dos mais ligados às novas tecnologias do mundo da web.
Nos dias que correm, após as jornadas piscatórias é natural e normal que os pescadores as fotografem, relatem e que as partilhem  em blogs, fóruns ou no facebook.
Para alguns é uma forma de partilhar conhecimentos, para outros uma maneira de travar novas amizades com pessoal que se identifica com as suas publicações, para outros apenas uma forma de enaltecer os seus feitos.
Eu pessoalmente gosto de partilhar tudo, sem segredos, sem hipocrisia, sem falsidade, considero-me um pescador mediano, que muito tenho ainda para aprender, em evolução constante.
Gosto de pescadores que partilham seus feitos, exemplares de sonho, peixes de uma vida, todas as suas conquistas estoicamente alcançadas, com muito suor e dedicação, carregadas de mérito, com muitas horas passadas no mar, com um estudo aprofundado de todas as possíveis e prováveis condicionantes que tornaram possíveis essas capturas, todo o tempo e dinheiro investido, tanto em material, como em deslocações ao mar.
A meu ver são pescadores idolatrados como Deuses, são verdadeiros Ídolos no mundo da pesca, tal é a regularidade com que conseguem tais feitos, publicam fotos vangloriando-se, inchados dos pés à cabeça, eu sentiria o mesmo certamente se os realizasse.
Mas é para mim muito difícil tolerar, a falta de humildade, de sensibilidade, mas acima de tudo a ganancia que demonstram, ficam chateados se perguntam como foi pescado, onde foi pescado, com que isca foi pescado, chegando mesmo a minimizar e ridicularizar quem o faz.
Gostam apenas de ser reconhecidos como grandes pescadores, verdadeiros filósofos piscatórios, os novos ideologistas da pesca, acham-se senhores donos do mar, pescadores que de lúdicos tem muito pouco, já que grossa parte do peixe capturado é para venda e não para consumo próprio.
Esquecem-se de que quando começaram a pescar, pouco ou nada sabiam, foram aprendendo vendo outros pescadores, seus ídolos na altura, que lhes seguiram os passos, ouvindo aqui e ali alguns segredos e pesqueiros, uns inconscientemente outros nem tanto, que aprenderam lendo revistas de pesca ou pesquisando na Internet.
 Ficam extremamente irritados após as suas publicações, verem os spots secretos invadidos por pescadores em busca do exemplar de uma vida.
Este é o preço a pagar pela fama, deviam conseguir viver com isso, adaptando-se da melhor maneira possível, ou então não publiquem nada, assim ninguém questiona, assim não os perseguem, ninguém os imita, nem lhes rouba os spots, bem sei que o termo roubar é uma palavra forte, mas muitos intitulam-se donos dos mesmos tal é a regularidade com que os frequentam.
Afinal de contas tornam-se vitimas do seu próprio ego, é o reverso da medalha, estas são as consequências do merecido reconhecimento.
Para finalizar deixo apenas uma citação muitas vezes mencionada por esses mesmos pescadores, «Os peixes já apanhados ninguém os volta a apanhar».
Abraços, bons lances e boas publicações.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...