Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia, e as minhas pescarias na região Oeste e não só.

Seguidores

sexta-feira, 18 de Abril de 2014

Patrocínios aceitam-se

No dia 11 de Maio vai realiza-se o 10º grande Convívio de Pesca da A.D.R.C da Bordinheira, um dos mais concorridos e conceituados da Zona Oeste.
Como faço parte da secção de pesca também tenho de dar o meu contributo na ajuda para angariar patrocínios, que podem ser troféus, material de pesca, entre muitas outras coisas.
Este ano não o consigo fazer como desejava, pessoalmente junto das instituições ou empresas, pois trabalho durante toda a semana longe de casa, que torna essa abordagem impossível.
Assim utilizando os meios de comunicação possíveis o Blog Pesca de Cana, e a minha pagina no Facebook para tentar arranjar alguns patrocínios, todos sabemos que está mau para andar, mas baixar os braços não é a minha politica e o não está sempre garantido.
Assim quem estiver interessado em oferecer algo, e claro está divulgar o seu estabelecimento, poderá entrar em contacto comigo.
De salientar que a colectividade passa recibos no valor dos donativos, dedutíveis no IRS.
Aproveito ainda a oportunidade para fazer o convite, venham e tragam um amigo pois será certamente um dia muito bem passado, numa terra que gosta e sabe bem receber.
Para inscrições ou esclarecimentos, contactar o 261392200 ou 918204840.
Obrigado pela atenção.

quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Até na pesca já existe doping!!!

Este foi mais um fim de semana de competição, desta feita fora de portas, uma jornada na península de Peniche, para participar no concurso do Independente, onde estiveram presentes 160 pescadores.
O mar estava com boas condições para a pesca, mar calmo, 1,5mts sem vento, fazia prever fartas pescas.
Logo pela manha paragem obrigatória no Alto Foz para beber um café e delinear estratégias, uma rápida visita aos pesqueiros, e antes da prova o nosso medico de equipa distribuiu o doping pelos nossos atletas para melhorar os rendimentos he he he, e curar algumas gripalhadas, as rápidas melhoras Paulo.
Depois do sorteio arrancamos para o mar, o pesqueiro escolhido foi Porto Batel, perto de São Benardino, a ideia era tentar dar em força com as salemas, pescas montadas com fio um pouco mais grosso que o habitual, 0,20mm e uma bóia de 3 grs, o obrigatório engodo de sardinha, e para isco sardinha e limo.

Logo nos primeiros lances senti peixe, mas estavam a comer mal, pouco depois tiro uma tainha e uma salema, o mar não deixava aguentar a bóia onde as aguas estavam mais mexidas e fui obrigado a mudar de caneiro.
Ando mais uns caneiros para norte e engodo novamente, isco com sardinha e logo no 1º lance tiro uma salema, mudo logo o isco para limo e ferro mais 2 seguidas que não quiseram vir, uma desferrou e a outra cortou, meto um anzol de pé comprido e tiro mais 3 salemas, a maré sacudiu-me da lage e tive de recuar, deixei de sentir peixe.
Com grande fé que elas iam entrar em força no pesqueiro com o subir da maré, faço uma engodagem forte na ponta do caneiro, junto à terra, para tentar coloca-las no pesqueiro de novo, mas elas não corresponderam à chamada como mais desejava, lá foi aparecendo uma ou outra.
Na ultima hora e meia de prova as salemas deram lugar uns sargos palmeiros que entraram em força no pesqueiro, o peixe estava bastante difícil, andava a comer muito mal, tipo garfo e faca, entre muitas ferragens falhadas e bastante peixe a desferrar ainda consegui compor a pesca com uns sargos, no final tinha na lata 25 peixes, 8 salemas, 1 tainha e 16 sargos(4 dos quais não pesaram por não terem 200grs).
Depois das pesagens e da barriga bem aconchegada com uma boa grelhada de carne, regada a preceito era hora de saber das classificações, esta foi mais uma jornada com muito peixe como é habito em Peniche, a prova foi ganha pelo Miguel Fastré da G.A.P Magoito com 230 tainhas, no total 67,850 kg totalizando 67850 pontos, para ele os meus parabéns.
Em 2º ficou o Carlos José do Núcleo Sporting de Peniche com 58750 pontos, a fechar o pódio ficou o João Fastré  da G.A.P Magoito, com 58200 pontos.
Eu acabei num modesto 29º lugar com 23650 pontos, nem doping consegui ganhar he he he, mas deu para trazer uns bons sarguinhos para casa.
Foi mais um dia de pesca muito bem passado, dando alento para mais uma dura semana de trabalho.
Abraços a todos e bons lances.

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

Convívio de pesca no Varatojo

No passado domingo realizou-se mais um grande convívio de pesca no Varatojo, um dos mais conceituados no concelho de Torres Vedras, contou com a participação de 160 pescadores.
Contamos com a ajuda do bom tempo e um mar bastante aceitável, que ajudou na realização de boas capturas.


Obviamente não podia faltar, e tentar uma farta pescaria, a jornada foi preparada e estudada como sempre, o pesqueiro escolhido ia ser o Porto Chão, mas devido ás alterações nas condições do mar durante a noite, optei por descer na Ursa, fazer ai as primeiras horas de pesca e depois ir andando para norte ao encontro do meu pai.
A ideia era tentar umas salemas à bóia no buraco da Ursa, ou algumas tainhas, mas mais uma vez este pesqueiro não respondeu às expectativas(este é um pesqueiro a por de lado, muito bom aspecto, mas muito incerto no que toca a peixe), e na 1ª hora e meia a lata estava vazia, nem salemas, nem tainhas, apenas uns sargotes devolvidos e uma tainha que se desferrou.
Passei então para o plano B, ir caminhando para Porto Chão para tentar safar a grade, faço outro pesqueiro mesmo em frente à descida, mas foi mais um furo, a lata continuava vazia, a maré já descia, deixando as pedras perto do penedo do Zé Russo mesmo no ponto ideal para lá ir.
Mudo-me para lá e fico a pescar ao lado do meu pai e do Fausto, com um mar sargalheiro a prometer tiro 3 praticamente seguidos, mas foi sol de pouca dura, e depressa acabou o bom ritmo.
Sem sargos no pesqueiro tive de voltar-me para as tainhas, que não estando em fartura foram aparecendo e compondo a pesca, no final da prova tinha na lata 13 peixes, 9 tainhas e 4 sargos, uma pesca um pouco aquém das expectativas, mas isto na pesca é mesmo assim, nem sempre à rabo de sardinha.
Depois do trabalho feito era hora de descansar e forrar o estômago, com uns queijos frescos e uns apetitosos pipis, com o bom pão saloio, a puxar umas cervejinhas, enquanto se realizava a pesagem.
A festa continuou, e acabamos de forrar o estômago com uma saborosa feijoada, bem regada claro está, era hora de sabermos as classificações e entrega dos prémios.
Em primeiro lugar ficou o Nelson Inácio da G.A.P. Magoito, bem destacado com 28800 pontos, foi o pescador com o maior nº  de exemplares, com 25 peixes capturados na sua maioria tainhas e salemas, para ele os merecidos parabéns.
Em 2º ficou o José Dias da A.PE.CA.CO com 23100 pontos, foi o pescador que apanhou o maior exemplar da prova, um bonito robalo de 3,600 kg pescado à bóia, um belo peixe.
A fechar o pódio ficou o Vítor Bertolo também da G.A.P Magoito com 20660 pontos.
Eu ainda consegui um 17º lugar, por equipas ganhou a Bordinheira e por clubes a G.A.P Magoito, mas o dia ainda não tinha acabado, faltava ainda parar na Bordinheira, para dar cabo do leitão assado que calhou nas rifas a um pescador do clube.
Foi mais um dia de pesca e convívio de alto nível, este fim de semana voltamos a repetir a dose, mas desta feita  no «Independente» de Peniche.
Um abraço a todos o bons lances.


sábado, 5 de Abril de 2014

E peixe?Podemos tirar?

No quintal(São Lourenço) dos amigos João e Hélder Luca,  as regras estão bem claras e visíveis logo à entrada numa caricata placa.


Então e peixe?Podemos tirar ou não?
Tem de definir melhor essa situação, assim a malta que lá vai pescar fica com duvidas, he he he....
Um abraço a todos e bons lances

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

No dia em que mudou a hora!!

No passado domingo realizou-se o já habitual convívio de pesca da matança porco na Bordinheira, este é mais um dia de festa nesta colectividade, onde temos um enorme prazer de convidar e receber todos os amigos da pesca e da colectividade, para desfrutarem de um dia de pesca diferente, de muita amizade e acima de tudo da boa e típica comida da matança do porco.
Como de costume fiz questão de participar e ajudar na matança dos porcos no dia anterior, mesmo sem grande tempo disponível lá dei um saltinho, esta é para mim uma das partes mais importantes e animadas na organização deste convívio. 

A 2ª parte vem no dia seguinte, a pesca propriamente dita, a almoçarada bem como o convívio.
A aventura começa agora, como mudava a hora de sábado para domingo, antes de me deitar fiz questão de mudar a hora antes de me deitar, ou seja atrasei uma hora no relógio e no telemóvel, coloco o despertador para as 5 da manhã para tomar o pequeno almoço e arrumar o material tudo nas calmas, apanhar boleia do meu pai ás dez pás 7 e fui dormir descansadinho.
Toca o despertador, levanto-me bem ensonado e começo a vestir-me, «Mas que horas são?» pergunta-me a minha Maria, «São 5 horas» digo eu, olha que no meu telemóvel já são 7 horas, diz ela, vou até à cozinha e na televisão confirmo que eram mesmo 7 horas, fo#"$se, ca##!$o estou mega atrasado, em vez de adiantar o reógio, tinha atrasado uma.
Sem tomar pequeno almoço, arrumo as tralhas, canas, baldes, engodo e isca, visto o fato neoprene a correr e saio de casa, já o meu pai estava farto de esperar, se há coisa que detesto é começar o dia de pesca em correria, atrasado e ainda por cima fazer os outros esperarem por mim, não podia ter começado da pior maneira, que stress.
Cheguei à concentração praticamente na hora de ir para o mar, nem deu para falar com a malta conhecida, apenas combinei com os meus companheiros de jornada o Gonçalo Santos e o Hélder Luca onde íamos pescar.
Com o rumo traçado lá fomos, o dia chuvoso não animava muito, Porto Chão era o destino, a descida sinuosa e um pouco escorregadia devido à chuva, foi tarefa difícil na estreia dos meus colegas neste pesqueiro, mas conseguimos chegar ao mar, que estava do meu agrado, um pouco mexido, boa cor e maré vazia, tudo ao jeito para uma boa jornada.

Montamos as pescas, o Gonçalo e o meu pai foram mais para norte pescar à chumbadinha, eu o Hélder fomos para a nossa pesca de bóia, o objectivo deste dia não era ganhar, mas sim tentar com que o meu discípulo/aluno ganhasse.
Para quem não sabe, o Hélder é um grande amigo que fiz graças a umas pequenas dicas que lhe dei quando um dia o encontrei a pescar nos Coxos num final de tarde, nunca me vou esquecer, essas dicas surtiram efeito imediato, ele apanhou uma carrada de carapaus e cavalas num instante.
Ele já pescava, mas faltava aqueles pequenos e simples toques que fazem toda diferença, tais com iscar correctamente com sardinha, os anzóis mais propícios e uma bóia mais ligeira, combinamos depois muitas mais pescarias, e ganhei ali um amigo daqueles muito especiais.
Aproveito para deixar um pensamento para aqueles pescadores que se julgam os supra sumo da pesca, se fecham em copas e tem medo de ensinar o que aprenderam, nem sabem o que perdem por serem assim, podem perder amizades destas.


Mas voltemos à pesca, preparo o pesqueiro e toca de por as bóias de molho, depressa o peixe deu sinal, foram saindo uns sargos jeitosos e alguns peixes a desferrar, uns para mim outros para o Hélder, dando eu sempre prioridade ao aluno e ajudando nas suas capturas, hoje era o seu dia e ele estava de mão quente.
A pesca estava bastante animada com bom peixe no pesqueiro, e uma ou outra salema e tainha fomos compondo o ramalhete, com o encher da maré fomos obrigados a recuar e os sargos deixaram de picar, apenas eu fui tirando umas tainhas, o meu pai e o Gonçalo iam semeando chumbadas no mar, era umas atrás das outras.
A prova caminhava para o final, a chuva que caiu copiosamente, ia-se intensificando, peguei no balde de engodo e fui para norte onde ainda apanhei um robalo jeitoso, de repente começa a chover um aguaceiro acompanhado de muito vento, de tal maneira que deixamos de pescar, a agua era tanta que corria em cascata pelas arribas em direcção ao mar, esbarrentando de imediato as aguas, a pesca estava feita.
Devido ao mau tempo mau tempo não deu para tirar fotos do peixe no pesqueiro, mas em casa tirei apenas ao meu peixe, as tainhas e salemas não aparecem.
Arrumamos as tralhas pois tínhamos uma complicada tarefa pela frente, subir em segurança a arriba de Porto Chão, enlameada e escorregadia daquela maneira não ia ser nada fácil, eu estava a vontade, mas os principiantes no neste pesqueiro não, o meu pai subiu aqui, e depois foi de carro ao nosso encontro.
Para fazer a subida de forma segura pensei em subir mais a sul na Ursa, a chuva já abrandara mas o terreno esta perigoso, eu tinha a responsabilidade de os tirar dali sem ninguém se aleijar, vou andando até lá, mas quando lá chego a maré já não permitia passar até ao inicio da subida, ja transpirava por todos os lados, tive de passar a um 3º plano, uma subida alternativa a meio caminho(Vale D´asma) foi a solução.
Carregados com as tralhas lá fomos subindo, fui dando as indicações para subir da melhor maneira, a longa e íngreme subida fazia moça, finalmente chego lá acima, pousei as minhas tralhas e volto a descer até meio caminho para ajudar o Hélder que já estava de rastos, meto a mochila pesadíssima dele às costas e com esforço acabamos todos a escalada, objectivo comprido, bastante  enlameados e exaustos chegarmos ao carro todos sem ninguém se aleijar, mas que aventura esta!!!
Este ano contamos com 180 participantes no almoço, 96 dos quais pescadores, a chuva intensa e mar forte que, inevitavelmente, produziram umas dezenas de "grades", produziram também uma vontade enorme de chegar á mesa "das entradas" e depois, com mais calma, à refeição completa, que até tinha duas qualidades de sopa à escolha,  também foram servidos dois pratos diferentes, serrabulho e porco do espeto com arroz e batata frita, não podiam faltas as cagarraças(filhós doce feita com sangue do porco), e variados doces para sobremesa.
Num dia de muitas grades e onde a classificação não era o mais importante o pódio ficou da seguinte maneira, em 1º lugar Paulo Marques, com um sargo e  21 salemas, pescadas inevitavelmente no Cavalinho, totalizou 23700 pontos, para ele os meus parabéns.


Eu acabei por ficar em 2º com 15750 pontos, e a fechar o pódio ficou o meu aluno Hélder com 14540 pontos, que se portou muito bem, não fosse o robalo tirado a acabar tinha dado porrada no professor.
De referir a participação de duas senhoras, a pescadora Cátia e uma "pescadora" iniciada, Joana, que perante as dificuldades do tempo e do mar não obtiveram capturas, mas foram igualmente agraciadas com uma recordação do evento, prémios entregues pelo sr Silvino, representante da Silfesan, patrocinador oficial da secção de pesca da Bordinheira para a temporada 2014.




Este foi um dia onde a animação, comida, bebida, e amizade não faltaram, onde penso que todos saíram satisfeitos, pelo menos essa foi a nossa intenção.
Não posso deixar de agradecer a todos os participantes, e a todos que ajudaram para que fosse possível realizar este evento, uma grande equipa, que mais uma vez esta de parabéns.
Fica já feito o convite para todos os pescadores participarem dia 11 de Maio, no nosso concurso anual de pesca, venham e tragam um amigo, que este ano vai ser de arromba, a secção de pesca completa  10 anos.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...