Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Cana de pesca à Inglesa VS Telescópica de Bóia

Apesar de este fim de semana não ter ido à pesca a vontade de estar com a cana na mão  fez-se sentir e aproveitei a oportunidade para pegar nas ditas e realizar este post onde vou dar a minha opinião no que toca a canas de pesca de bóia,  baseado na minha experiência pessoal.
Certamente muito já foi dito e debatido sobre este tema,  qual o melhor tipo de canas para pescar à bóia?
Uns preferem canas compridas outros canas curtas, uns preferem canas com acções altas outros com acções baixas, neste pontos depende muito do tipo de pesca que se deseja fazer se temos de içar peixe ou apenas encalha-lo.


Quando comecei a pescar à bóia era com uma cana telescópica em fibra, e nessa altura pescava com fios de diâmetros que andavam entre o 0,20mm e 0,25mm e bóias de gramagem altas(entre 10 e 20grs)que se ajustavam perfeitamente para esse tipo de cana.
Vendo que os grandes pescadores pescavam quase sempre com linhas abaixo dessas medidas entre 0,14mm e 0,18mm e bóias bastante mais leves, tentei imitar mas as coisas acabavam por não funcionar como mais desejava correndo mal na maior parte das vezes.
Comecei então por ir tirando algumas conclusões com as mudanças, pescando com fios mais finos abaixo de 0,20mm e bóias mais leves conseguia ferrar mais peixes mas tira-los era quase impossível pois a cana era demasiado rija e acabavam por partir alinha deixando-me frustrado.
Sendo um bom observado, reparei que esses mesmos pescadores pescavam com canas muito mais sensíveis, leves e que por esse motivo conseguiam pescar muito mais fino tirando os peixes sem grandes problemas. Era então hora de mudar para uma cana mais sensível e tentar por em pratica uma pesca mais fina, notando logo grandes diferenças no que toca a capturas, estas mudanças facilitaram também em muito conseguir iscar correctamente com sardinha, aumentando consideravelmente o numero de capturas.
Dai para a frente foi uma questão de pratica muitas horas de pesca , de troca de conhecimentos e de testar muitos pesqueiros para ir tirando novas conclusões.
Um dia num concurso de pesca em Cambelas em que fiquei em 1º lugar e como prémio escolhi uma cana de pesca à Inglesa, essa cana veio mudar radicalmente a minha pesca pondo praticamente as canas telescópicas de lado.
Estas canas são bastante leves de acções muito baixas que permite pescar muito fino com grandes vantagens no que toca a ferragem do peixe, pois sendo uma cana leve encurta o tempo de ferragem que em muitas situações faz a diferença, claro que se estivermos apescar o mais proximo da agua encurtando os metros de fio que separa a ponteira da bóia tambem é um factor relevante. Outra vantagem desta cana é que permite ao pescador estar muitas horas a pescar sem sentir cansaço, pois é tão leve que parece que não temos nada nas mãos.
Mas como não ha bela sem senão, estas canas também tem defeitos sendo o maior deles o transporte, onde não as conseguimos levar com montagens feitas para a pesca( bastante necessário em competição), são demasiado frágeis e qualquer toque podemos partir um passador ou mesmso a cana, como os pesqueiros onde pesco são de acessos difíceis torn-se complicado o seu transporte, de resto nada a apontar.
Olhem  o grande sacrifício e esforço que vinha a fazer por trazer as canas e balde de engodo numa mão e na outra uma lata cheia de peixe, é um sofrimento que eu sei lá, pena é não sofrer assim todas as vezes que vou à pesca!!
Não sendo um tipo de canas muito utilizado para a pesca de mar pois foi criada para pesca de rio, é para o meu tipo de pesca com pouca àgua em que na maior parte das vezes não é necessário levantar peixe  a cana ideal, tendo varias com medidas diferentes para varios tipos de pesqueiros, uma de 3,6mts, outra de 4mts e outra de 5mts.
Claro é que tenho também canas telescópicas que utilizo para pesqueiros onde tenha de içar peixe, para pescar à chumbadinha, ao pião ou até mesmo à bóia com pescas mais ligeiras, todas com as suas diferentes caracteristicas com medidas entre 4,20mts e 5mts em que a arrumação e transtorte são a maior vantagem, estas permitem ir todas montadas de casa e chegado ao pesqueiro é só escolher a que mais indicada ao pesqueiro, esticar e lançar.
Isto é apenas a minha opinião, mas melhor cana é aquela em que o pescador se afeiçoa a ela de tal modo que parece que foi feita à sua medida, se lhe colocarem nas mãos outras canas, ele pode até gostar, mas vai dizer que gosta mais de pescar com a dele, pois está feito aquela cana e é com ela que se sente à vontade e confiante para mais uma jornada, sendo então o factor «habito» muito importante na escolha da cana.
Se tiverem outra opinião ou ponto de vista partilhem!!!!
Boas pescas.

22 comentários:

  1. A minha primeira cana de pesca, a sério, foi um canelão inteiriço. Depois, como era novidade, tive várias canas telescópicas, em fibra de vidro, mas nunca pus o canelão de parte. Passado uns tempos, por causa da circulação rodoviária, tive que partir o canelão ao meio. Com o tempo foram surgindo as primeiras canas telescópicas em carbono. No entanto, a minha preferência foi sempre para o canelão. Mais tarde, com o surgimento das canas de surfcasting de 3 partes, com 5mts, em carbono, acabei por encostar o canelão. Recentemente, com a inovação tecnológica e o surgimento de novos materiais e formas de fazer canas, as canas telescópicas acabaram por se tornar rainhas, não obstante da minha preferência ser, primeiro, para as canas inteiriças, seguindo-se as de 2 ou 3 partes e, em último, as telescópicas, embora a minha cana favorita tenha sido uma telescópica, de 3 elementos, com 4,7mts.
    Embora as canas inteiriças e as de 2 ou 3 partes tenham um ponto negativo (transporte), em tudo o resto são superiores às telescópicas, nomeadamente: trabalhar da cana como um todo, posicionamento dos passadores, equilibrio do conjunto, forma de sentir, trabalhar e suspender/encalhar o peixe, lançamento, etc.
    Quanto ao tipo de pesca, como já deves ter reparado, é mais para o estilo "forte & feio", no entanto admiro quem pesca "fino". Com canas rijas é possivel pescar fino, já o contrário, nalgumas situações, é impossivel.

    Saúde, da boa ; ))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas amigo Pêjota, muito bom o teu comentário, o que me foste relembrar!!!!
      Os meus velhos tempos em que pescava ao fundo também com um canelão de 4,5mts quefoi a 1ª cana do meu pai e que depois me deu, recordo perfeitamente sempre que iamos para a pesca de colocal as duas canas em cima do mini com uma esponja e dois cordões para segurar as canas,he he he he, era um espectáculo, vou fazer um post ainda esta semana dessa situação com umas fotos catitas e cheias de simbolismo.
      Depois a policia começou a implicar com tal aparato e também tivemos de cortar os canelões, agora está guardado e apenas utilizo para pescar ao corrico com bóia de agua.
      Quanto ao tipo de pesca que fazes não sou capaz de fazer pois não tenho paciência para esperar pelo peixe, mas admiro quem a faz e é sem duvida uma pesca em que se pesca peixe maior e de qualidade.
      Olha quê feiton do marafado Nuno Caçorino? Tem andado desaparecido!!!!
      Um grande abraço.

      Eliminar
    2. O Nuno, felizmente, arranjou trabalho novamente e tem ido pouco à pesca porque anda muito atarefado. Como deves imaginar, no Verão, no Algarve, é dificil conciliar trabalho e pesca...: (( No entanto, desde que recomeçou a trabalhar já fomos uma vez à pesca mas sem sucesso. É dificil conjugar o tempo livre com as luas, marés e mares de feição. Melhores tempos virão ; ))

      Abraço e saudações piscatórias

      Eliminar
    3. Assim está bem, é bom saber que está tudo bem com ele!!! É ainda melhor ter trabalho e quando houver uma folga ir ao mar, apesar de nem sempre apanharmos as melhores marés, mas já o meu pai me dizia desde pequeno que em 1º lugar está a escola/trabalho e se der depois está a pesca!!
      O importante é divertirmos-nos sempre que possível com uma ida ao mar, mas tendo em mente que vão haver mais marés e o peixe não acaba.
      Abraços companheiro

      Eliminar
  2. Bom post para quem se quer iniciar na competição de pesca á bóia, para ajudar a escolha de material e melhorar os seus resultados, ou para tirar dúvidas a quem as possa ter.
    A minha primeira cana foi uma "Difa" de 5,20m, inteiriça, que era material de 1ª aqui há 30 anos e, nessa altura, mesmo em concursos, quase só se pescava ao fundo. Lá aparecia um ou dois pescadores de bóia, mas mesmo esses pescavam com "Difas" de calibre mais soft, partidas ao meio, c/ dimensões mais reduzidas.
    Participei em concursos federados pela "Física" de T.Vedras, a pescar sempre ao fundo, a cana era transportada no meu mini, com uns porta canas no tejadilho e atada com um cordão ao pára-choques traseiro, e a ponta repuxada para trás e atada á frente. O problema era fazê-la subir para o 4º andar da minha casa, quando o elevador tinha 2,5m e a escada era muito estreita e curva, tinha que ser puxada pela varanda, com um cordão. Eu fazia a "entrega" no rés-do-chão e a minha mulher segurava o cordão lá em cima, aguardava e quando eu chegasse puxava-a para cima com cuidado para não partir os vidros ás janelas dos vizinhos. A cana ficava na varanda porque não cabia dentro de casa. Esta situação tornou-se cansativa e mandei montar uma "Difa" á medida do elevador. Ainda hoje tenho essa cana para recordação, que já não uso pelo seu peso e pelas minhas fracas possibilidades, mas, para quem tenha cabedal, espeta com uma chumbada de 250gr a 150/180 metros de distância, quando é preciso chegar a uma "coroa" de robalos e o mar estiver agressivo.
    Quando, em 1985 iniciei o campeonato de pesca dos bancários, ainda pesquei á bóia com essa cana de 5,20m na primeira prova (a cana deve pesar cerca de 2,000kg ou mais) mas vi que não dava e tive que iniciar os novos materiais telescópicos, que por aqui ficaram até hoje, com diversos processos de actualização.
    No entanto, a título de curiosidade, os maiores e melhores exemplares foram tirados com a “Difa”, Robalos de 1,2,3 e 5 kg, Douradas de até 2kg, sargos de até 1,650kg, margotas de até 2,kg. As iscas, foram os famosos caranguejos de “2 carros”, boxa de polvo, mexilhão e lingueirão.
    Boa saúde e bons resultados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas amigo Artur, mais um grade relato de como se pescava à uns anos atrás, grande ginástica para colocar o caniço no apartamento, pescador sofre!!!!
      Foi uma enorme evolução a das canas, onde hoje temos canas que pesam pouquissimo e conseguem tirar exemplares monstruosos(não são os meus!!).
      Era e continua a ser o tipo de pesca que melhor peixe tira.
      Um grade abraço e grandes fainas e caminhadas!!

      Eliminar
  3. Boas Pedro
    Gostei do post, muito interessante.Deve ser um prazer pescar com uma cana pesca Inglesa, mas
    na pesca que pratico acredito que as telescopicas ainda são a melhor opção.
    Abraço
    Rui

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Rui Nunes é um grande prazer a tua visita aqui pelo blog.
      Eu percebo perfeitamente o teu p+onto de vista pois já estive na Madeira em trabalho e levei a cana, os pesqueiros esses são na sua maior parte altos e muito fundos, muito diferente do tipo de pesqueiros que frequento, quando ai estive não estava preparado para as pescas que ai fazem e apenas apanhava peixes rainha e vejas pequenas entre outros peixes miúdos que comian a isca toda sem que ficassem , para aproxima que ai vá já irei preparado.
      Um grande abraço e boas pescas, e continua a passar aqui pelo blog pois serás bem vindo.

      Eliminar
  4. Boas Pedro,ja ando a uns tempos a pensar adquirir uma cana inglesa.Em relaçao a melhor opçao vai depender dos pesqueiros.abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite camarada Helder,
      Do que estás à espera, compra uma e verás a diferença, não terás problemas com os pesqueiros pois conheço-os todos muito bem e pesco neles com excepção de alguns, mas mesmo nesses estas canas conseguem levantar peixe, mas nunca fiando!!!
      Um grande abraço :)

      Eliminar
  5. Boas Pedro bom post, sou um apaixonado pela bóia, sempre foi a minha pesca de eleição, agora o spinning este ano é que me tirou tempo para as outras modalidades, pesco há bóia seja em mar aberto ou em estuários, aqui dou preferencia a canas inglesas ou tipo inglesas tipo uma Carson 4.00m que tenho bastante parabólica mas para as minhas burras de verão não há melhor, mata bem o peixe, este ano está fraquinho muitas safatinhas e burras muito poucas, a montagem é feita com bóias há inglesa com muito pouco peso, dou preferencia ás tele match para poder levar a montagem feita, em relação ao mar para sargos já gosto de canas mais duras/rápidas. Abraço campeão

    ResponderEliminar
  6. Boas Sílvio,
    pelos vistos temos gostos em comum, no que toca a tipos de canas e tipo de pesca, eu este ano também decidi perder algum tempo com o spinning e com resultados positivos mas também com carradas de grades ás costas, nesta próxima época vou continuar a tentar enganar uns robalos.
    Obrigado por passares por aqui e por partilhares connosco a tua opinião.
    Abraços e grandes pescas

    ResponderEliminar
  7. É um excelente post.....sobre canas de pesca a boia muito há para dizer.Pesco em agua doce e salobra, maioritariamente a boia ou spinning.Depois de comprar varias canas e ir me adaptando a cada tipo de pesca, escolhi para cana de pesca a boia uma trabucco spitfire 500.É uma excelente cana, foi comprada praí a 15 anos.Até hoje não houve nenhuma que lhe chegasse aos pés. Tem 5 mt pesa 190 gramas, ponteira super sensivel.Faço lançamentos com boias de 2 gr onde muita gente não faz com 20. Sempre com linha 0.15 no carreto.Foi pena que a evolução desta cana foi para pior.A trabucco quando lançou uns anos mais tarde o novo modelo, já não tinha nada a ver(e o preço tambem não).Para mim não há melhor

    ResponderEliminar
  8. Boas Rui Costa,
    Ainda bem que o post foi do seu agrado pois a ideia era mesmo a partilha de ideias entre a comunidade blogeira, desde já agradeço a sua participação e visita ao meu blogs onde partilho os meus conhecimentos e experiências de modo aberto com todos.
    Pelos vistos temos gostos idênticos no que toca a canas apesar da minha não ser da Trabuco(nem sei de que marca é pois foi ganha num concurso e não tem nada registado nem marca nem gramagem ).
    Um abraço e grandes pescas

    ResponderEliminar
  9. a marca não interessa, interessa é como se comporta e se aprende depressa a pescar:-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, é mais ou menos assim, pois no inicio não me adaptei logo à cana tendo feito 2 pescarias onde por azar tiveram ambas muitos peixes a desferrar, pensei logo que seria por causa da cana, limpei-a e arrumei-a e estive um ano sem lhe tocar, mais tarde voltei a usa-la desta feita com grade sucesso e dai para a frente foi sempre a andar, hoje não quero outra, fomos feitos um para o outro, foi feita à medida!!!!
      Abraços

      Eliminar
  10. Eu, sinceramente, comecei com uma canita que arranjava lá na quinta do meu Avô, punha uma rolha no nó, para espetar o anzol, há mais de 35 anos. E corria ribeira abaixo - ribeira acima, às trutas. No entanto depressa evoluí, comprei um set-blister c/ cana, carreto, fio e medalha, que custou 300$00, no canetas em C. Branco, a seguir comprei duas canas diretas, de 4 e 5 mts, sem marca, de pois uma Hiro c/um okuma..., hoje a pesca é um problema tenho canas telescópicas - inteiriças - de 2 tramos, etc.. mas sem dúvida nenhuma a que me fica namemória é uma DAM,Tele/MH - 5,90, robusta como uma pedra e rija como o aço. É claro que hoje atualizei o stock canistico, e prefiro as grauvell e as shimano, pelo equilibrio, e pela prestação destas marcas. No Entanto, hoje em dia quase todas as marcas de material de pesca, oferecem boas canas a bons preços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Canovski,
      desde já agradeço a visita e comentário engraçado e muito bem elaborado no meu blog.
      Muito boa partilha companheiro, fica aqui a opinião e experiência de uma vida dedicada à pesca, sem duvida que apesar do matrial ir ficando cada vez mais sofisticado à sempre aquela cana ou carreto que nos marca para sempre e da qual nos vamos recordar eternamente.
      Um grande abraço e vai passando aqui pois serás bem vindo.

      Eliminar
  11. reavivando um post com 4 anos :)

    Sou da zona de Aveiro, e por lá aprendi a pescar à inglesa com um bom amigo.
    A minha cana é uma inglesa de 3,60m, 3 partes e já me deu muito gozo a pescar carpas.

    Entertanto, desde há uns anos que moro em Lisboa, e não consigo matar o vicio. Andei um ou 2 anos pelas valas de VF Xira, mas aquilo está muito estragado...
    Entretanto, agora tenho ido de vez em quando a uma barragem para os lados de Alcochete, de vez em quando uns peixes engraçados, mas fica longe, o peixe não é nada de especial...
    Enfim, não me mata o vicio!

    Entretanto, como tenho o Tejo aqui tão perto, já pensei ir experimentar pescar por lá com a minha inglesa, mas normalmente ponho-me a pensar que provavelmente só vou fazer figura de parvo - e grade certa :)

    Bom, mas afinal vejo que há mais malucos como eu, que só gostam de pesca se tiver uma boia para lhes captar a atençao!

    Algumas dicas para pescar perto de Lisboa, ali pelo tejo, com uma montagem o mais parecida possivel com a inglesa? Pescar leve, naquela corrente toda, é coisa para funcionar ou não?

    1 abraço e boas pescarias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Hélder,
      desde já agradeço a tua visita neste espaço de partilha.
      Pois bem o Tejo não é minha praia já que nunca lá pesquei, não sei se a pesca à inglesa é funcional neste tipo de pesqueiro com a corrente do rio.
      Eu utilizo estas canas de pesca à inglesa para pescar no mar, com bóias fixas ligeiras, não as tipicas bóias de inglesa que usam na pesca de rio, posso dizer-te que se fores para o lado do mar na zona de Carcavelos, Parede consegues pescar à bóia com essas canas, engodas com sardinha e iscas com lombinhos de sardinha e garantidamente terás sucesso nas tuas jornadas, podes apanhar peixes menos nobres como tainhas e salemas, mas também podes apanhar sargos e robalos é uma questão de experimentares.
      Não és o unico maluco que só consegue pescar estando a olhar para uma bóia he he he, eu também sou assim, gostos o que é que podemos fazer!!!
      Posso ainda convidar-te para uma pescaria na minha zona Ericeira/Santa Cruz ou numa zona a meio caminho no litoral de Sintra para partilharmos experiências piscatórias e mostrar-te o funcionamento deste tipo de pesca o que dizes?
      Abraços e bons lances companheiro.

      Eliminar
    2. Pedro, sem duvida que teria muito gosto! Teria muito para aprender, sem dúvida!
      Amanhã ja me organizei a ir levar o meu miudo a pescar em agua doce, mas se pensares ir este domingo próximo, ou no fim de semana seguinte, fazer uma pescaria desse genero que sugeriste, vou cheio de vontade aí ter e aprender os teus truques :)

      Abraço e boas pescarias!

      Eliminar
    3. Helder a pesca prometida será realizada com certeza, os proximos fins de semana estão já destinados pois tenho provas, mas assim que lá for fora de provas digo-te alguma coisa, podias-me enviar um email para te poder comunicar com alguma antecedência essa pescaria, o meu email é pesca.de.cana@gmail.com
      Grande abraço e até um destes dias.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...