Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Seguidores

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Unidos da Pesca de Torres Vedras

No dia 6 de Setembro realiza-se o 2º Convívio de Pesca da Associação «Os Unidos da Pesca de Torres Vedras».
As informações estão disponíveis no cartaz, para inscrições e esclarecimentos, podem contactar o Sérgio Reis através do telefone 918757462 ou com o Alfama pelo 917241638.

Tenho pena de não poder estar presente, por motivos de força maior, mas aproveito para vos convidar a participar, pois sei que vai ser um grande convívio, bons prémios, muita bebida e boa comida como manda a lei.
Apareçam pois vai valer a pena.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Captura de sardinha novamente proibida

Pescadores de Peniche e da Nazaré estão proibidos de pescar sardinhas a partir do meio dia de amanhã. A proibição foi comunicada pela Direcção Geral dos Recursos Naturais à Opcentro - a Organização de Produtores da Pesca do Centro. A decisão faz parte de Plano de Gestão da Pesca da Sardinha, que estabelece quotas anuais.

No mês passado, o Conselho Internacional para a Exploração dos Mares lançou um parecer científico que recomenda a redução da quota de pesca da sardinha na Península Ibérica para cerca de um décimo do que foi permitido este ano.
Ao que parece o pior ainda está para vir, se a sardinha já está cara para o ano vai estar muito mais cara, devido às medidas esperadas.
Na altura, o secretário de Estado do Mar mostrou-se surpreendido com a decisão e anunciou que ia pedir explicações sobre este parecer, que indica que no próximo ano o limite deverá ser de cerca de 1.600 toneladas em vez das actuais 16 mil toneladas.
Fonte: Peniche Online

Amigos pescadores de bóia, o melhor é começar a pensar mesmo em novas soluções para engodo, ou então mudar de tipo de pesca.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Esgravatando na lagoa

No passado sábado foi dia de ir até à Foz do Arelho, passar um dia diferente em família na Lagoa de Óbidos, local com muito encanto, bastante agradável, ideal para quem gosta de ir a banhos, pescar e estar esticado na toalha.
Este não foi um dia de pesca de cana, mas sim de mariscar em família, aproveitando uma maré grande de lua, fomos apanhar os típicos berbigões e algumas ameijoas.
Este é um ritual típico desta zona, muita malta de costas vergadas a esgravatar na areia, uns com ancinhos, outros apenas com as mãos como foi o meu caso, na busca de alguns bivalves para o petisco.
Como já à muitos anos que não ia para ali, fiquei surpreendido com as mudanças da lagoa, pareceu-me mais açoreada, menos funda, pelo menos do lado sul, no lado norte pareceu-me estar a ser dragado, outra coisa que me surpreendeu pela positiva foi a grande quantidade de berbigão, esperava pior.



Não exagerando, apanhei a minha cota, suficiente para o jantar e petisco no final do dia.
Se por um lado fiquei satisfeito pela positiva com a quantidade de vida na lagoa, contrariamente fiquei decepcionado com excessiva construção na zona envolvente à lagoa, muitas urbanizações, resort's e campos de golf ali construídos, devastaram muito do pinhal existente, onde costumávamos fazer o pic-nic de almoço.
O típico chapéu de praia à moda saloia não podia faltar  

Depois de almoçar foi aproveitar a tarde para esticar a toalha e ir a banhos.
Para abrir o apetite, deixo ainda uns petiscos feitos com o resultado da mariscada, de comer e chorar por mais.
Berbigão à bulhão pato.

Arroz malandrinho de berbigão.

Abraços a todos e boas férias para quem ainda as tem.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Penedo do Guincho cada vez mais pequeno

Para quem não conhece, o Penedo do Guincho é um dos ex libris na zona marítima Oeste, mais propriamente na praia de Santa Cruz.
O Penedo do Guincho, imponente pedra é uma atracão natural que se impõe na paisagem pelas suas dimensões e formato peculiar, ponto obrigatório de visita para foto da praxe. 
No passado dia 12 ficou mais pequeno, autoridades competentes e especializadas realizaram uma derrocada controlada, devido à eminente instabilidade de algumas pedras, que ameaçavam cair, foi uma intervenção sob orientação técnica, ajudando a natureza a acabar o que não acabou para beneficio do homem.
Aqui ficam umas fotos do acontecimento, registadas in loco do acontecimento.







Fotos: cortesia Srª Paula Rosa

O Penedo do Guincho ficou então mais pequeno, mas continua imponente e magnifico como sempre, um lugar magico. 

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Alguns peixes, cana partida e resultados

No passado domingo, dia 26 de Julho, após alguns meses de descanso, realizou-se a 4ª prova do campeonato de pesca da Bordinheira.
Correndo atrás do prejuízo, nada podia falhar, para não perder terreno para os principais adversários e tentar se possível recuperar alguns pontos para os lideres da geral.
Bastante motivado preparei uma estratégia diferente, de forma a perder o mínimo tempo, entre outros pormenores, como tentar gastar mais engodo, para tal levei 10kg de engodo já moído.
As previsões não eram animadoras, vento forte, mar algo mexido, com perspectivas de muito limo em suspensão, a maré não era do meu agrado, pois começaríamos a pescar já com 3 horas de enchente, coisa que não gosto muito, faziam prever um dia de pesca bastante complicado.
Como não fui ver o mar no dia anterior, a escolha do pesqueiro recaia para a zona sul, mais propriamente entre os Coxos e o Cavalinho, quando lá chegamos as condições eram contrárias ao esperado, mar calmo, aguas bastante abertas e sem sujidade, o vento soprava fraco, apesar disto decidi apostar ali na mesma.
Para começar apostei nos Guiões, obrigatoriamente apostei numa pesca ligeira, com fio 0,16mm e bóia de 3grs, umas colheradas da pasta de engodo no balde misturadas com areia, tudo bem misturado de forma a obter uma pasta bem consistente, para tentar abeirar alguns sargos junto das lajes e buracos onde a agua fazia feição.
Uns filetes de sardinha para isco a jeito e estava na hora de iniciar a pescaria, com muita corrente no primeiro spot, onde apenas fiz meia dúzia de lançamentos, fizeram-me andar uns metros mais á frente na laje e tentar procurar um local onde a agua se aguentava mais, escolha acertada logo no 1º lançamento ai, ferro um bom sargo, após uma boa luta, ele no saco, a grade estava safa.


Nos lances seguintes mais 2 toques sem conseguir ferrar, mas depois deixei de sentir peixe, o vento começou a soprar com bastante intensidade, encostei-me então ao meu pai na ponta da laje, agua muito calma, engodei bem para ver se entravam umas tainhas e até consegui apanhar uma, como não via nem sentia mais nada a não ser uns cabozes, optei por ir procurar o peixe mais para norte.
E se o procurei, em cima dos lajões com aguas mais baixas e oxigenadas, em zona de concentração de limos, no final dessas lages, onde o engodo ia todo parar, por norma o peixe gosta de andar a procurar comida e abrigo nesses mesmos limos, mas nada de sargos a não ser umas sarguetas devolvidas e uma tainha que andava por ali perdida.
Procurei na extremidade contraria da concentração dos limos, no meio das pedras na rebentação, mas sem resultado, pensei então voltar para o pesqueiro inicial, vou para ir buscar o balde de engodo e escorrego numa pedra, caio desamparado de cana na mão, fisicamente não me aleijei, levanto-me olho para a cana e aparentemente estava boa, apenas tinha saltado a porcelana da ponteira, menos mal pensei eu.
Um bocado dorido dos ossos, pego no balde e vou pensando para com os meus botões, isto hoje não está fácil, nada mesmo!!!!
Agarro então no resto das tralhas e volto para o pesqueiro inicial, mas antes de fazer novo lançamento agarro no fio para ajustar a altura da bóia, nisto oiço estalar, olho para a ponteira e já era, tinha ficado ofendida na queda e acabara de se partir, não queria acreditar, logo a minha cana de eleição, cum catano....
Agora não valia a pena estar a lamentar-me, desmonto a cana, mudo o carreto para a outra coloco uma bóia de 5grs, um pouco mais pesada para ajudar a segurar mais tempo na agua, e volto a pescar na companhia do Sérgio, apanho logo 2 peixes seguidos, 1 sargo e uma safia e perco outro que levou o anzol.
Depois de perder este peixe, fiquei um tempo sem sentir nada, já nos momentos finais consigo tirar mais 2 sargos, estava a pesca feita com 7 peixes 5 sargos e 2 tainhas, não era animador mas devido às difíceis condições podia ser que os meus adversários mais directos, tivessem feito pior.
Na entrega do peixe deu para ver que não havia grandes pescas e que até não tinha corrido assim tão mau.
Esta prova foi ganha pelo João Rodrigues com 143200pts, dou os meus parabéns pois homem está num grande momento de forma e anda de mão bem quente nos sargos.
Em 2º lugar ficou o David Forcada com 12910pts e consolidou a primeira posição da geral, deixando a concorrência para trás, ficando agora isolado.
Em 3º lugar a fechar o pódio ficou o Nuno Pereira que sacou um grande sargo 1,140kg, sem duvida um exemplar de registo, pena estar magro, devido a um anzol já velho que trazia ferrado na guelra, com o fio já com limo já a sair pelo rabo, vejam à quanto tempo é que aquilo já ali andava, totalizou assim 9180pts.

Apesar da pescaria não me ter corrido bem ainda fiquei em 4º lugar com 8970pts, encurtando distancia para alguns adversários de peso, mas perdendo mais 2 pontos para o actual líder da classificação David Forcada, está neste momento com 10pts de vantagem, nada que não se recupere, mas a tarefa não será fácil.
Ainda a faltar 6 provas, à muita luta pela frente, animada como a malta gosta, vamos esperar pelos próximos episódios, para tentar dar um pontapé na crise de vitórias, caso corra mal as amizades e bom convívio é coisa que nunca falta nesta casa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...