Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Ainda não foi desta!!

No passado domingo realizou-se mais um convívio de pesca, desta feita integrado nas Festas Anuais da Bordinheira que contou com meia centena de pescadores para mais um dia de diversão, pesca, copos e aquele convívio salutar que se deseja.
Agora que se aproxima novo ano escolar, foi talvez uma das ultimas oportunidades do júnior mostrar o que sabe e tentar dar uma tareia no avô neste final de época.
Tal como nas ultimas brincadeiras eu fui mero espectador e ajudante nesta sua tarefa, o dia apresentou-se muito bom para a pesca, sem vento, o mar a cair mas ainda com uns enchios, com boa cor(não em todos os pesqueiros).
Como de costume a família Franco foi junta em busca de uns peixes, mais uma vez apostamos na Ursa, principalmente por causa da cor das aguas, por não ter excesso de areia no pesqueiro e porque é um bom spot para o João.
Depois de descer a arriba, descaímos para os caneiros a sul da descida, montei a cana com fio 0,18mm e uma bóia de 7grs, preparei um balde de engodo e uns filetes de sardinha para isco, a poucos metros o meu pai apostou na chumbadinha, a sua pesca de eleição.
Engodado o pesqueiro era hora de começar a labuta e não podia ter começado da melhor maneira, bóia na agua e ao 1º lance peixe ferrado, depois de uma boa luta uma boa tainha na lata, mais meia duzia de lançamentos e mais um peixe ferrado, desta feita um sargo, sempre de olho no avô ia dizendo, «É hoje que ganho ao avô, ele ainda não tem nada ;) ».
Com a maré a descer depressa ficamos sem agua no buraco, encostamos-nos mais ao meu pai que naquela altura estava a tirar o seu 1º peixe uma tainha, logo no lançamento seguinte tira mais um sargo empata o jogo, o júnior ainda tirou uma tainha ficando em vantagem, mas depois ficou a ver o avô a tirar uns bons sargos de rajada, era só lá cair e pimba, uns atrás dos outro.
Com pouca agua no pesqueiro só lhe calhava pequenas sarguetas que foram sendo devolvidas, o peixe graúdo andava mais afastado sem abeirar.
Fulo da vida e farto de ver o avô a tirar peixe quis mudar de sitio, uma atitude que compreendo perfeitamente e que também já tive, principalmente em competição, estar perto de alguém mais experiente e que está sempre a tirar peixe deixa-nos bloqueados e desorientados, sem conseguir reagir e ver onde estamos a falhar, neste caso a falha não era dele pois são pescas diferentes e como o peixe estava mais fora nada havia a fazer senão ir procurar noutro lado onde existissem melhores condições.
Sem grande opção fomos para cima da Ursa, onde faz uns lagos mais fundos, procuramos os sargos mas deles nem sinal, o melhor que lá apareceu foi uma boa baila, já na parte final entraram umas tainhas bem manhosas, foi necessário mudar para uma bóia de 2grs para conseguir tirar algumas.

 Aqui fica uma bela sequência de fotos a trabalhar o peixe como manda a regra.





Sem ter conseguido atingir o objectivo principal, pois a desforra acabou em 13 a 8 favorável ao avô, que além de ter mais peixe tinha 12 de qualidade(11 sargos um robalote) e apenas 1 tainha, ainda assim com 8 peixes estava bem satisfeito e confiante para obter um bom lugar.
Depois da pesagem realizada e classificação feita, seguiu-se um esmerado almoço muito bem regado claro está, que isto da pesca abre bem o apetite como todos sabemos, aqui sim ganhou ao avô, parecia que estava roto o raio do miúdo!!!

Depois da barriga bem aconchegada, decorreu a entrega dos prémios, em 1º lugar com 17360pts ficou o avô Joaquim Franco, confirmando o bom momento de forma que atravessa ganhou também o prémio para o maior nº de exemplares, para ele os meus parabéns.
Em 2º lugar ficou o Hugo Cipriano com 10150pts, e a fechar o pódio o João Fastré com 9700pts, já fora do pódio em 4º lugar, o tal miúdo de apenas 9 anos que me enche de orgulho e satisfação, João Franco com 7870pts.

De salientar ainda a captura de 2 bons sargos quileiros, um dos quais capturado pelo Joaquim Carvalho que conquistou o prémio de maior exemplar com 1,075kgs.

Foi sem duvida um dia agradável entre pescadores amigos, depois da pesca foi festa rija noite dentro com um grade bailarico até altas horas.
Um abraço e bons lances.

8 comentários:

  1. Boas Pedro,
    Parabéns ai ao avô Joaquim!
    Em relação ao junior, para a próxima correrá melhor, mas senão for, sempre ganha no prato! :)

    Forte Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Manuel,
      O avô Quim agradece.
      Foi mais uma batalha que o júnior não conseguiu passar uma rasteira ao avô, mas no prato foi um campeão, não há nada melhor para abrir o apetite que uma manhã de pesca he he he.....
      Aquele abraço e boas fainas.

      Eliminar
  2. Boas Pedro

    pescar e ensinar em prol dos mais novos ....SAÚDE.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas mestre Nuno,
      esse é um principio básico para por o vicio nos mais novos, temos de tirar algum tempo nosso de pesca em prol dos mais novos, mais um aninho e estará por conta própria ;)
      Saudinha da boa.

      Eliminar
  3. O Júnior a seguir os ensinamentos do pai e a pouco e pouco irá ficar também ele um grande pescador como o pai e o avô! ;)

    Grande Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais Inácio, nem imaginas a satisfação em ver o júnior a pescar e a evoluir.
      Grande abraço.

      Eliminar
  4. Boas grande Pedro..:-) Parabéns aos 3, mas principalmente ao teu filhote que com esta idade já consegue fazer fazer o seu pai babar-se de orgulho..:-)

    Um grande abração amigo

    Luís Malabar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Luís,
      podes crer que tenho muito orgulho e satisfação de ver o João a pescar, é engraçado ver a estrondosa evolução em tão poucas vezes que vai ao mar, nota-se que transpira pesca por todas as partes do corpo é um viciado de 1ª.

      Aquele abraço de Portugal.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...