Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Sargo de Prata

Este foi mais um fim de semana muito preenchido no que toca a pescarias, no sábado 24 de Outubro o concurso do Sargo de Prata, no dia seguinte nova competição, desta feita a 7ª prova do campeonato da Bordinheira.
Depois não queres ouvir a Maria???Tem razão sim senhor, mas o que fazer???
Bom mas passemos então ao relato da 1ª pescaria.
Após um ano de interregno, o clube Millennium BCP realizou o tão aguardado XI Sargo de Prata.
Após ter participado na ultima edição e ter vencido, a minha participação era quase obrigatória, nem pensar em fazer uma desfeita destas ao meu grande amigo Artur Silva.
A prova como habitualmente foi realizada em Peniche, bastante participada, na sua maioria por pescadores dos vários grupos bancários e alguns convidados, como foi o meu caso, esta é uma prova onde os sargos são a espécie alvo.
Com o objectivo da revalidação do titulo em mente, lá fui eu com o meu pai até Peniche, reencontrar-me com esta malta amiga.
Antes da habitual concentração, uma olhadela em 2 ou 3 cantinhos, as condições estavam reunidas, para um dia de pesca com boas capturas, mar mexido, boa cor da agua, bem oxigenado, mesmo como os sargos gostam.
Depois de analisados os pesqueiros, subsistiam algumas divergências na escolha do pesqueiro com o meu parceiro, eu apostava na Papôa, ele nuns lajões à esquerda da «Boneca».
E assim foi, ele para um lado, eu para outro, aproveitei a boleia do colega João Pedro Alfaro Cardoso, com quem tive grande prazer de partilhar esta aventura.
No decorrer do sorteio, acabamos por ser os últimos 3 a sair, ficamos à espera até ao final, o saco já estava vazio e nós sem sermos chamados.
Já não restava vivalma de pescador, num ápice estávamos só nós.
- Mas onde estão os nossos números??? (pergunto eu)
- Colocaram no saco a vossa identificação?? (disse o organizador)
- Hààà..... era preciso lá por a etiqueta???
Foi a risada geral, mas que grandes tótós he he he......
Mas que melhor maneira de começar a jornada, finalmente lá arrancamos para os pesqueiros, logicamente, o spot que tinha em mente, já estava ocupado, logo com um adversário de peso, o Miguel do Banif.


Acabamos por apostar no «Barreiro Baixo», toca de prepara o engodo, depois de montar as minhas canas, dei uma ajuda ao João Cardoso, pescador experiente na pesca com bóia de pião, mas a dar os primeiros passos na pesca com bóia mais ligeira.
Depois de lhe ensinar como iscar com sardinha, e fazer uns ajustes na sua montagem, chegava a hora de dar inicio à faina.

Depois de engodarmos cá atrás nos seixos, saltamos para uma pedra, o mais dentro possível, eu como habitualmente apostei numa bóia de 3grs, com fio 0,165mm.
Assim que laçamos, o peixe deu logo sinal, os sargotes andavam por ali, bem manhosos e a comer mal, ainda assim fui tirando alguns e desferrando outros tantos, até 2 viúvas eu tirei, não sei se é normal por estas bandas, já tinha apanhado algumas na Costa Vicentina, mas por aqui não.
O João lá ia tentando ferrar algum peixe, mas a tarefa estava complicada, até parece fácil, dizia ele!!!
O mar foi enchendo e depressa correu connosco cá para trás, o peixe começou a falhar, mas ainda assim lá foram aparecendo um ou outro sargote.
Era hora de o procurar noutro lado, passamos para a esquerda do Barreiro Baixo, na outra baía de seixos, após engodar, tranco 2 bons peixes, que acabaram por se desferrar, mudo o anzol para um um pouco maior, e lá consigo tirar um bom sargo e uma tainha.
Após insistir, sem ter mais resultados, passo novamente para a direita da pedra, esta é chamada a pesca ping pong, ora cá ora lá, sempre em andamento.
Apanho algumas bogas e mais um sargote, o peixe volta a falhar, o João faz-me sinal para ir para ao pé dele que estava a sentir peixe, vou até lá e tiro mais um bom sargo e 2 salemas.
O peixe falha novamente, e volto ao pesqueiro inicial onde terminei a pesca, tirando mais umas tainhas e um robalote.
A pesca chegava ao final, com uns peixes na lata saia satisfeito, apesar de sentir que podia ter feito melhor, já o meu colega João não saiu tão satisfeito quanto eu, mas ainda assim conseguiu safar a grade com um sargo.
Dirigimos-nos para o local da entrega e pesagem do peixe, junto da antiga  e abandonada fabrica de conservas, situada à beira da marginal. A malta ia chegando a conta gotas e a pesagem ia sendo realizada por ordem de chegada.
O meu pai já lá estava na fila, também safou a pesca com uns sargos, tirados à chumbadinha.


Até à altura em que o meu peixe foi pesado, estava na liderança, mas por pouco tempo, entretanto apareceram 2 boas pescas de sargos que me destronaram.
Após a realização das pesagens, vinha a parte que todos mais ansiamos, os comes e bebes, no restaurante «O Braga».



Com a habitual camaradagem e amizade que se quer, a tarde passou bem rápido, mas ainda faltava a entrega dos prémios.
Vou começar pelo prémio do maior exemplar de sargo, fazendo jus ao nome desta prova, foi ganho pelo Fernando Antão, com um sarguinho com 1,240kg.
A vitória na geral coube ao João Feira do G.D. Santander Totta, um homem já habituado a dar cartas na pesca, seja de bóia, seja surfcastting, entre outras modalidades, um pescador polivalente, totalizou 26110pts, para ele os meus parabéns.
Em 2º lugar ficou o António Margarido também do G.D. Santander Totta, com 25200pts.
A fechar o pódio fiquei eu, representando o BPI, com 24300pts, não consegui revalidar o titulo, mas foi por muito pouco.


Por equipas o  G.D. Santander Totta, foi o grande vencedor.
Queria ainda agradecer a oportunidade de poder participar neste convívio e dar os parabéns aos responsáveis pela organização de mais um excelente convívio.

Após mais um grande dia de pesca competitiva, boas amizades e muito convívio, chegava a hora de rumar a casa, lavar a farda e preparar novamente todo o material, pois no dia seguinte era a contar para o campeonato, mas este relato fica para a próxima postagem.

6 comentários:

  1. Boas grande Pedro!

    Mesmo a sair em ultimo ainda deu para fazer um excelente 3º lugar e com uma bonita pescaria!Parabéns!
    na costa Vicentina também já tirei umas quantas viúvas á chumbadinha mas por estes lados desconhecia que havia tal espécie .

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas grande gradeiro,
      podes crer, por vezes quem sai por ultimo ri melhor he he he
      Um 3º lugar não é mau de todo, uma pesca bem jeitosa de sargos, num terreno que não é o meu forte.
      Nem tu, nem eu sabia da existência de viúvas pelas nossas bandas, já tinha apanhadop nos Açores e também na costa vicentina, por aqui foi estreia.
      Abraços

      Eliminar
  2. Boas Pedro mais uma bonita competição ,desta com um bom 3 lugar e uma bonita pescaria.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas mestre Alexandre,
      um 3º lugar bem suado e muito saboroso, com uma boa pesca de sargos, mas podia ter sido melhor, talvez numa próxima corra ainda melhor.
      Grande abraço.

      Eliminar
  3. Grande texto, grandes fotos, sempre a "apanhar-me". Foi mais uma grande jornada. Para o ano lá estaremos, caso o BCP Millennium queira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe como é grande amigo, o paparazzi anda sempre pelos convívios de maquina na mão, nunca se sabe o que dali sai, neste foi apanhado literalmente de calças na mão he he he
      Para o ano lá estaremos para nova tentativa de apanhar o tal sargalhão de Prata.
      Abraços e bons lances.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...