Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia, e as minhas pescarias na região Oeste e não só.

Seguidores

terça-feira, 29 de Julho de 2014

É impressão minha ou estão-nos a querer ir ao bolso outra vez

Camara de Sintra tenciona alargar as áreas de estacionamento pago no concelho, gerido pela Empresa Municipal de Estacionamento de Sintra (EMES), a medida foi apresentada no “Projecto de Primeiras Alterações ao Regulamento de Trânsito e Estacionamento”, que deverá introduzir tarifas numa boa parte das freguesias urbanas de Sintra e também em três praias. O documento inclui propostas de estacionamento de duração limitada em varias localidades do concelho bem como nas praias da Adraga, praia Grande e praia das Maças, na freguesia de Colares. 
As alterações ao Regulamento de Trânsito e Estacionamento do Município de Sintra, em vigor desde 2011, devem-se não só ao resultado da aplicação das normas nos últimos três anos, mas sobretudo a “novas orientações estratégicas” do executivo e da EMES. O documento está em consulta pública desde dia 30 de Abril, por um período de 30 dias, e pode ser consultado através da página da autarquia.
É impressão minha ou estão-nos a querer ir ao bolso outra vez!!!
Nós já pagamos impostos por tudo e por nada, pagamos quando compramos material de pesca, iscos e afins, pagamos licenças de pesca, agora mais esta, quando formos pescar nestas praias se temos de pagar estacionamento também?
Ao que parece para já recuaram com esta decisão nas 3 praias, mas da ideia à obra vai um pequeno passo, em breve certamente devem voltar a pensar neste assunto, cheira-me!!!!
Deixem-me adivinhar qual vai ser a próxima, vamos ter de pagar pelo ar do mar que respiramos, tenham vergonha!!!

Fonte da noticia:
Tudo Sobre Sintra

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Possivelmente fruto de alterações climatéricas

Sargos Bicudos, não sendo muito habitual aparecerem pela costa Oeste, mas nos últimos anos, principalmente no verão, tem-se capturado pontualmente alguns exemplares desta espécie em certos pesqueiros, nomeadamente na zona da Assenta.
Nestas foto vê-se perfeitamente as diferenças entre as 2 espécies de sargos, os da direita são os legítimos, os da esquerda são os bicudos.




Tal como o nome indica, o sargo-bicudo distingue-se pela sua cabeça invulgarmente alongada, que termina numa boca pequena em bico, bem diferente do sargo legitimo. Esta espécie costeira surge em fundos de rocha ou pradarias de erva marinha, junto à zona de rebentação, onde encontra alimento.
A alguns anos atrás era para nós pescadores desta zona uma espécie praticamente desconhecida, tentando perceber o porquê destas aparições, só vejo uma razão, possivelmente serão fruto de alterações climatéricas, talvez derivado do aquecimento das aguas.
Que mais surpresas nos reserva este oceano?
Um abraço e boas e insólitas capturas.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Como cidadãos estrangeiros podem tirar licenças de pesca.

Caros leitores andei a informar-me acerca deste assunto e consegui alguma informação esclarecedora que a este tema diz respeito, assim fica respondida a questões da licença para cidadãos estrangeiros, bem como outras formas de tirar a licença sem ser pelo Multibanco entre outros esclarecimentos, deixo aqui a resposta ao meu email.
«   Relativamente ao seu email 21:53, de 30 de junho de 2014, o qual mereceu a melhor atenção desta Direção-Geral, encarrega-me o Vice-almirante Diretor-geral da Autoridade Marítima de informar V. Exa. que o quadro legal do exercício da pesca marítima dirigida a espécies animais e vegetais com fins lúdicos encontra-se definido no Decreto-Lei n.º 246/2000, de 29 de Setembro, alterado e republicado pelo Decreto-Lei n.º 101/2013, de 25 de julho.

            Este diploma determina no seu Artigo 10º que o exercício daquela atividade deve estar sujeito a determinados condicionalismos, a fixar por portaria, tendo como objetivo a conservação e a gestão racional dos recursos.

            Nesta conformidade, foi publicada a Portaria nº 14/2014, de 23 de janeiro, que define os condicionalismos ao exercício da pesca lúdica em águas oceânicas, em águas interiores marítimas ou em águas interiores não marítimas sob jurisdição da autoridade marítima.

            Para um melhor esclarecimento de alguns aspetos desta legislação poderá ainda consultar o site da Direcção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (http://www.dgrm.min-agricultura.pt) onde se apresenta uma série de perguntas/respostas enquadradoras da pesca lúdica.

            A informação disponibilizada neste site foi atualizada e encontra-se dividida em 5 temas principais:

            1. Licenças
            2. Zonas de pesca
            3. Artes e utensílios de pesca
            4. Embarcações
            5. Espécies

            No caso apresentado importa transcrever o tema relativo às licenças:

            1 - PESCA LÚDICA - REGRAS APLICÁVEIS - LICENÇAS

            O exercício da pesca lúdica está em regra sujeito a licenciamento, com exceção:
            - da apanha lúdica, efetuada manualmente, sem a utilização de quaisquer utensílios de captura;
            - dos menores de 16 anos, desde que acompanhados por titulares de licença; e
           - dos indivíduos não residentes em Portugal, que participem em campeonatos internacionais de pesca desportiva, mediante apresentação do comprovativo de inscrição no mesmo.

            As licenças podem ser diárias, mensais ou anuais, de um dos seguintes tipos:
            a) «Apeada», exclusivamente para o exercício a partir de terra firme ou de formações rochosas ilhadas;
            b) «Embarcada», para o exercício da pesca à linha, a bordo de embarcação, englobando a licença prevista na alínea anterior;
            c) «Pesca submarina», exclusivamente para o exercício da pesca submarina;
            d) «Pesca lúdica geral», para o exercício da pesca à linha apeada ou a partir de embarcação, bem como para o exercício da pesca submarina.

        As licenças emitidas até à data de entrada em vigor da Portaria nº 14/2014 são válidas para as modalidades e prazos para que foram emitidas, sendo as licenças de pesca submarina equivalentes à pesca lúdica geral, até ao fim da sua vigência.

            As licenças de pesca lúdica podem ser obtidas:
            • Através de qualquer caixa Multibanco (serviço de momento indisponível para atualização técnica);
           • Diretamente, através de pedido de licença de pesca lúdica por correio eletrónico, acompanhado de comprovativo de pagamento e identificação do  requerente (prazo máximo de entrega da licença: 5 dias úteis após receção do pagamento);
            • Nos serviços da DGRM ou nas Direções Regionais de Agricultura e Pescas do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve, durante o horário de atendimento ao público, em todos os dias úteis.

            Notas:
No caso de cidadão estrangeiro deverá indicar o número de Passaporte, do Bilhete de Identidade emitido no país de origem ou da autorização de residência em Portugal.

            Deste modo e sem prejuízo de posteriores necessidades entendidas por bem serem colocadas a esta Direção-Geral, subscrevo-me com os melhores cumprimentos»

Assim estão esclarecidas algumas duvidas, um  abraço e bons lances se possível dentro da lei.

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

A passadeira dos famosos

Este foi sem duvida um fim de semana atípico para mim, repleto de correrias e muita actividade não só piscatória.
Acabadinho de chegar a casa na sexta, depois de mais uma semana dura de trabalho, esperava-me um fim de semana de Escutismo, acompanhando o meu lobito João para fecho do ano escutista, com direito a acampamento, muito trabalho e muitas outras actividades de grupo, não podia faltar claro está, a família tem prioridade sobre a pesca e estas actividades em família são importantíssimas, nem sempre dá mas com esforço e muita ginástica tento conjugar tudo da melhor maneira.




Assim teria de abandonar o acampamento no domingo um pouco mais cedo para participar na 7ª prova do campeonato da Bordinheira.
Sem tempo para preparar o material devidamente e sem ver pesqueiros para a jornada, a coisa ia sair como Deus quisesse, foi chegar a casa pegar no material, no engodo tirado do congelador previamente, em meia dúzia de sardinhas para iscar e esperar pela boleia do meu pai.
Quanto ao mar apenas sabia que em alguns pesqueiros as aguas eram turvas e tinham bastante limo, como estou escaldado devido aos maus resultados obtidos nestas condições a ideia era ir procurar a sul na zona da Ericeira aguas convidativas a uma boa jornada.
A caminho do mar ao passar pela Calada vi logo que para sul as aguas estavam com boa cor, assim pensei em voltar aos Coxos onde no fim de semana anterior tinha estado com o meu júnior, além de ter sentido uns peixes e perdido muitos mais, este pesqueiro é indicado para marés de grande amplitude como era o caso. Com uma grande vazia por volta das 10 horas, aqui tinha a opção de procurar o peixe em vários cenários, pois tem pesqueiros fundos e pesqueiros com pouca agua.
Comecei por tentar num pesqueiro mais fundo, junto à praia por baixo da varanda, depois de artilhar a cana com a habitual montagem, fio 0,165mm e uma bóia de 4grs, engodei bem o pesqueiro, este apresentava-se com algum limo, com uma boa escoa, mas quando vinham os setes ficava um pouco forte demais, deixando-me um pouco apreensivo se seria uma boa aposta.
Após meia hora de pesca nem sinal de peixe, já pensava em mudar de sitio quando de repente a bóia afunda violentamente, faço a ferragem e o peixe arranca mar dentro, dava para ver que tinha um robalo de bom porte na ponta da linha, depois de o trabalhar com calma e matar o peixe restava encalha-lo, com a ajuda de uma onda tentei coloca-lo em cima de uma pedra, mas a onda empurrou-o para fora da pedra e no descair desferrou-se ficando dentro de agua entre 2 pedras, corri rapidamente na sua direcção, com alguma sorte e uns cortes na mão consegui segura-lo, este estava mesmo destinado a morrer.
Contente com o sucedido insisti mas não andava lá mais nada, pego nas tralhas e fui procurar nos caneiros do lado norte, onde consegui tirar mais um robalote.
Mas onde andam os sargos? Perguntava para mim mesmo.
Como não os encontrei nas zonas mais fundas fui procurar em zonas mais baixas a sul, em cima das lajes o mesmo, sargos nem vê-los, apenas umas tainhas patrulhavam o pesqueiro, mudo para um anzol mais pequeno e tirei algumas.
Depois desapareceram e fui obrigado a continuar a procurar peixe, fui até ao Cavalinho mas os pesqueiros não me agradavam e os que tinham melhor aspecto estavam ocupados.


Voltei para o pesqueiro tainheiro, mas agora já mais mexido e com mais altura de agua e na ultima meia hora lá enganei 5 sargos.
A pesca estava feita, no total foram 2 robalos, 5 sargos, 1 bodião e 4 tainhas, não foi uma pesca farta mas com algum sacrifício consegui uns peixes.
Depois da pesagem feita e do divinal almoço como habitual, era tempo de saber os resultados finais, esta foi mais uma jornada fraca de peixe com muitas grades, assim deu para alcançar mais uma vitória com 16050pts, em 2º lugar ficou o meu adversário directo, David Forcada com 9000pts, a fechar o pódio ficou o Sérgio Reis com 8260pts.

No final da tarde fomos convidados pelo Sr Silvino dono da Silfesan, nosso patrocinador, para participar na inauguração da galeria de arte com peças feitas em ferro, um novo ramo desta empresa.
A passadeira dos famosos desenrolou-se para passarmos a ser as figuras de relevo da festa, que estava animada, mas depois de chegarmos ficou mais ainda, todos queriam tirar fotos com os melhores pescadores do mundo he he he.....




Foi muito porreiro poder partilhar momentos divertidos com pessoas bem conhecidas de todos nós como o cantor Vitorino, ou o actor Luís Aleluia(Menino Tonecas dos Malucos do Riso), que ficou tão fã do nosso clube que já quer voltar para participar numa prova de pesca, quem sabe se não será a  nova contratação para a época 2014/2015 he he he.....ficou demonstrando a enorme camaradagem desta nossa equipa.
O relato já vai bem longo mas para ficar completo tinha de ser assim, não vos maço mais caros amigos  e prometo  que os próximos relatos são mais pequenos.
Um abraço e boas fainas companheiros. 

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

1º Convívio de pesca da Foz do Sizandro

 A organização desta prova é apoiada por membros do clube de pesca da Bordinheira.
Este é um convívio de pesca integrado nas festas tradicionais desta localidade a Foz do Sizandro - São Pedro da Cadeira. Fica junto á Praia Azul, a sul de Santa Cruz. A povoação fica do lado sul do rio Sizandro, para lá chegar o melhor caminho é depois da povoação da Coutada (a caminho da Ericeira) virar à direita numa rotunda oval denominada de Aranha, seguindo as placas com a indicação praia da Foz.
Apareçam pois vai valer a pena, onde será realizado o convívio é uma zona muito bonita e agradável, no relvado mesmo junto à praia na margem do rio Sizandro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...