Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Será culpa da Laranja?


Muitos pescadores tem a superstição ou mito que comer laranja antes de ir à pesca faz com que a pescaria corra mal, que com o forte odor deixado pela laranja nas mãos ao entrar em contacto com a isca afugenta o peixe. 
Pois eu não tinha essas manias, até me acontecer uma este ano, num concurso de pesca todos estarem a apanhar peixe mesmo ao meu lado, com iscas idênticas, e eu nada ou quase nada, porque terá sido?
 Após pensar muito sobre esta situação, minha cabeça a culpa só pode ter sido do sumo de laranja natural que fiz no dia anterior para jantar, desde esse dia, pelo sim pelo não, não toco numa laranja 2 dias antes de ir ao mar, por vezes acontecem coisas que nos tiram do sério e nos fazem pensar.  
Depois da pesca já se pode comer laranja á vontade, e até fazer uma obra de arte como esta, durante o almoço do concurso de pesca da A.PE.CA.CO Colares, a comprovar que na equipa da Bordinheira temos artistas, e não é só na pesca!!!!

terça-feira, 18 de junho de 2013

7ª Prova do campeonato 2013 da Bordinheira

Neste passado domingo realizou-se a 7ª prova do campeonato da Bordinheira, as perspectivas de uma boa jornada de pesca eram muitas, pois o mar com muito boas condições bem como o bom tempo assim o faziam prever.
Além destes factores que me animavam, tinha de tentar vencer, para encurtar a diferença pontual para o 1º classificado, assim depois de bem estudadas todas as variantes, para que a pesca fosse bem sucedidas foi traçado um plano da jornada.
A escolha do pesqueiro foi o César na Ericeira, como companheiro de prova o amigo Artur, com a maré a encher até à 1ª hora de prova, a ideia era apostar forte nas salemas, cana montada com fio 0,18mm e uma bóia de 3grs, o engodo de sardinha bem forte com areia, e para isca sardinha e limo.
Passada uma hora de prova, os planos começavam a esfumar-se, pois nem sinal de peixe, com excepção de 2 ou 3 sargotes que sem peso voltaram para o mar.  
Passava então para o plano B, começar a saltitar de pesqueiro em pesqueiro, eu fui à direita, eu fui à esquerda, eu sei lá onde é que fui, pesquei em todos os buracos possíveis, mas peixe nem vê-lo.
Assim já com metade da prova decorrida e sem peixe na lata, tinha de continuar a procurar, pego nas tralhas e vou mais para Norte perto do forte de Ribeira D´ilhas, no lado direito da lage tiro então um sargote com peso, a grade estava safa, tiro mais uns quantos que foram devolvidos, pouco depois tiro depois uma boa salema, aposto no limo e tranco mais 2 que desferraram,lá consegui tirar mais uma, e desferrar mais 2, o peixe desapareceu.



Acabei a pesca no lado sul dessa mesma lage onde consegui enganar 2 tainhas e um sargote, acabei a jornada desanimado com a fraca pesca de 6 peixes.
Na pesagem veio-se a constatar que no geral tinha sido mesmo um fraco dia de pesca, não fui só eu, pelo menos isso, ainda assim consegui um bom 3º lugar com 6300 pontos.

Em 1º lugar voltou a ficar o João Carvalho que não tremeu e somando 10660 pontos, ainda conseguiu aumentar em 2 pontos a vantagem que já levava, em 2º lugar ficou o David Forcada com 7920 pontos.
Foi mais um bom dia de convívio e camaradagem, já de pesca foi bastante sofrível  onde mais uma vez ficou comprovada a falta de peixe na costa Oeste.
Agora a faltar só 3 provas, vou  continuar a correr atrás do prejuízo  tendo a perfeita noção que vai ser muito complicado, mas nunca baixando os braços, lembrando-me sempre do desastroso final de época do Benfica, até nos descontos podem haver reviravoltas.

sábado, 15 de junho de 2013

Mesmo estoirado tive de lá ir!!!

Como prometido vou relatar o resto da pescaria, como tinha dito, ia  no caminho para casa, ao passar pela Ericeira, volto a ver o mar, estava agora muito mais calmo, digo ao meu pai, visto que amanhã é feriado, como sobrou algum engodo e isca, mesmo cansado ainda cá venho logo.
A ideia era ir fazer a madrugada para tentar apanhar uns carapaus, despertador marcado para as 2 da manhã, depois de tocar desliguei mas deixei-me ficar mais um bocado, nisto já tinham passado mais 2 horas, como estava de rastos, ponderei já não ir, mas a teimosia falou mais alto e lá fui eu.
Fui até á praia Formosa, desço faço o pesqueiro, com uma hora de pesca, nem sinal de carapaus, os restantes pescadores estavam na mesma, nada de nada, arrumo a tralha e volto para o carro, pensam que fui para casa, não claro que não, nem estava cansado, nem nada, mas para casa descansar é que não, isto com a idade está a piorar!!!

Arranquei até aos Coxos para fazer o romper da manhã, chego lá vi que não estava sozinho, estavam lá pelo menos umas dezenas de pescadores, entretidos a tirar carapaus e cavalas, pus mãos à obra e ainda compus bem a lata, com o amanhecer as cavalas foram desaparecendo e dei por terminada a pesca.
Como tinha terminado aquele tipo de pesca e o cansaço não apertava nada, como ainda não tinha gasto todo o engodo, fui fazer outro tipo de pesca, fui à procura dos sargos, fui batendo a costa desde os coxos até aos Guiões, fiz vários pesqueiros, mas o peixe era pouco, como tem acontecido ultimamente, ainda assim consegui enganar 2 sargos e uma tainha.
Ele à gajos muito teimosos, agora sim, estava satisfeito de pesca e fui para casa, depois de um banho, e uma boa almoçarada, fui por o sono em dia, que bem precisava, vê se ganhas juízo que já tens idade para isso!!!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Concurso de pesca A.PE.CA.CO

Finalmente consegui arranjar um tempinho para me sentar ao computador a realizar mais um relato de uma jornada de pesca, o cansaço tem sido muito graças a poucas horas dormidas, mas vamos lá.
Mais um fim de semana, mais uma prova, desta feita no litoral Sintrense, no mítico concurso de pesca A.PE.CA.CO-COLARES, no qual participaram 140 pescadores.
A pescaria num dia de mar bom, tempo encoberto sem vento, bastante agradável, com a maré a encher, tudo perspectivava a fartas pescarias, mas no final não foi bem assim.
Vamos então ao relato da jornada, acordar bem cedo para que antes da concentração dar uma vista de olhos por alguns pesqueiros. 

Depois do sorteio saída para o mar, apesar das condições do pesqueiro não serem as perfeitas devido a muita areia, a escolha foi a Aguda, zona a sul da praia de Magoito.
Depois da longa descida, a duvida, ir para a direita ou esquerda, todos os meus colegas foram para a direita, eu como nunca tinha pescado do lado esquerdo resolvi ir à descoberta.



Como tudo estava areado, fui andando até encontrar um fundão entre duas coroas de areia com algumas pedras, onde fazia feição, montei uma cana com fio 0,165mm e uma bóia de 3grs, faço um balde de engodo forte com areia para tentar uns sargos ou robalos ou mesmo alguma dourada que por ali pudesse andar.
Começo da pescaria e a 1ª hora foi animada, logo ao 2 lance tiro um sargote, depois entram umas bailas e uns robalotes, que apesar de não terem a medida legal, tiveram de vir pois o peso mínimo nas provas é 200 grs, tiro também uma tainha quileira, que quando ferrou arrancou mar dentro e fez-me acreditar que era um robalo, puro engano, com o virar da maré o peixe desapareceu, insisti bastante no engodo na esperança de entrar peixe grande.



Sem sucesso fui andando para norte quase até à praia de Magoito, fiz mais 2 pesqueiros pelo caminho, mas sem resultados, já na ultima hora  acabei por me juntar ao resto da equipa que estava entretida com as salemas,  ainda tiro mais uma baila, depois entraram umas salemas grandes mas a comer muito mal, ainda consegui compor a lata, tirei 5 e perdi outras tantas a desferrar.
Sem ter feito grande pescaria, mas como saiu pouco peixe acabei por alcançar um excelente 4º lugar com 10600 pontos, com 3 bailas, 3 robalotes e sargo, uma tainha e 5 salemas.
A prova foi ganha pelo César Francisco do Galamares com 26600 pontos, com uma boa pescaria de sargos, para ele os meus parabéns.
Em 1º por equipas ficou o Galamares, e por clubes a Bordinheira saiu vitoriosa, graças as boas classificações no geral.
Foi mais um dia bastante duro de pesca, de muito divertimento e bom convívio onde além da pesca se aprende muito, no fim do dia volto para casa muito cansado, de rastos mesmo. 
Já no caminho para casa, ao passar pela Ericeira, volto a ver o mar, estava agora muito mais calmo, digo ao meu pai, visto que amanhã é feriado, como sobrou algum engodo e isca, mesmo cansado ainda cá venho logo, mas o resultado fica para novo relato.

sábado, 8 de junho de 2013

Vamos aos Carapaus

Agora que o tempo está a dar sinais de verão(alguns dias nem por isso), com dias primaveris, com o mar a ficar de rastos vale a pena ir tentar apanhar uns carapaus e passar divertidos momentos, pois é por norma uma pesca de muita quantidade de peixe o que a torna muito concorrida, juntando-se grandes aglomerados de pescadores nos pontos mais quentes, além disso o carapau apanhado cá fora á cana não tem nada a haver com o pescado de barco, o paladar é outro, muito melhor.
O mar ideal tem de ser inferior a 1,5mts com tendência para cair, aguas lusas , para que o carapau possa encostar, a maré a subir também facilita essa tarefa, bem como o nascer do dia e o anoitecer que são horas bastante produtivas, temos de ter em conta que para este tipo de pesca existem pesqueiros específicos onde por norma são bastante produtivos .

Nesta 3ª feira depois do trabalho, jantei e fui até à praia Formosa ver se apanhava uns carapaus para o jantar, levei 3kgs de engodo e meia dúzia de sardinhas para iscar com pequenos beliscos.
Para esta pesca montei uma cana de 5mts, com fio 0,165mm( para esta pesca o ideal, ou até 0,20mm), uma bóia de 2grs pois eles estavam manhosos.


 Depois de engodar bem o pesqueiro, depressa eles deram sinal, peixe de bom tamanho e em boa quantidade, depois de 3 horas de pesca a lata estava composta, eu estava satisfeito e dei por terminada a faina, além disso tinha de descansar um pouco, pois tinha de me levantar cedo para ir para o trabalho, foram 32 carapaus um sargo e uma baila.
Alguns foram logo grelhados para o jantar, com batata nova com molho à espanhola, uma delicia, assim que der volto a tentar nova carapuzada.

terça-feira, 4 de junho de 2013

25º concurso de pesca do Barrio

No passado domingo realizou-se o 25º concurso de pesca do Barrio, onde participaram 165 pescadores para a comemoração das bodas de prata em concursos realizados por esta colectividade,  é muita fruta, e muito trabalhinho, não é para todos!!!
O tempo não podia estar melhor, com um dia quente sem vento a anunciar o verão, já o mar tinha uma porrada valente, e com a agravante da prova ser feita toda com a maré cheia, deixando poucos pesqueiros disponíveis.
Depois do sorteio da praxe, a partida para os pesqueiros, eu voltei a ir para os «Vatos», pesqueiro da semana anterior onde tinha ganho a prova, depois de uma longa caminhada do carro até ao pesqueiro entre matos e com a tralha ás costas, chego ao mar exausto, depressa  monto uma cana com fio 0,185mm, e uma bóia de 3grs, faço um balde de engodo, e na hora de começar a pescar o sitio que tinha escolhido já não estava de feição, com a subida da maré o comportamento já era outro, mas mesmo assim tentei.
 Depressa deu para ver que ali não tinha condições e nem um toque, toca de pegar nas tralhas e ir à procura de novo poiso, sempre para norte na direcção da baía de São Martinho, pedra acima, pedra abaixo, e não vislumbrava nenhum sitio com condições, mas que dureza!!!!Faço novo pesqueiro entre umas pedras, mas o mar não deixava segurar a bóia, sem sentir nada arranco novamente.
Finalmente chego a um canto que deixava pescar, mas estava cheio de malta, estavam lá a equipa dos «Filhos da Escola» e os meus colegas Artur e Nuno, ninguém tinha tirado nada, e ali fiquei e consegui apanhar 4 salemas e perder outras tantas, deixei de sentir peixe durante algum tempo e fui mais a norte.

Novo pesqueiro, engodo, 2 lançamentos, duas salemas trancadas que desferraram, volto a insistir no engodo mas nem sinal delas, reparo que o engodo corria para norte e parava junto a uma falésia a 100mts de mim, faltava 1 hora e meia para o final, pego no balde de engodo e vou até essa zona, umas colheradas, e ao primeiro lance, um sargo, tirei mais 4 seguidos, os sargos desapareceram e entraram as salemas que espantaram os sargos mas proporcionaram grandes lutas pois eram grandes e o pesqueiro era complicado, depois da pesca feita restava apenas a difícil tarefa de voltar para o carro, mais carregado e sempre a subir com o calor a não facilitar.
                        

No final estava satisfeito com o final de prova, uma boa latada de peixe com 8,230kg, foram 18 exemplares, 11salemas e 2 tainhas e 5 sargos, totalizei 19750 pontos, acabando em 5º.
Num dia em que as salemas voltaram a ser o peixe mais capturado, o 1º lugar coube a Paulo Santos de equipa Pitchuipx com 32360 pontos, em 2º ficou José Tecedeiro, e em 3º Sérgio Reis ambos do Varatojo, a todos os meus parabéns.
Por equipas e por clubes o A.C.B. Varatojo saiu vitorioso, a Bordinheira ficou em 2º por clubes e 4º por equipas.

Tal como prometido foi um grande convívio, com bons prémios, com um serviço de mesa muito rico, com entradas muito variadas e um almoço com sopa da pedra e carne à portuguesa, muito bem confeccionados, tudo muito bem regado com boa pinga e muita cerveja, deixam do a malta muito animada, como se pode ver nas fotos.
                         





A organização está de parabéns mais uma vez pois tudo esteve 5 estrelas, e sem duvida que para o ano voltarei, para mim um dos melhores do ano.


sábado, 1 de junho de 2013

Comemoração do dia do Pescador

O Dia do Pescador comemora-se todos os anos no dia 31 de Maio. É um dia em que se homenageiam todos aqueles que fazem da pesca a sua vida. Por todo o país onde existem comunidades piscatórias são organizados festejos e diversas actividades para comemorar este dia, eu como só vou pescar no domingo resolvi publicar uma pescaria já com algumas semanas para assinalar esta data, fui com um bom grupo de amigos, e até deu para matar saudades do colega Mário Júlio que esta a trabalhar e Angola e regressou para umas pequenas férias.



A pescaria foi feita nos «Coxos», como o mar estava manso decidimos ir apanhar uns carapaus e umas cavalas,    e passar umas horas bem animadas, apesar de não ter feito grande pesca deu para o almoço, já de manhã chegou um reforço inesperado que em vez de trazer uma cana, trouxe uma geleira recheada com um mata bicho que soube mesmo bem, pois o mar abre o apetite.






Agora estou a pensar seriamente em contratar este grande ponta de lança para reforçar a minha equipa, pois nunca levo para a pesca nada para comer ou beber, ele à que leve ajudantes ou engodadores para acartar o material, fazer engodo e passar umas horas a engodar, eu vou passar a levar um ajudante para me levar comida  e bebida, hi hi, hi....


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...