Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

terça-feira, 30 de julho de 2013

Um concurso do Car...inho ou do Car...ão

Boas caros leitores e seguidores mais assíduos deste espaço, antes de mais quero pedir desculpa pela ausência algo prolongada devido a férias, em que fiquei sem acesso à net, assim sendo não pude actualizar o blog, vou relatar agora uma aventura com algumas semanas.
No domingo dia 7 de Julho realizou-se no Chão de Parada, concelho das Caldas da Rainha mais um concurso de pesca organizado pelo grupo «Filho da Escola», onde compareceram cerca de 90 pescadores.
O tempo de verão fez-se sentir, com temperaturas bem elevadas, com o mar manso e com aguas lusas, o que dificultou a tarefa aos pescadores na captura de algum peixe.
O pesqueiro escolhido foi os «Vatos», apesar de ter ido com o meu pai e com o Artur, partilhei o 1º pesqueiro com o colega de equipa o João Petinga.





Como o mar estava parado e com aguas abertas, optei por pescar bem fino, utilizei fio 0,135mm e uma bóia de 2 grs, a ideia era apanhar umas tainhas que entrassem nos caneiros na maré baixa.
As tainhas eram poucas e pequenas, ainda assim consegui tirar algumas na 1ª hora de pesca, com a maré a dar a volta, subi a bóia para tentar uns sargos ou alguma salema que por ali andasse.
Sem sinal  de peixe de jeito e  porque não tenho grande paciência para tainhas de 100grs, fui á procura do peixe, primeiro para norte, fazendo vários pesqueiros e apanhando um ou 2 peixes por cada, depois para sul   também tentando em vários pesqueiros com o mesmo resultado, no final a pescaria não estava famosa, mas foi o possível, no total 17 peixes, 2 sargos 4salemas um bodião e 10 tainhas, ainda perdi alguns peixes que cortaram a linha na maioria salemas.
Depois da faina a dura subida da arriba e caminhada para o carro com o sol a apertar, muita dureza.
Depois da pesagem, teve lugar o almoço, bem regado pois o calor assim obrigava, depois de realizada a pesagem do peixe, e realizadas as classificações teve lugar a entrega de prémios.
Em primeiro lugar ficou o Jorge Carvalho, do Independente de Peniche com 20550 pontos, para ele os meus parabéns, em segundo ficou o Jorge Sobreiro e a fechar o pódio Mário Alves ambos do Independente, que dominou por equipas e por clubes alcançando os lugares cimeiros, fazendo uma festa do car..hão.



Eu acabei num modesto 32º lugar com 7100 pontos, e não vim para casa de mãos a abanar, pois tive como prémio um típico material das Caldas, um caralhinho XS em loiça. 
Foi um convivido bem animado onde muitos ficaram bem servidos de loiça pois os tamanhos das loiças eram XL, uns enormes car...ões .


 Resta-me dar os parabéns à organização pela prova, pois proporcionou mais um agradável dia de pesca e de muito e bom convívio  

sábado, 6 de julho de 2013

Qual grande exemplar, qual quê!!!

Este passado fim de semana dediquei o meu tempo de pesca ao meu fiel aprendiz, e fomos os 2 passar umas boas horas no mar para mais uma aula de pesca.
E que grande jornada foi esta, apesar de muito peixe capturado a maior parte foi devolvido pois não tinha medida, mas uma coisa vos garanto, que apesar de não ter pescado, foi dos dias que mais satisfação me deu nos últimos tempos, a ligação perfeita, só eu e o meu filho, com uma imensidão de um oceano pela frente, partilhando um gosto e vicio comum por este apaixonante desporto que é a pesca.
Qual grande exemplar, qual quê!!!Nem a vitória mais gloriosa de um grande concurso ou de campeonato me deixa tão orgulhoso e quase sem palavras para descrever o que senti neste dia.
Isto foi o que sempre desejei, ter um filho que gostasse da pesca, e agora ver o interesse e devoção, a dedicação e principalmente a sua evolução quando está de cana na mão, deixa-me um turbilhão de fortes emoções que me preenchem por completo, e me fazem voltar atrás no tempo e relembrar-me dos meus primeiros passos na pesca.

Revejo-me na pele do meu filho e no pensamento do meu pai e meu mestre, e tenho a perfeita noção que ele sentia e sente o mesmo, deve estar orgulhoso por ver que a dinastia lhe segue as pisadas, com as lições sábias que nos deu e ainda vai dando, em especial ao meu juvenil.
Vou deixar-me de lamechices, e vamos ao relato.
O pesqueiro escolhido foi a Ursa, perto de Cambelas, eram 10 da manhã e toca de descer a arriba, material montado, pesqueiro engodado e ai está ele em acção, de cana em riste, pouco tempo depois, cana vergada, forte combate e peixe cá fora e ele a vibrar, uma grande salema, a maré descia e pouco depois uma pequena tainha, insistimos mais mas nem mais um toque.

Depois de uma pequena pausa para comer uma sandes que a fome apertava, diz-me ele, vamos procurar noutro sitio, e fomos andando para norte em direcção a Porto Chão, continuamos a andar pois o pesqueiro não estava a agradar, e fomos parar à Foz.
Fomos pescar na laje de Gentias no «pesqueiro da mesa», ai tinha algumas condições além do bom piso para ele trabalhar.

O peixe entrou em força mas miúdo, muitas sarguetas algumas tainhas e até um perigoso peixe aranha, eu além de engodar e iscar fiquei a apreciar maravilhado o artista a trabalhar, ele lançava, ele esticava o fio para dar o toque de ferragem, ele tirava o peixe e deitava-o ao mar, ele pulava de alegria, e se eu sei o que estava a sentir!!!
São estes momentos que guardamos para toda uma vida, nostalgias eternas que ficam para sempre.
Perto das 4 da tarde finalizamos a pescaria, ainda rendeu 5 grandes peixes(do ponto de vista dele), que levou para mostrar orgulhosamente à mãe e contar todos aqueles pormenores da jornada que nos fazem sonhar, tipo, o peixe fez isto e aquilo, eu depois fiz assim e assado...etc, todas aquelas coisas de pescador,vocês sabem do que falo.
Mas a jornada ainda não estava terminada, faltava subir a arriba e caminhar cerca de 2kms até ao carro. 
No caminho para o carro eu ia pensando, sais mesmo ao pai, tens um espírito de sacrifico e aventura bem vincado, qual geração Mcdonads e PlayStation, qual quê, ele gosta é de ar puro do mar e do campo.
Já exausto depois de uma grande jornada chegamos ao carro, mesmo assim não adormeceu durante o caminho pois a adrenalina continuava em altas e não o permitia.
Este post é diferente e um pouco sentimentalista, mas sabe tão bem demonstrar o que senti e como me deixou extremamente satisfeito, deixo um pequeno video com o resumo do dia .
Um grande abraço e grandes jornadas de pesca.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Vamos dar o exemplo!!!

Este fim de semana fui dar mais umas aulas de pesca à bóia ao meu juvenil, o dia foi bastante produtivo de peixe miúdo e sem medida, ideal para ele aprender mais uma importante lição, que devemos cumprir a lei e respeitar as medidas mínimas de captura, dando o exemplo para que todos o façam assim foi basicamente uma sessão  C&R.


Vamos passar a palavra para que a pesca tenho um futuro sustentável e risonho, e para que as gerações vindouras possam passar agradáveis momento junto ao mar á pesca.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...