Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Concurso de pesca da U.R. Charneca

Este domingo decorreu no litoral de Cascais mais um concurso de pesca desportiva da U.R. da Charneca onde compareceram pouco mais de 100 pescadores.
Esta jornada foi para mim uma estreia nos mares da costa de Cascais, zona de pesca onde as tainhas são a espécie mais pescada, pelo menos nos concursos.
Depois de madrugar e nos juntarmos no ponto de encontro para rumar até à Charneca a expectativa e ansiedade estavam em alta,  por ir pescar numa zona totalmente desconhecida para mim e também por prever um tipo de pesqueiros muito diferentes daqueles onde estou habituado a pescar.
Como companheiros para esta pescaria tive o meu pai e o amigo Artur, um conhecedor desta zona, foi ele que nos indicou um pesqueiro que achou ser o mais indicado para uma boa pescaria.
Depois de chegarmos ao local escolhido para inicio da faina,  o pesqueiro esse era um balcão com 3 metros de altura com o mar manso e águas abertas ideal para pescar tainhas, toca de fazer o engodo e montar uma cana com fio fino e bóia ligeira.
Depois de umas valentes colheradas de engodo logo no inicio para tentar por as tainhas a comer aos pés, faço o primeiro lançamento e quando vou dar à manivela do carreto para esticar o fio constato que este quase não rodava de tão perro que estava (talvez devido ao excesso de massa pois apenas tem 2 pescas e foi lubrificado antes de o por  a uso) obrigando-me a mudar de carreto para um com fio um pouco mais grosso que o desejado.  
Depois de novo lançamento começo a reparar que a aguagem fugia um pouco do pesqueiro levando com ela o engodo, fazendo com que as tainhas ficassem a comer longe do pesqueiro(40 metros).
Após algumas capturas espaçadas tanto minhas como do meu colega Artur, deixamos de ver o peixe à tona de água, eu como sou um pouco impaciente começo logo a pensar mudar de pesqueiro para tentar outro tipo de pesca, procurando aguas um pouco mais mexidas onde pudesse enganar alguns sargos ou salemas.
Depois de alguma indecisão lá optei por mudar e descaio 400 metros para norte, onde as aguas rebentavam em cima de uma lage e descaiam para um fundo oxigenando um pouco a agua.
A decisão foi acertada mas o peixe era praticamente todo miúdo, apesar de ter o peso mínimo exigido.
No final da pescaria tinha 19 peixes miúdos, 15 sargotes onde apenas 4 foram pontuados como sargos totalizando 1kg, todos os outros por terem menos de 200grs foram pontuados como tainhas ) , 3 tainhas e um agulha com 2,420kg.
Apesar da zona de pesca ser farta de peixe este não compareceu em grandes quantidades, talvez pela maré ser sempre a vazar.
Quanto a classificações em 1º lugar ficou Vasco Rosa da A.P.C.A.C.O de Colares que capturou 66 exemplares totalizando 18230 pontos, quanto à minha prestação foi um modesto mas honroso 24º lugar.
Por clubes e equipas a A.P.C.A.C.O de Colares dominou alcançando a vitória, a Bordinheira ficou em 3º por clubes e 5º por equipas.
Esta prova deu para ver como os campeões das tainhas apanham carradas de peixe, engodo nunca pode faltar no pesqueiro estão sempre a salpicar o pesqueiro com engodo, mas quando eu digo sempre é mesmo sempre!!!
De salientar que os meus companheiros de pesca portaram-se muito bem, o meu pai apanhou um sargo(mas o pesqueiro não era indicado para o seu tipo de pesca) e o meu amigo Artur mostrou  que esta é a sua praia, e esteve bastante a vontade pois é o seu tipo de pesca apanhando 6kg de peixe ficando em 26º.
Quero dar os parabéns à organização pelo bom convívio, onde como de costume a boa camaradagem esteve presente proporcionando  um dia bastante agradável.


              

14 comentários:

  1. Em primeiro lugar quero felicitar o meu amigo Pedro, porque tambêm este post ficou um espectáculo, depois terá sido sem dúvida mais uma jornada de competição e convívio muito salutar. Estas jornadas têm realmente uma mística em que se nota nos adeptos uma satisfação muito grande, pelo menos após o almoço, porque quem fez uma grade ás vezes não fica muito satisfeito, mas tem sempre a hipótese de renovar as esperanças para a próxima prova.
    Se a juventude, que passa muito tempo nos facebuks, descobri-se esta mística não queria outra coisa, ou dividia mais o tempo entre tecnologia e natureza. Um apelo á juventude e um abraço para um grande bloguista (positivo) presente nesta página.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelos elogios, eu também sou da opinião que a malta nova deveria enveredas por estas actividades bastante saudáveis onde se criam grandes amizades e onde passamos bons momentos descomprimindo do stress semanal.
      Abraços

      Eliminar
  2. pescadores da tanga so pescão como o balde da mer** ao pé dos pés !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo pescador gostava ao menos que tivesse coragem de se identificar pois assim é fácil falar sem dar a cara.
      Cada pescador pratica o tipo de pesca que mais gosta de fazer,respeitando todos os outros tipos de pesca,já imaginou se todos gostassem da mesma coisa o mundo era uma seca.
      O importante é divertirmos-nos respeitando os espaços de cada um, certamente seria muito mais interessante se tivesse comentado o seu ponto de vista mas de uma forma um pouco mais educada e até poderia ser tema para um post onde se poderia debater esse assunto concretamente.
      De qualquer das maneiras é sempre bom ter tido a sua visita pois falando bem ou falando mal o importante é que falem!!!
      Um abraço.

      Eliminar
  3. Ola´amigo Pedro
    espero que tenhas curtido a zona ,foi pena as tainhas não terem entrado bem ,quando entram fazem-te uma bola gigante aos pés,em relaçaõ ao engodo , o pessoal que pesca bem leva muito mais de 10 kg de sardinha .como o Pola já te contou nós agora andamos a ver se ferramos umas corvinas mas não está fácil ,tive uma ferrada mas partio-me o 0,60.
    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grade amigo Sérgio,
      Apreciei bastante a zona costeira de Cascais que já conhecia mais ou menos pois estive por ai a trabalhar, mas nunca tinha lá pescado.
      Embora ache que não se adequa muito ao meu tipo de pesca pois goste de pesqueiros com pouca altura de água e um pouco mais mexidos, essa zona é boa para os tainheiros.
      Estive um pouco à conversa com o Pola e ele disse que vocês agora andam atrás das grandes Corvinas, certamente vais ter dias de gloria pois o Pola já fez o gosto ao dedo com duas belas Corvinas.
      Abraços e grandes pescas.

      Eliminar
  4. Fala Pedro, tudo certo?
    Devido a falta de tempo, só agora consegui postar sobre as maneiras de preparar as Tainhas, quando puder da uma olhada lá.
    Abraços.

    link: http://www.pescalitoral.com.br/2012/05/tainha-maneiras-para-preparar.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande amigo Tiago dei uma olhadela pelo post e agora tenho mais umas boas receitas para confeccionar tainhas.
      Muito bom.
      Abraços e grandes pescas

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Boas Pedro!
    desde já peço desculpa por acidentalmente ter removido o meu comentário.
    Tu nem deixas o peixe se esquecer de ti:)))nem mais pescador que é pescador nunca perde a oportunidade de uma pescaria nem esperança mesmo que o carreto não ajude:) mais um excelente post.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Alexandre,
      Para a pesca estamos sempre prontos mesmo com as adversidades que por vezes nos acontecem, também faz parte da pesca.
      Quanto ao comentário apagado não há crise.
      Obrigado pelo elogio ao post.
      Abraços

      Eliminar
  7. Amigo Pedro,como diz o amigo alexandre,(nao deixas o peixe esquecer).Eu so te peço para deixares vir uns aqui para s.lourenço que isto esta fraco.Eu bem procuro ,mas nem ve los...abraços

    ResponderEliminar
  8. Grande amigo Hélder continua à procura que um dia eles vão passar por lá e vais ter um dia daqueles que ficam na memoria.
    Abraços

    ResponderEliminar
  9. Amigo Pedro, sem dúvida que visualizar as águas em que o meu amigo tem pescado (oxigenadas e baixas), e ouvir, por vezes pequenos pormenores quase imperceptíveis, mas que se captam, servem para se ganhar mais confiança na escolha de pesqueiros. Porque por vezes ouvimos também referências, que não seguimos por falta de ver ao vivo, por falta de segurança, por falta de acreditar. É como em tudo na vida, é preciso acreditar.
    Grato pelo companheirismo que tem existido e pela resposta á questão.
    Estou virado para um pequeno estudo sobre o concurso do Bárrio, já vi que se trata de uma zona perto da Nazaré, provávelmente a área da prova será entre Nazaré e S.Martinho do Porto? Será? Neste concurso o meu amigo quer vir pescar para o pé de mim apanhar tainhas?(hi,hi,hi). O problema é que eu sou daqueles que uso o tal classificado de "balde da mer** ".
    Um abraço e até á próxima

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...