Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

4º Prova do Campeonato da Bordinheira

 O relato desta prova foi feito pelo meu camarada de prova Artur Silva a quem agradeço, como descreve tão bem esta jornada decidi publica-lo.
Quarta prova deste campeonato. As previsões do tempo e mar eram tão más que tive dúvidas em participar, no entanto as expectativas que criei no Pedro Franco pelo meu interesse nas coisas da pesca deveriam ter sido tantas que ficaria envergonhado se não participasse. Combinámos a hora, fatos de oleado para o carro e lá vamos nós direito à Bordinheira e à praia da Amoeira. Desta vez era para participar na competição, mas tentar não prejudicar a prova do Pedro. Chegados à Amoeira estava um tempo de uma negrura fantástica, de ondas fantásticas, eu estava bem agasalhado mas ainda sentia frio nas mãos. Resumindo; estava fantástico dentro do carro, mas…….. a obrigação pôs-me a caminho encosta abaixo, para cima do areal. Não sabia como é que havia de pescar, tais eram as condições. O Pedro orientou-me para a chumbadinha de 20 grs. e assim fiz enquanto ele começou por pescar à bóia fazendo logo alguns peixes nos primeiros lances .Quando o colega se deslocou para pesqueiro da direita iniciei um pouco de engodagem, quando o colega foi experimentar para o fim da praia, aproximei-me e subi para cima da rocha onde confirmei a existência de uma poça mais ou menos calma e vi que dava para a bóia. Fui buscar a cana da bóia e aumentei a densidade de engodo sobre a “ponta da água”, qual não é o meu espanto quando vi uma boa tainha a 2mts de distância, iniciou-se o processo de forte produção de adrenalina. Dado que estava muito perto do local da tainha, recuei cerca de 2-3 metros, isco e lanço obtendo uma captura boa, isco e lanço e bis, e mais dois bis. Chega o colega, que não queria acreditar que eu tinha 4 tainhas e…, logo de seguida ferro a 5ª. A partir daqui mantivemo-nos algum tempo no mesmo pesqueiro, começou a haver mais corrente, a maré já enchia bem (com influência da lua cheia) e a bóia já não se mantinha no mesmo sitio, deixou de dar peixe.
Acabei por ir para cima da areia e verifiquei que a bóia ainda se aguentava bem no pesqueiro, mas.... incompreensivelmente não ouve mais toques de peixe com medida, o que me deixou estupefacto, foi então que verifiquei que, embora eu pensasse que o engodo estava a correr para a esquerda, efectivamente estava a correr para a direita, terá sido por isso? O Pedro ainda fez peixe á direita, mas a partir daí, eu mantive-me no mesmo lugar, ele mudou mas já não se apanhou nada. Havia que ir á procura do anunciado cozido á
portuguesa e... aguardar pela próxima em 08.Jan.
Acabou por ser um dia de mar muito bem passado (e “de terra” também).
A prova foi ganha na Praia Formosa pelo José Tecedeiro com tainhas, Salemas e sargotes, somando 13700pts.
O Pedro fez 2º lugar com 4 sargotes com 1095grs e 6 tainhas com 3725grs totalizando 11830 pts.
Eu fiz 5 tainhas com 3,865kg, 7.730pts, 6º classº.
O Joaquim Franco também ficou nos 10 primeiros.
Aqui fica a foto da pescaria que não sendo nada de espectacular vale pelas condições adversas em que se realizou.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...