Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

domingo, 25 de agosto de 2013

Resumo alargado das férias

Aqui ficam algumas fotos das pescarias feitas nas férias na costa Vicentina, onde o peixe não colaborou mas ainda assim deu para o petisco, nuns finais de tarde magníficos em família acompanhados de umas cervejas ou um Lambrusco bem fresquinho.




Mais umas aulas de pesca com o Júnior na companhia de um visitante inesperado, mister octopus que acabou numa saborosa saladinha de polvo.


Como o peixe não colaborou os polvo colmataram essa falta e deram umas boas jantaradas com ementas a variarem entre o arroz de polvo e salada do dito, sem esquecer do polvo à lagareiro, tudo bem regado.

Grandes petiscos ao final do dia em casa ou ao ar livre em jeito sunset numa paisagem paradisíaca e extremamente relaxante.


 O reencontro com os amigos Vasco e Fernando para mais umas jornadas de pesca com alguma actividade dos peixes em muitos pesqueiros percorridos e explorados, sem duvida horas muito bem passadas em excelente companhia.





Que saudades das férias, do sol, das pescarias das mariscadas, nostalgia agora que o verão está a acabar e vou ter de esperar uns meses para voltar a este sossegado paraíso, e me deixam com uma enorme vontade de regressar para o ano.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A fúria das cavalas!!

Aproveitando uma folga no trabalho lá fui eu mais o meu aprendiz para uma jornada de pesca, a ideia era ir tentar uns sargos à maré cheia ao romper da manhã, junto ao porto da Assenta. 
Depois de ver o mar manso demais, coisa que não deixava grandes esperanças para os sargos, mas ainda assim descemos e tentamos.
Um sargo bicudo(diferente do sargo legitimo na parte da boca), espécie que era raro aparecer nesta costa mas que ultimamente tem aparecido, o ecossistema em mutação constante porque será?
Aparecem estes peixes diferentes, e toneladas de salemas, e os outros peixes autóctones tais como sargos, tainhas e robalos  que abundavam deixaram de aparecer, é sem duvida algo que me intriga bastante.

Após 2 horas de pesca sem sinal de peixe, a não ser umas miudezas e alguns agulhas que foram sendo devolvidos, pensei então em ir até aos Coxos tentar umas cavalas pois o mar estava bom para isso, arrumamos as tralhas e lá fomos.
Chegados aos Coxos ainda estavam muitos pescadores amontoados em grande azafama, o que era sinal que elas estavam por lá, rapidamente descemos e tentamos afastar-nos um pouco do maranhal  de pescadores de fios e de bóias, pois o miúdo ainda não tem experiência suficiente para estas grandes confusões, e a probabilidade de enrolar as pescas quando engatasse uma cavala era mais que certa.



 Encostamos-nos à esquerda do pessoal para não estorvar e a festa começou, arranques fortíssimos e grandes corridas desenfreadas das cavalas proporcionavam ao João momentos de adrenalina lançamento após lançamento.
Com o passar das horas o peixe começou a falhar e demos por terminada mais uma divertida jornada, com uma boa teca de cavalas na lata, estas vão ser alinhadas e cozidas com uma batata nova e uma cebola, regadas com azeite para um almoço à moda antiga. 
Um abraço a todos e boas fainas.  

domingo, 18 de agosto de 2013

1º Convívio de pesca de Gentias

Neste sábado decorreu o 1º Convívio de pesca de Gentias integrado nos festejos anuais desta localidade, com algumas saudades destas brincadeiras decidi participar pois é terra de amigos de longa data das andanças da pesca.
Mais uma vez abdiquei de pescar para dar exclusivamente apoio ao meu júnior que demonstra já um grande à vontade no mundo da pesca, graças ás aulas que tem tido do avô e minhas, a meta dele era bastante elevada pois apostou com o avô que ficaria à frente dele na classificação, restava ver como corria o dia e esperar pelo resultado do avô.



Ainda não sendo completamente autónomo escolho o pesqueiro, monto a cana, faço o engodo e trato da parte de iscar, todo o resto é da competência dele, trancar o peixe e tira-lo.
Num dia de verão algo tímido, com o mar manso e algum vento a prejudicar a pescaria, o pesqueiro escolhido foi a praia de São Lourenço, começando a pescar do lado sul junto ao forte e acabando do lado norte da praia no pesqueiro da pedra cimentada.
Cedo percebemos que ia ser uma jornada difícil e de pouco peixe, pois as aguas eram bastante lusas e paradas, fomos tentando procurar algum sargo nas aguas mais oxigenadas, mas nem sinal deles como tem acontecido nos últimos meses, o peixe parece ter desaparecido por completo.



Assim sendo tivemos de nos virar para as tainhas que iam entrando esporadicamente no pesqueiro, colocamos um anzol nº8,  mais pequeno para as conseguirmos enganar e lá foram saindo algumas, já no final tirou um sargote veado para completar a pescaria.
No final da jornada tinha 7 tainhas e o sargote, o que para as condições que estavam nem foi mau de todo, pois dos 51 pescadores inscritos apenas 14 apanharam peixe.
Acabou por ficar em 4º lugar e acumular o prémio de maior nº de exemplares e ainda o de pescador mais novo, saindo extremamente satisfeito pois conseguiu ficar á frente do avô(seu professor), são momentos que certamente ficarão na sua memória pois a alegria estampada no seu rosto não engana, mais uma jornada de felicidade.
O concurso foi ganho pelo António Adão que consegui enganar 4 sargos uma baila e uma tainha, em 2º ficou o António Inácio e a fechar o pódio o João Rodrigues, o maior exemplar da prova foi uma tainha com 1,005kg capturada pelo meu amigo Artur Silva.



A organização da prova está de parabéns pois conseguiu proporcionar uma tarde muito bem passada a todos os participantes, culminando a pescaria com uma magnifica almoçarada, que este seja o 1º de muitos convívios.

domingo, 11 de agosto de 2013

Eu os João(S) e os camarões amestrados

Sem muito tempo para publicar algumas aventuras marítimas que tenho realizado, não podia deixar de publicar esta mesmo com algum tempo de atraso em jeito de agradecimento.
Agendei uma pescaria com o grande João Santana, do blog Litoral Alentejano surf e pesca   http://litoralalentejanosurfepesca.blogspot.pt/, para nos conhecermos e trocarmos experiências e técnicas de pesca, para quem não sabe o João Santana é um grande sargalheiro e surfista  de Sines.
Pela hora combinada encontramos-nos a sul de Sines, zona de uma beleza indiscutível apesar de muito industrializada, depois de uns dedos de conversa dirigimos-nos para um dos spots preferidos do João Santana, a maré vazava e o mar nem mexia, o que nos fazia prever uma fraca faina.
A técnica de pesca iria ser a chumbica, bem diferente da que costumo utilizar, com a particularidade da isca a utilizar serem os tão afamados camarões amestrados, que grades resultados tem dado.
Eu como ia de férias tinha a companhia do júnior João Franco, também quis confirmar que esta técnica funciona na perfeição, não perdeu a oportunidade de estar com a cana na mão e tirar alguns peixes.
Depressa pusemos mãos à obra e apanhamos os ditos cujos com auxilio de uns camaroeiros, depois foi só montar a arte, que é bem simples, pois basta um chumbinho furado entre 5 a 10 grs a correr pelo fio e um anzol empatado na ponta, nada mais pratico, nada de engodos, e de grandes tralhas, um camaroeiro um balde para o isco, uma cana de acção média, um carreto com um fio mais grosso(0,24 a 0,30mm) e uns anzóis, e já só faltava o peixe.







Sem grade fezada iniciamos a faina, a lançar para cima de uns cabeços de pedra com um palmo de agua depressa o peixe deu sinal, apesar de ser miúdo e a maior parte ter sido devolvida ainda aproveitamos alguns para a jantarada, aqui ficam algumas fotos para recordar este dia.
 Foi um dia muito bem passado com um companheiro 5 estrelas, onde a partilha de experiências e conhecimentos foi muito gratificante, e espero que venha a dar frutos brevemente.
Agradeço a disponibilidade e refaço o convite, para um dia apareceres cá por cima para uma pescaria.
        
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...