Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Melhor mas pouco!!!

Pois é com o aproximar de inicio de temporada à que ir aos treinos foi o que fiz neste ultimo domingo, decidi mudar de ares e fui até à praia de Cambelas, visto que na ultima  jornada as coisas não terem corrido nada bem no que toca a peixe.

Depois de um casamento no sábado aproveitei para queimar umas calorias e fazer uma pesca de procura, varrendo mais ou menos 2kms de costa onde fui batendo vários buracos para tentar apanhar alguns sargos.
Com a maré cheia por volta das 10 horas e o mar mexido e com boa cor pareciam estar reunidas as condições para dar uns peixes, no primeiro pesqueiro que faço tiro 2 sargos e uma tainha de kilo, tiro mais alguns sargotes e robalotes todos devolvidos ao mar, peixarada miúda que desiscava tudo, entretanto chega o Malaquias( meu companheiro de equipa) que ficou a pescar ali perto de mim.
Insisto mais um pouco no engodo mas o peixe não dava sinais de andar por ali, nem eu, nem ele, nem mais meia dúzia de pescadores que por lá estavam não tirávamos nada.
Decido por-me ao caminho e fui experimentando aqui e ali mas a realidade é que o peixe não anda abeirado e por mais que andasse o resultado seria o mesmo um ou outro peixe solitário que anda por ali e muita raia miúda a desiscar, apenas mais um sargo em vários pesqueiros feitos.
Apesar de tudo ainda deu para me divertir a apanhar alguma coisa para o jantar e dar cabo da maquina fotográfica pois após tirar a foto com o resultado final da pescaria escorreguei nos limos e cai partindo a maquina fotográfica( lá se vão os relatos das jornadas com alguma qualidade fotográfica ), podia ter sido pior pois podia ter partido o braço na queda, abre os olhos que já é dia!!!!!
Este verão está muito fraco de peixe e não sou só eu a queixar-me, pois em conversa com a malta todos se queixam do mesmo «Não à peixe nenhum!!!», aguardamos por dias melhores.

sábado, 25 de agosto de 2012

1º Convívio de pesca do A.C.D.R dos Arneiros

Pois é pessoal amigo  a após alguns meses de descanso está ai à porta o início de uma nova temporada dos concursos de pesca.
Venho por este meio convidar todos a participar no 1º grande convívio de pesca  A.C.D.R dos Arneiros(São Mamede da Ventosa) no litoral do concelho de Torres Vedras, este concurso tem como objectivo angariar fundos para a colectividade comprar uma carrinha de transporte para os atletas, nomeadamente para a equipa de futsal  feminino, que irá ajudar na organização servindo ás mesas o esmerado e farto almoço que certamente nos espera.
Será certamente um dia  muito bem passado, venham e tragam 1 ou mais amigos para participar, e no final do dia vão ver que valeu a pena e que o resultado da pescaria foi o menos importante.

Um abraço e espero contar com a vossa presença.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Mas que noite!!!!

Como tempo que dispunha para a pesca diurna este fim de semana era praticamente nulo optei  por fazer uma noitada de bóia na companhia do amigo Hélder.
Como me tinha safo na Foz do Lizandro no fim de semana anterior, e tinha gostado do aspecto do pesqueiro no canto norte da praia, foi o spot escolhido para inicio da pescaria apesar de não ter visto o mar.
Por volta da meia noite arrancamos, o meu objectivo inícial era tentar apanhar algum robalo pois fazia num bom agueiro com fundo de lage e areia, preparo uma pesca mais grossa que o habitual com fio 0,235mm e uma bóia de 12grs com um anzol generoso com iscadas abastadas de lombos de sardinha.
Vai de lançar e depressa nos aprecebemos que o pesqueiro tinha algum limo em suspensão que atrapalhava bastante a pesca, principalmente a do Hélder que tinha optado por pescar à chumbadinha, apesar disso ainda insistimos um bom bocado no local com engodagem grossa para ver se aparecia alguma coisa.
Mas ali a unica coisa que nos apareceu foi um magnífico fogo de artifício da festa da Ericeira que foi lançado em cima do pontão de pesca e que nos proporcioñou o momento da noite, maravilhoso estar a pescar e assistir ao fogo de artifício, «Agora só faltava aparecer um grande robalo para completar o momento unico» dizia eu ao Hélder.
Ainda andamos mais um pouco para norte mas o peixe não colaborou e o limo era demasiado e decidimos mudar de zona e rumamos para a praia da Empa (mais conhecido por César) para completarmos a nossa jornada.
Desta feita mudando as artes para os sargos, com uma pesca mais ligeira pois o pesqueiro assim pedia.
Engodo o pesqueiro e monto nova arte, ao 1º lançamento tiro logo este sargo e penso eles estão ai, mero engano, apenas sairam umas miniaturas de sargos e robalos tudo devolvido ao mar. 
Já ao amanhecer ainda tentei uns lances ao spinning mas a noite era para esquecer, apesar das boas condições do mar com aguas abertas mas agitadas e bem axigenadas na rebentação o peixe não apareceu, parece mentira como pode?
Aqui fica a imagem do meu grande camarada de pesca com um ar bastante desolado e um pouco cansado( e eu também, estou a ficar velho para grandes maluqueiras!!!!) pois nem um peixe conseguiu apanhar, mas amigo vão haver mais marés e com melhores resultados certamente.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Morte Lenta

É com grande tristeza que vejo isto acontecer na praia da Foz do Sizandro na minha praia de infância.
Eu sou do tempo em que o rio Sizandro era um autentico esgoto a céu aberto onde não existiam peixes no rio bem como praticamente nenhuma vida, mas graças ao excelente trabalho realizado pela câmara municipal de Torres Vedras onde foram criadas todas as infraestruturas para tratamento dos esgotos e águas residuais bem como a limpeza das linhas de água, há meia dúzia de anos atrás o rio voltou a ganhar vida com alguns peixes principalmente tainhas a subirem rio acima até à cidade de Torres, no inverno a foz do rio encontra-se aberta o que permite que entrem várias espécies de peixes nomeadamente robalos, tainhas,linguados e solhas que ali fazem a desova, é um aquário para os peixes juvenis.
Com o avançar do verão a foz  do rio fecha e com a diminuição do caudal provocada pela pouca ou nenhuma entrada da água do mar com a agravante de também não vir água do lado da nascente que é aproveitada pelos agricultores que constroem diques  para regas das hortas  o oxigénio começa a faltar aos peixes, provocando a sua morte por asfixia.
Neste momento a câmara municipal estima que existam mais de 80 toneladas de peixe que estão em risco de morte, assim estão a ser efectuadas operações que tem em vista a oxigenação da água através de moto-bombas que transferem água do mar para o rio como é possível ver na reportagem do jornal da TVI24(http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/peixes-sizandro-rio-seca-tvi24-ericeira/1366461-4071.html).


Com todo este esforço tem conseguido manter os peixes vivos, mas mesmo assim aparece um ou outro que acaba por sucumbir, esperemos que o mar ajude e embraveça para que se consiga abrir o rio e os peixes possam regressar ao mar.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Após 4 semanas de ressaca

Após a lesão no pé que me impediu de pescar nas ultimas 4 semanas ficando a ressacar por falta de pesca tinha de tirar a barriga de miséria e sentir a cana a vergar.
Depois da pescaria de spinning nocturna com o Nuno Sousa na manhã seguinte era dia de ir com a família e um casal amigo fazer praia, como não tinha tinha ficado saciado de pesca decidi levar meia dúzia de sardinhas para isco e 2 kg para engodo para fazer uns lances enquanto o pessoal ficava a banhos na praia.
Fui até à praia da Foz do Lizandro que é ideal para levar a família pois tem bom acesso e dá para pescar.
O mar estava de senhoras e as perspectivas não eram elevadas, decido ir para o lado norte da praia pescar nuns carreiros onde a água mexesse um pouco e fizesse uma branca.
Engodo o pesqueiro e vou montar a cana com uma pesca ligeira pois o mar assim o pedia, pesca na água e tiro logo um sargote, depois tranco uma Salema que partiu, tiro alguns peixes aranha e mais alguns sargotes pequenos que devolvo ao mar , deixo de sentir peixe e vou um pouco mais a norte onde tiro mais um sargo, insisto um mais um pouco carregando no engodo mas nada feito.
Volto ao 1º pesqueiro e passo para cima do pequeno pontão, e vou mesmo até à ponta e reparo que existia bastante limo solto depositado no fundo e algum em suspensão, mas com a particularidade de estar concentrado e não espalhado por todo o pesqueiro devido ao mar ser manso, olho melhor e pareceu-me ver peixe a virar mesmo no meio do limo, e penso vou por algum engodo e tentar.
E não é que era mesmo ai que o peixe andava possivelmente a comer bicharada que andava no meio do limo ou então estavam apenas refugiado nele, o que é certo é que em uma hora compus a pescaria, no total foram 15 sargos palmeiros bem gordinhos.



 Deu para atenuar um pouco a ressaca, agora no fim de semana que vem passo à 2ª fase do tratamento da ressaca.        

domingo, 12 de agosto de 2012

Spinning com o mestre Nuno Sousa

Já fazia algum tempo que andava a tentar combinar uma pescaria ao spinning com o Nuno Sousa, que é seguidor assíduo do meu blog, e que apesar de morarmos relativamente perto e pescarmos em zonas comuns não o conhecia.
Combinada a pescaria para a madrugada de sábado lá fui eu bastante entusiasmado na expectativa de poder aprender alguma coisa mais com alguém que domina a pesca ao spinning, poder apanhar algum robalo e ainda conhecer pessoalmente mais um seguidor e possível companheiro de futuras jornadas.
O local escolhido para tentarmos a sorte foi a praia da Mexilhoeira em Santa cruz, o ponto de encontro foi no pesqueiro pois eu só podia ir depois do jantar já de noite e o Nuno foi um pouco mais cedo para fazer o cair da noite( a hora sexy).
Estavam reunidas todas as condições para uma boa pescaria, o mar brutal, sem vento e a companhia de um novo colega, desço então a arriba e vou ao encontro do Nuno, quando cheguei ao pé dele a perguta do costume «Então alguma coisa?», e como não tinha dado nada estivemos ali um bom bocado na conversa e a trocar algumas ideias, depois voltamos a varejar na esperança de dar com eles.
Lance aqui, lance ali e mais uns dedos de conversa e nem um único toque de peixe, fomos tentando ao longo da praia mas nada.
Já a noite ia longa e a maré já vazava e eu digo ao Nuno e se fossemos lá abaixo à malhada? Tinha lá  um bom fundo no fim de semana passado pode ser que ande lá algum!!!!
Lá fomos trocando de amostras e fazendo mais alguns lances e trocando mais algumas opiniões também, chegados à malhada o Nuno logo ao 1º lance tira um bom robalo de 2kg que acabaria por ser o único da noite, ainda tentamos mais um bom bocado mas era filho único.


Apesar de não ter apanhado nada foi uma pescaria bastante positiva em que conheci mais um bom companheiro de pesca, aprendi algo mais e ficaram combinadas mais algumas pescarias. 

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Um esforço Inglório

No passa do dia 28 de Julho deu à costa na praia Azul no concelho de  Torres Vedras um pequeno cachalote pigmeu, este encontrava-se vivo mas com alguns ferimentos devido a possiveis embates nas rochas.

O cachalote foi encontrado por um grupo de surfistas que o mantiveram com algum custo na água e registaram o momento até à chegada das autoridades que o levaram para um centro de recuperação na Figueira da Foz.
O animal acabou por morrer 24 horas depois, após a aotópsia concluiram que tenha morrido devido à ingestão de plasticos, foi pena pois o esforço realizado por todos merecia um final feliz.
Quero apenas deixar um pensamento no ar, já pensaram que o animal poderá ter ingerido alguns dos milhares de sacos plasticos com restos de iscos e engodos deixados no mar por pescadores, pois é vamos mudar de mentalidades e seguir o lema de deixarmos os pesqueiros mais limpos do que quando lá chegamos, a natureza agradece.
O acontecimento foi noticia no telejornal da SIC que podemos ver neste link(http://sicnoticias.sapo.pt/1673709) ao minuto 26 e meio.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...