Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

domingo, 29 de setembro de 2013

Depois do equinócio

Pois é pessoal isto tem estado complicado, muito trabalho pouco tempo para pescas e para dar acompanhamento ao blog, com alguns post relevantes a ficarem por escrever e relatar, mas não estão esquecidos, em breve sairão da cartola.
Depois de um sábado de duro trabalho agrícola, ajudando na tradicional vindima familiar e  na confecção do vinho caseiro e uma agua pé. nada melhor para descomprimir que ir ao mar.

 Na companhia do meu pai hoje fomos fazer a enchente em Ribeira D´ilhas, o tempo estava bem farrusco, com algum vento a mistura e uma dose ou outra de aguaceiros para refrescar, as aguas estavam do meu agrado e aos poucos a lata foi-se compondo com uns sargotes palmeiros a animarem a jornada, entremeando com uma tainha de vez em quando, o peixe graúdo fez gazeta mas a pesca até que nem foi má de todo para o que tem dado, resumindo foi um bom treino para jornadas futuras que se avizinham.
Deixo aqui algumas fotos de uma tradição da zona Oeste terra de bom vinho, vindimas feitas à moda antiga, agora é esperar que levante fervura e coza para acompanhar umas castanhas no dia de São Martinho, feriado municipal no concelho de Torres Vedras.





Até lá saúde da boa e muita pesca.  

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Saudade palavra unicamente Portuguesa

Saudade é um termo unicamente usado em Portugal de um significado singular, nos últimos anos com a crescente vaga de imigração, devido à grave crise económica é um termo que cada vez faz mais sentido no vocabulário Português, quem não tem familiares, amigos ou conhecidos a trabalhar fora do pais?
Um destes dias recebi um inesperado mail de um grande amigo e colega de equipa Mário Júlio, que está em Luanda em trabalho, fiquei contente por ver que continua a matar saudades da pesca nas horas vagas, sei o que custa estar fora de casa e longe da família, e decidi publicar algumas das suas pescarias bem como algumas palavras escritas por ele que descrevem as pescarias e também os seus sentimentos.

«Bom caro amigo, o peixe é um Pargo e pesava perto de 6Kg pescado na baía do Mussulo Luanda, quando estiver por ai logo falamos. Muitas saudades das pescarias e do convívio dos concursos, um grande abraço para todo pessoal.» 



«Pesca de Sargos e não só. pesca na ponta da ilha de LUANDA, numas manhãs de pesca»

Este é um post dedicado a todos os que estão nesta situação, mas especialmente para ti Mário Júlio, desejo (bem como toda a restante equipa e amigos) que corra tudo bem e que voltes o mais rapidamente possível para Portugal, um grande abraço e muita força ai nas pescas companheiro.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Regresso às aulas

Pois é caros leitores como é do conhecimento de todos tenho cedido o meu tempo de pesca a dar umas aulas de pesca ao meu Júnior.
Agora com o verdadeiro regresso às aulas escolares vai-se acabar as pescarias dele e começar as minhas, como tal nada melhor que terminar a temporada de pesca dele no convívio de pesca da festa anual da Bordinheira.
Mais uma vez o mar e o tempo estiveram de feição para se fazer a festa, onde apenas pecou pela falta de peixe como vem já sendo habito.

Resumindo a jornada, estiveram presentes 52 pescadores, num dia que o que menos importava era a competição mas sim o convívio e amizade.
A família Franco juntou-se à festa e fomos pescar para a Ursa, eu dando apoio ao juvenil preparei o pesqueiro e engodos bem como as artes, a pesca foi feita alternada entre bóia e chumbadinha.
Eu limitei-me apenas a apreciar o artista, que entre uma tainha ou outra lá foi tirando um sargote e compondo a pesca.
No final estava contente com a sua pescaria pois tinha apanhado mais uma nova espécie para a sua lista, uma bonita baila, conseguiu ainda apanhar 2 sargos e 6 tainhas, acabando por ficar na 8º lugar.




A prova foi ganha pela dupla Penicheira que apanhou umas boas tainhas em Porto Novo, em 1º lugar ficou o Alexandre Moreira,em 2º ficou Jorge Soeiro e a fechar o pódio ficou o João Rodrigues.


O resto do dia foi como de costume, muito boa comida, boa bebida e muita amizade, finalizando o dia com uma tradicional Vacada, onde alguns corajosos já quentinhos ainda fizeram umas pegas de caras, para o ano há mais festa!!!!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Mais uma para não esquecer como é!!!

Pois é caros amigos e seguidores deste espaço de partilha, sem grandes pescarias para partilhar convosco deixo aqui um agradecimento especial a todos pois o blog atingiu mais uma meta 100000 visualizações e conta com quase 250 seguidores, e grandes amigos de faina.
Como a pescaria deste fim de semana foi de uma fraqueza extrema, fui até à Ericeira fazer uma pescaria nocturna à chumbadinha e de bóia, em que a cana tremeu pouco e com peixe miúdo, em que apenas uma curiosa barbada(Juliana), 2 sargotes e um mini robalo ficaram no anzol, foi todo devolvido ao mar, culminando a faina com uma grande grade, mas a pesca é isto mesmo, nem sempre o pescador sai vitorioso, e as valentes zeradas também contam.
Aproveitei o desanimo da fraca pesca para tirar umas fotos dos colegas José dias e do Rilhas em plena acção na prova do campeonato de pesca da Casa do Povo de Mafra a tirarem algumas tainhas.




Um abraço a todos e um grande obrigado, espero que continuem a visitar este nosso espaço e acima de tudo que continuem a desfrutar do que tanto gostamos, PESCAR está claro!!!

domingo, 1 de setembro de 2013

Sofre de insónias, tenho a solução

Pois é pessoal, este é um post para aqueles que dizem que a pesca não é um desporto que cansa, e que não faz transpirar, é só estar sentado de cana na mão, à espera que a sorte nos bata na cana.
Desafio-vos para uma jornada de pesca comigo para verem se realmente cansa ou não cansa.

1º passo - Levantar bem cedo, colocar a tralha no carro e arrancar para o mar.

2º passo - Caminhar para o pesqueiro, com as vertentes de escalada se descermos arribas e percorrer longos areais, sempre carregados de material e engodos.

3º passo - Pescar sempre em movimento, quase sempre em zonas de muita pedra, sempre a levar porrada do mar, o que implica muita ginástica.

4º passo - Caso o peixe não apareça, ir à procura dele, no meu caso por vezes ando 2 kms ou mais, depende muito se encontro o peixe ou não, depois fazer o caminho inverso.

5º passo - Depois de 5 ou 6 horas de pesca, fazer o caminho de volta para o carro, muitas vezes carregado de peixe!!!??? Ou então não.
Vida de pescador é difícil.

Depois de chegar a casa tomar um banho, comer uma boa almoçarada, é que a forte aragem do mar além de cansar abre o apetite, é tiro e queda adormecem que nem anjinhos.
Além do meu testemunho e caso não acreditem, armei-me em paparazi e tirei umas fotos em concursos e outras fainas que comprovam e justificam que o meu tratamento é a cura ideal para quem sofre de insónias e não consegue pregar olho.











Parecem tordos a cair, hi hi hi....Até eu fui apanhado também.
Abraços a todos, boas pescarias e bons sonos!!!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...