Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Concurso de pesca da U.R. Charneca

Este domingo decorreu no litoral de Cascais mais um concurso de pesca desportiva da U.R. da Charneca onde compareceram pouco mais de 100 pescadores.
Esta jornada foi para mim uma estreia nos mares da costa de Cascais, zona de pesca onde as tainhas são a espécie mais pescada, pelo menos nos concursos.
Depois de madrugar e nos juntarmos no ponto de encontro para rumar até à Charneca a expectativa e ansiedade estavam em alta,  por ir pescar numa zona totalmente desconhecida para mim e também por prever um tipo de pesqueiros muito diferentes daqueles onde estou habituado a pescar.
Como companheiros para esta pescaria tive o meu pai e o amigo Artur, um conhecedor desta zona, foi ele que nos indicou um pesqueiro que achou ser o mais indicado para uma boa pescaria.
Depois de chegarmos ao local escolhido para inicio da faina,  o pesqueiro esse era um balcão com 3 metros de altura com o mar manso e águas abertas ideal para pescar tainhas, toca de fazer o engodo e montar uma cana com fio fino e bóia ligeira.
Depois de umas valentes colheradas de engodo logo no inicio para tentar por as tainhas a comer aos pés, faço o primeiro lançamento e quando vou dar à manivela do carreto para esticar o fio constato que este quase não rodava de tão perro que estava (talvez devido ao excesso de massa pois apenas tem 2 pescas e foi lubrificado antes de o por  a uso) obrigando-me a mudar de carreto para um com fio um pouco mais grosso que o desejado.  
Depois de novo lançamento começo a reparar que a aguagem fugia um pouco do pesqueiro levando com ela o engodo, fazendo com que as tainhas ficassem a comer longe do pesqueiro(40 metros).
Após algumas capturas espaçadas tanto minhas como do meu colega Artur, deixamos de ver o peixe à tona de água, eu como sou um pouco impaciente começo logo a pensar mudar de pesqueiro para tentar outro tipo de pesca, procurando aguas um pouco mais mexidas onde pudesse enganar alguns sargos ou salemas.
Depois de alguma indecisão lá optei por mudar e descaio 400 metros para norte, onde as aguas rebentavam em cima de uma lage e descaiam para um fundo oxigenando um pouco a agua.
A decisão foi acertada mas o peixe era praticamente todo miúdo, apesar de ter o peso mínimo exigido.
No final da pescaria tinha 19 peixes miúdos, 15 sargotes onde apenas 4 foram pontuados como sargos totalizando 1kg, todos os outros por terem menos de 200grs foram pontuados como tainhas ) , 3 tainhas e um agulha com 2,420kg.
Apesar da zona de pesca ser farta de peixe este não compareceu em grandes quantidades, talvez pela maré ser sempre a vazar.
Quanto a classificações em 1º lugar ficou Vasco Rosa da A.P.C.A.C.O de Colares que capturou 66 exemplares totalizando 18230 pontos, quanto à minha prestação foi um modesto mas honroso 24º lugar.
Por clubes e equipas a A.P.C.A.C.O de Colares dominou alcançando a vitória, a Bordinheira ficou em 3º por clubes e 5º por equipas.
Esta prova deu para ver como os campeões das tainhas apanham carradas de peixe, engodo nunca pode faltar no pesqueiro estão sempre a salpicar o pesqueiro com engodo, mas quando eu digo sempre é mesmo sempre!!!
De salientar que os meus companheiros de pesca portaram-se muito bem, o meu pai apanhou um sargo(mas o pesqueiro não era indicado para o seu tipo de pesca) e o meu amigo Artur mostrou  que esta é a sua praia, e esteve bastante a vontade pois é o seu tipo de pesca apanhando 6kg de peixe ficando em 26º.
Quero dar os parabéns à organização pelo bom convívio, onde como de costume a boa camaradagem esteve presente proporcionando  um dia bastante agradável.


              

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Balanço Positivo

Desde o inicio da criação do meu blog, ideia fortemente impulsionada pela minha esposa, à qual eu na altura mostrei bastante apreensão e algum desinteresse, por achar que não tinha tempo e também por falta de jeito e de paciência  para estas coisas de computadores, inicialmente achei que esta ideia não tinha pernas para andar.
Hoje sou um blogo dependente e estou sempre com ideias para novos artigos, sempre na expectativa que chegue ao fim de semana para novas jornadas de pesca( esta parte sempre foi assim ), poder partilhar os sucessos e desilusões com todos os que me seguem, motiva-me bastante.
Penso que este blog é praticamente um diário das minhas jornadas, descrição dos pesqueiros, bem como o seu melhor funcionamento e horas de maior actividade, iscas e técnicas utilizadas , onde nada é escondido, coisa que na maior parte dos blogs não acontece.
Uma coisa que deixou extremamente satisfeito foi criar novas amizades com pescadores que conheci através deste blog( espero vir a conhecer muitos mais ), e que hoje considero grandes amigos, além de transmitir os meus ensinamentos a outras pessoas que gostam deste desporto.
Neste momento em que atingi as 20.000 visualizações, acho que é hora de prestar uma pequena homenagem a todos os seguidores deste espaço que acompanham as minhas jornadas de pesca. Também quero agradecer a todos que ajudam a melhorar os conteúdos do blog, em especial à minha esposa que me incentiva bastante.  


A todos MUITO OBRIGADO e continuem a visitar o blog pois certamente vão haver muitas mais historias e pescarias.
Abraços e saudações piscatórias.

domingo, 20 de maio de 2012

2º convívio de pesca do A.C.D.R. Coutada

Hoje realizou-se um convívio de pesca na Coutada para o qual fui convidado pois sou quase um filho da terra uma vez que o meu pai é natural de lá e onde tenho boas amizades.
Como local elegido para tentar ganhar a prova voltei novamente ao Porto Chão, mas desta feita com o mar e o estado do tempo com péssimas condições o que viria a dificultar muito pesca.
Esta pescaria resume-se muito rapidamente, desço até à praia a maré estava praticamente na baixa mar, faço o engodo e monto uma cana, começo a pescar e reparo na quantidade de limos em suspensão na agua que com a agravante do vento tornavam a pesca quase impossível, neste pesqueiro nada de peixe, decido mudar para outro onde o resultado viria a ser o mesmo.
Continuando na dança de pesqueiros e peixe nem sinal, com excepção de uma ou outra sargueta sem medida, que foram devolvidas ao mar.
Nesta altura começava-me a questionar onde andaria o peixe pouco depois tiro uma tainha pequena, insisto mais neste pesqueiro na esperança de conseguir tirar mais alguma, mas a desilusão persistia.
Mudo uma ultima vez de pesqueiro(nesta altura já estava a 2km do carro), e tiro um pequeno robalo que só trouxe por ter embuchado o anzol, um crime, pobre desgraçado.
No final estava bastante desiludido com a ausência de peixe nos pesqueiros, dos dois peixes que tirei nenhum pesou, que miséria, ou seja fui como se tivesse gradadado, coisa que não acontecia já a algum tempo.
Na pesagem do pescado todos se lamentavam da ausência de peixe, onde apenas 10(em 40) conseguiram pontuar.
Em 1º lugar ficou o Filipe Ferreira com 3400 pontos resultado obtido com 3 tainhas.
Foi uma pescaria que correu muito mal mas que eu faço questão de publicar para demonstrar que nem todos as idas ao mar são de sucesso, em que a ausência de peixe não deixou fazer melhor, quando se está habituado a apanhar sempre uma boa quantidade de peixe, um dia se sentir nada é pura tortura, mas  à dias assim!!! Esperamos melhores marés.  



sexta-feira, 18 de maio de 2012

A nova fatiota do artista

Depois de as ultimas aquisições no que toca a fatos para a pesca terem durado muito pouco, pois faço uma pesca um pouco agressiva,  que leva a um rápido desgaste na parte dos botins ou entre as pernas por causa das longas caminhadas, que leva ao desgaste e posterior rotura lá decidi comprar um modelo diferente onde optei por comprar as calças de mergulho da Nava de 3,5mm e umas meias onde adaptei umas botas de borracha.
Após algumas utilizações posso dizer que são muito práticos, confortáveis e ao nível de segurança parecem ser melhores pois fica colado ao corpo, o que em caso de queda ao mar não corro o risco de afundar até pelo contrario deve ajudar a manter-me à superfície.
Espero que este tenha maior durabilidade que os anteriores.
Se já pescava dentro de agua agora então já só falta as barbatanas e vou lá dentro tira-los em vez de ficar à espera que se tranquem no anzol.


terça-feira, 15 de maio de 2012

VIII Grande concurso da Bordinheira

Este domingo realizou-se o grande concurso anual da Bordinheira, clube do qual orgulhosamente eu faço parte.
De à uns anos para cá  é considerado por muitos um dos melhores concursos de pesca da zona Oeste, este ano contou com a participação de 180 pescadores, o que nos dias que correm é manifestamente bom.
O mar e o tempo colaboraram, pois esteve um bom dia para a pratica da pesca, proporcionando algumas pescas de qualidade.
Como o mar era manso e a maré cheia era por volta das 10 horas, optei por ir pescar até Porto Chão para  fugir um pouco a confusões de muitos pescadores para poucos pesqueiros, e assim ter espaço de manobra no caso do peixe não entrar no 1º pesqueiro ter mais algumas opções de escolha por perto.
Chegado ao local, tralha ás costas e toca de descer a arriba, monto uma cana com fio 0,165mm e uma bóia de 3 gramas, espero pelas 9 horas e começo a engodagem algo consistente do pesqueiro, como o mar fazia uma branca optei por ver se os sargos andavam lá, e não falhei até as 10 horas tinha 4 sargotes e  uma tainha depois com o virar da maré  o peixe desapareceu.
Faço mais 2 ou 3 pesqueiros mas sem sucesso, com apenas uma ou outra captura esporádica, o tempo foi passando e a maré descendo e a 1 hora do final volto ao pesqueiro inicial, desta feita a pescar dentro da agua em cima da lage, num buraco onde a aguagem levava o engodo para lá.
Logo no 1º lançamento tranco uma salema que acabou por partir o empate, antevendo que lá andariam mais opto por por um anzol de pé comprido de modo a não cortar, lanço e tiro um bom sargo, volto a lançar e tiro uma salema e até ao final tiro mais 4 bons sargos e 1 salemas. Foi um final de pescaria muito bom, era mais uma horinha à Benfica e a historia teria sido outra. No total foram 11 sargos com 3,370kg e 4 salemas e 2 tainhas com 2,980kg totalizando 19440 pontos, obtendo um merecido 6ºlugar, o prémio foi-me entregue pelo meu companheiro de pesca de longa data, o meu PAI.

Em 1º lugar ficou Paulo Lourinho, do Sporting clube de Peniche, com uma grande pescaria onde se destacou o maior exemplar da prova, um magnifico Robalo com 3,160kg, totalizando 29380 pontos, sem duvida uma vitória bastante merecida, os meus parabéns.
Em segundo lugar também com uma grande pescaria ficou o meu colega de equipa António Malaquias, também foi premiado com o prémio de maior nº de exemplares, no total foram 29 peixes.
Por clubes e Equipas a Fimofer(Bordinheira) dominou alcançando o 1º lugar no pódio em ambas as categorias.

Nas senhoras a 1ª classificada foi Zélia do clube Salir do   Porto.
Entre todos os pescadores demos especial atenção a 2 pescadores pois são grandes exemplos do que é viver a pesca, do que é respirar pesca, aquele sentimento que nos move para a pesca, exemplos de pura paixão por este deporto e convívio, a quem entregamos prémios especiais para o pescador mais idoso que com 89 anos não quis faltar, e a outra pessoa muito especial o «Pescas» que apesar de uma deficiência motora(cadeira de rodas) e também já de idade avançada, 79 anos, marcaram presença neste convívio, sem duvida um exemplo de força de vontade para todos.

 
Na categoria de júnior, em 1º lugar ficou Duarte Ribeiro do G.D. Malveira da Serra, temos um futuro campeão.
Tenho de salientar a FALTA DE DESPORTIVISMO de 3 pescadores(?), que entregaram peixe em mau estado, possivelmente capturado no dia anterior, que implacavelmente foram descalcificados.
De resto penso que foi um grande dia,  um grande concurso, onde certamente todos se divertiram, comeram e conviveram num ambiente bastante saudável, nesta colectividade que gosta de bem receber.

Por estar a ajudar na organização não tive a possessibilidade de  conviver com alguns pescadores e amigos que estiveram presentes como desejava, mas certamente vamos ter mais oportunidades para tal.
Quero dar os parabéns à organização do evento pois penso que tudo esteve 5 estrelas, e para o ano esperamos contar com todos novamente para mais uma grande prova.         

terça-feira, 8 de maio de 2012

Concurso de pesca do Independente de Peniche



Este domingo decorreu o XV concurso do Independente de Peniche, com um dia de mar muito bom bem como o tempo. 
Apesar de eu por motivos pessoas não ter participado, com muita pena minha pois tinha um convite quase irrecusável de fazer a prova na companhia do Carlos André, para quem não conhece é um dos grandes pescadores a nível nacional tanto de bóia como de surfcasting, com o qual eu já tive o enorme prazer de ter pescado e aprendido bastante com ele,  pois fomos colegas de equipa na Venditorres.
Apesar de eu não ter estado em prova o meu amigo Artur, um grande amante deste desporto e da fotografia compareceu e tirou algumas fotos dignas de registo de alguns dos participantes em acção de pesca, com este material de grande qualidade tinha de fazer um post deste convívio de pesca apesar de não ter participado.


Aqui está o Carlos André perto da Nau dos Corvos por volta das 10 e 30 minutos já com uma boa pesca, 10 sargos e  6 salemas, o que se terá passado para ele não ter lá tainha nenhuma? Ele que é rei das tainhas!!! Os sargos deviam estar a camoiço e de bom tamanho!!! Agora fiquei com pena de não ter ido pois era o meu tipo de pesca.   



A equipa da G.A.P Magoito em ação, na sua pesca habitual,  pescar a ver as tainhas, tudo ao molho com vários pescadores a tirar peixe em simultâneo e o engodador sempre a trabalhar para eles.   


A equipa do Varatojo no pesqueiro Fernão Pires  também a dar o seu melhor com a captura de algumas salemas.
Em 1º lugar individual ficou Kicas da G.A.P Magoito com 35150 pontos capturando 81 peixes ganhando o prémio de maior numero de exemplares, por clubes o G.A.P. Magoito alcançou a vitória e também por equipas revalidando assim a vitoria do ano anterior.
De salientar que em 2º lugar ficou o Carlos André com 41 exemplares, totalizando 31350 pontos.
Em relação á equipa da Bordinheira realizou um prova modesta onde o melhor classificado foi o Malaquias  ficando na 21ª posição.
Com um dia primaveril muitos foram os pescadores que se deslocaram a Peniche proporcionando fotografias de excelência das quais publico algumas.



Desde já agradeço ao grande repórter fotográfico Artur Silva, que me tem enviado algum do seu trabalho e permitindo a sua publicação e melhorando bastante os conteúdos do meu modesto blog.
Caso alguem tenha mais algumas informações quanto ao nº de participantes, que me possa fornecer para melhorar o post agradecia.

sábado, 5 de maio de 2012

Um dia com peixes de luxo

Hoje foi com o meu amigo Helder pescar, uma pescaria à muito desejada mas que estava difícil de sair.
Aproveitando uma folga nos concursos este fim de semana, lá fomos para mais um dia de treino intensivo de pesca, com o intuito de dar mais umas luzes e comprovar se os meus ensinamentos ao meu aluno(amigo) de pesca favorito tem sortido bons resultados.
Como a maré vazava bastante pois era maré de lua, fui fazer o reconhecimento do pesqueiro do matadouro(Ericeira) com estas amplitudes de maré.
Fomos bem cedo de modo a aproveitar o óptimo dia que nos esperava, chegados ao pesqueiro escolher o material que mais se adequava para as condições de mar que tínhamos, como o mar ia a cair e com pouca agua optamos por uma pesca ligeira. Engodo na agua e logo entraram algumas tainhas e algumas salemas que nos proporcionaram bons momentos. 

Quando a maré virou e começou a encher começou a entrar o peixe de qualidade, com o Helder a apanhar  um magnifico sargo veado e eu uma enorme dourada, que como eram exemplares muito acima da medida legal foram devolvidos ao seu habitat, esperamos poder apanha-los daqui a alguns anos bem maiores.

Com o subir da maré fomos sacudidos pelo mar do pesqueiro e tivemos de procurar outro local onde tentar alguns sargos pois a maré já ia alta, coisa que se veio o confirmar mas com poucas capturas em que eu fui o rei dos cabozes para satisfação do Helder.
Apesar do peixe não ter colaborado como mais desejávamos deu  para passar uma boa manhã, com um aroma da maresia agradável e por a conversa em dia, pois o convívio também uma importante parte da pesca.
Comprovo que o meu aluno tem ido aos treinos e que tem feito os trabalhos de casa bem feitos, apenas precisa de acertar alguns pormenores para melhorar ainda mais.
Fica a eterna duvida, onde anda o peixe? E já agora de qualidade e em boas quantidades.   
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...