Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O dia D.....

Bom tinha parado o relato na parte da festa da Ponte do Rol, já eram perto das 4 da manhã de domingo, saio da festa vou até casa para dormitar uma horita.
Mas não estava bem, a cabeça a pensar na pesca, tinha de montar 2 canas para aproveitar ao máximo as 3 horas iniciais da pesca, que seriam quanto a mim as melhores e mais produtivas, ia fazer uma directa, sem dormir um minuto que fosse.
Voltei a casa do meu pai, vesti a farda de pesca, mala às costas e as 2 canas na mão, deixo um recado na mesa da cozinha, «Já levei as coisas, apenas tens de levar o engodo e isco que está no quintal, o resto tenho comigo».
O engodo já tinha sido tirado para a pescaria de sábado, como não foi utilizado, já estava mais que descongelado, o isco era sardinha que também já tinha sido descongelada para a mesma pesca e tinha voltado para o congelador.
Tinha ficado tudo combinado, o meu pai apanhar o Juan no hotel, pois eu teria de estar no clube para receber os participantes, tratar das inscrições e receber pagamentos, 2kms a pé até à Bordinheira, por volta das 5 da manhã estava lá, sem material preparado, tinha de o fazer antes de começar a chegarem os primeiros participantes.
Como de costume preparei 2 canas, uma com fio mais grosso, 0,18mm e bóia de 7grs, e outra com fio mais fino, 0,16mm e bóia de 3grs, entretanto chega o pessoal responsável pelo pão e começam a acender os fornos, pão caseiro para a malta não pode faltar.
Como podem ver isto de organizar convívios dá muito trabalho, só com uma grande equipa de trabalho se chega a bom porto.
Os primeiros participantes começavam a chegar, inscrições de ultima hora e a azafama do costume, despachar papeladas e pagamentos de quase 230 pescadores é obra, mas com uma boa equipa tudo se resolveu.
Não houve tempo para conversas matinais e prognósticos como tanto gosto.
Faltou tempo para receber alguns dos pescadores como deve ser, principalmente aqueles que convidei, que pela 1ª vez participavam num convívio destes e não sabiam muito bem como funcionava, para eles um pedido de desculpas.
Tudo a postos para o sorteio, começavam a sair os primeiros pescadores para o mar, eu fui quase dos últimos a sair, mas sem stress, para mim tudo o que se tinha passado até agora já era uma vitória, superamos largamente a faixa dos 200 pescadores, foram precisamente 228.
Tinha como companheiro de pesca e adversário(he he he...), um pescador que veio de propositadamente da Suiça para pescar e conviver connosco, tudo isto já era uma vitória, a juntar a isto muitos outros pescadores que vieram através do conhecimento e divulgação que faço no blog, a quem agradeço muito.
Finalmente lá arrancamos para o pesqueiro, eu o meu pai e o Juan, pensando no tipo de pesca ao pião do Juan, optei por descer na Ursa, de modo a que tivesse a pescar em cima de uma pedra alta em segurança, com alguma fundura de agua onde pudesse pescar sem molhar os pés e quem sabe matar algum peixe.
Foto: José Caetano
Chegados à descida para o spot, estava lá o companheiro António Mesquita Guimarães com a sua companheira, tinha dado com o pesqueiro que lhe aconselhara, estavam também muitos mais carros de pescadores que já tinham descido, calmamente preparamos a descida, para o Juan não foi fácil, a idade não perdoa, mas lá chegamos a baixo, o pesqueiro estava lotado e um pouco areado para o meu gosto, perguntei ao Juan se ele se importava que o deixasse ali e fosse procurar um canto mais sossegado, ele como competidor disse animadamente, «Hoy no nos conocemos», posto isto lá fui eu.
Mirando a norte, olho para Porto Chão e não via quase pescadores, pensei é mesmo para lá que vou, desço a pedra da Ursa, onde estava o António Guimarães um pouco desorientado, não conhecia a zona, troquei mais umas impressões e tentei ajudar como sempre faço.
Depois disto fui andado,  cheguei ao pesqueiro, já alguns estavam a pescar, preparo o engodo, uns filetes de sardinha na caixa à cintura, optei pela pesca mais fina, cana com fio 0,16mm e bóia de 3 grs, com tudo a postos vou para a Pedra do Saltadouro, pesqueiro que sei como funciona bem com o mar que estava.
Depois de engodar bem, comecei a pescar, depressa os sargos deram sinal, muito peixe miúdo a desiscar, alguns ferrados e devolvidos, volta e meia lá vinha um com medida para o saco, o peixe estava bem manhoso, o vento soprava da terra com alguma intensidade, quando assim é por norma os peixes ficam manhosos e comem mal.
Com a maré a virar lá continuei na mesma toada, nada de extraordinário, mas lá ia caindo um ou outro peixe com mediada, algumas tainhas, e mais uns sargotes, já com o mar a sacudir-me de cima da pedra, ferro um bom sargo que após umas arrancadas acabou no saco, novo lance e mais um idêntico, desta feita desferrou, não dava mais para lá estar e fui mesmo obrigado a recuar.
Já com a pesca bem encaminhada com 12 peixes na lata, o animo estava em altas, pois contava fazer mais uns 2 ou 3 peixes no pesqueiro atrás do 1º, mas incrivelmente nem um toque senti, nova mudança de pesqueiro, e mais uma vez sem resultados.
Como não sou de desistir, fui em busca de algum peixe mais a norte, por trás do Penedo do Zé Russo, perto do meu pai, a pescaria aproximava-se do final e com pouco mais de uma hora para pescar lá consegui ainda matar mais 4 peixes, uma tainha e 3 sargos.
Como estava longe do carro, deixei de pescar 20 minutos antes do final, e pus-me a caminho, satisfeito com a pescaria, no total tinha 16 peixes, 5 tainhas e 11 sargos, quando cheguei ao carro lá estava o Juan, olhou para a pesca e disse que era para ganhar, ao pé dele apenas tinham saído 2 ou 3 peixes, eu achava insuficiente, mas???
O meu pai e o Juan não conseguiram safar a grade e ficaram a zeros, não podia deixar de tirar algumas conclusões sobre o tipo de pesca do Juan, aqui não resulta, pelo menos daquela maneira, cada zona tem as suas características e maneiras diferentes de pescar, a maneira que pesco aqui não se aplica noutros pontos do país, ao longo de algumas pescarias que realizei fora desta zona já tirei essas conclusões.

Agora era seguir para a sede da Bordinheira, entregar o peixe e saber dos resultados dos outros pescadores, com o tempo a passar, não se vislumbrava grandes sacadas de peixe o que me deixava com boas hipóteses de ganhar.
Depois da pesagem feita era hora de saciar a fome, todos bem instalados, com o estômago já forrardo com as entradas, ainda veio uma sopinha, um serrabulho e o porco no espeto, para terminar uma panóplia de doces e frutas, um café e um digestivo acompanhado de uns dedos de conversa com alguns dos participantes.

De volta ao trabalho, pois ainda faltava a entrega de prémios e sorteio das rifas, nesta altura eram afixadas as classificações, confirmava-se, o Juan tinha razão, acabei por ganhar, totalizando 10960pts, tendo capturado 16 peixes, mas apenas 12 pesaram, ganhei também o prémio do maior numero de exemplares.

Em 2º lugar ficou o Mário Alves, do Independente com 9700pts, a fechar o pódio ficou o David Alexandre, do Gap Magoito, com 7070pts, para eles os meus parabéns.

Nas senhoras a vitória sorriu à Cátia Andreia com 540pts, já nos júniores o Duarte Franco, foi o único que apanhou peixe e ganhou com 410pts.

Por clubes ganhou o Gap Magoito e por equipas o Independente saiu vencedor.

O maior exemplar foi um robalo com 1,705kg capturado pelo Tiago Antunes.
A festa continuou noite fora, o Benfica sagrou-se campeão, ajudando a animar a maior parte dos participantes, eu não podia estar mais contente, não só pela vitória do Benfica, nem tanto pela minha, mas acima de tudo pelo sorriso e alegria do Juan, completamente à vontade, parecia que esta era a sua casa, plenamente integrado, isto sim é muito mais que uma vitória, veio da Suiça até cá, nem um peixe apanhou durante toda a sua estadia, mas obviamente que não podia sair de Portugal de mãos a abanar, sem duvidas que estava mais que satisfeito com tudo, valeu a pena ter vindo, o sorriso não engana.

Quero deixar uma nota de agradecimento, para todos os que tornaram este convívio num sucesso, todos os participantes, todos os patrocinadores, mas acima de tudo a esta excelente equipa de trabalho que apoia a secção de pesca da Bordinheira e faz de tudo para que não falte nada, e que no final todos saiam satisfeitos, com vontade de voltar para o ano, na companhia de mais um colega.
Depois de todos os participantes terem ido embora, o meu anfitrião, que adorou a comida portuguesa, fez questão de irmos jantar ao restaurante(como se eu tivesse fome), queria comer mais uma dose de bacalhau he he he.
Lá fomos, foi um jantar de família, o Juan assim fez questão, tinha lembranças para toda a família, chocolates suíços, em especial para o Franco Júnior fardamento para a pesca, foi uma despedida em grande.

Na 2ª feira o Juan partiu para a Suiça, tinha voo marcado às 11 da manhã, eu tive de ir trabalhar e não o pude deixar no aeroporto, mas um colega encarregou-se de o fazer por mim, às 9 da manhã estava à porta do hotel para o apanhar, depois de entrar no carro, sabem o que disse?
- César onde podemos comer Bacalhau ou um polvinho?
- A esta hora em lado nenhum!!! respondeu o César.
He He He.....
Obrigado por tudo Juan, e Mikaela também, grande momento, grande historia de vida, dificilmente vou esquecer, agora sentado no sofá, porque ainda não acabaram, a cada pedaço de chocolate que como, ainda desfruto deste magnifico fim de semana, mas quando acabarem cada vez que comer um chocolate virá à memoria esta jornada épica.  
Esta assim concluída esta jornada, com um relato enorme, mas a situação assim o pedia, este domingo à mais pesca, espero que haja muito para contar, posso dizer que vou andar por mares desconhecidos, vou ao convívio da Amieirinha, Marinha Grande, depois conto tudo.
Abraços e Bons Lances.

16 comentários:

  1. Boas Pedro, ganda relato amigo!!!!
    Cá pra mim que o Juan não veio a Portugal para pescar, ele veio foi ao engodo do bacalhau hahahahahhaha
    Não sendo eu um adepto de competições nem de pesca com muita gente, confesso que estás de parabéns por tudo o que conseguiste nesse FDS....

    Um grande abraço e força aí....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas grande Pedro!!!
      Também fiquei com essa ideia, bacalhau era com ele ;)
      Eu percebo a vinda do Juan, um pescador catedrático, que já viu a vida por um fio, quer aproveitar todos os momentos que pode para desfrutar novas experiências na pesca, a juntar a isso identifica-se com meu tipo de pesca e historia de vida.
      Este foi sem duvida um fim de semana de loucos, em que tudo correu às mil maravilhas em todos os aspectos, memorável mesmo!!!
      Grande abraço e bons lances companheiro.

      Eliminar
  2. Grande Pedro, muito fixe o relato,
    Tu não paras-te homem, ahahahahah, parabéns pela vitória e pelo trabalho,lol
    O Juan até se passou com os petiscos Portugueses,lol
    Força ai , grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João, foi um grande fim de semana, muito trabalho, muito esforço, poucas horas de sono, mas muito gratificante, ficara para sempre na memória.
      O Juan adorou tudo, o convívio, a hospitalidade, mas acima de tudo a boa cozinha Portuguesa, onde destacou o bacalhau.
      Grande abraço e bons lances amigo.

      Eliminar
  3. A cada leitura gosto mais ... Excelente Sr. Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste Nuno, mas não me trates por senhor, pois faz-me sentir velho he he he
      Grande abraço e continua a passar por aqui pois certamente vão aparecer mais relatos fabulasticos.

      Eliminar
  4. Tens cá uma bagagem
    Organizar receber inscrever preparar a pesca ganhar o concurso
    Se fosse comia a sobremesa bebia o café e só acordava no dia seguinte.
    Grande abraço Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Sérgio,
      fiz das tripas coração, pá tu nem imaginas os dias seguintes, foi quase uma semana para por o sono em dia ;)
      Apenas ajudei no que podia, o grupo é que muito unido e quando assim é as coisas correm bem, o mérito do sucesso é de todos, inclusive dos participantes, que compareceram em massa.
      Grande abraço e boas Corvinas companheiro.

      Eliminar
  5. Grande Pedro, és uma máquina.

    Com um anfitrião assim, com certeza que o Juan já está a pensar em voltar.

    Parabéns pela vitória.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Luís,
      Maquina eu!!!Já começo a sentir a idade a pesar, estas maluquices já se pagam caras, levo quase uma semana para recuperar fisicamente ;)
      É quase garantido que o Juan vai voltar para o ano, assim a saúde o permita, eu pelo menos estou a contar com a sua presença, tu também devias aparecer no próximo ano, só pelo almoço vale a pena vir.
      Obrigado companheiro, um forte abraço e bons lances.

      Eliminar
  6. Agora sim,
    Parabéns pela excelente organização tenho a certeza que não é fácil um evento deste calibre. Agora ter a responsabilidade de receber o Juan, organizar o concurso, ir para a borga na noite anterior e ganhar o primeiro lugar... Fogo ó Pedro tu és o super homem ou quê pá??? Hehe
    Quanto a mim gradei, terminei a prova às 11 que estava meio adoentado mas adorei o convívio foi com enorme prazer que conheçi dois novos amigos que me fizeram companhia durante toda a tarde o João e o Pedro batalha.
    Venham mais eventos destes.
    Grande abraço
    Ps. vim agora dos guiões, salemas com fartura 6 ou 7, sargos nem vê-los valeu pela luta que dão. Devolvi todas. Só nos concursos é que não apanho peixe lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Eduardo,
      Obrigado grande amigo pelos elogios, aos quais estendo à restante equipa e ajudantes, pois sem eles nada disto tinha corrido assim tão bem.
      Super Homem!!!!Tu nem imaginas o que custou na semana pós concurso, a idade já não é a mesma e o corpo demora mais tempo para restabelecer a normalidade ;) Não tenho emenda e embarco nestas maluquices!!!
      No final, os resultados não são o mais importante, mas sim sair satisfeito e com novos amigos e conhecimentos, ai está a essência, com treinos as grades vão desaparecer certamente.
      Normalmente é assim, nos treinos corre melhor que nas provas, talvez tenha uma explicação, estás a pescar praticamente só, menos pontos de engodo por perto, ajuda a ter melhores resultados, por coincidência ou não eu é ao contrário, tenho melhores resultados nas provas, a explicação está na motivação extra que as provas me dão.
      Grande abraço e bons treinos.

      Eliminar
  7. Boas Pedro,
    Pode-se dizer que correu tudo às mil e uma maravilhas... :)
    Parabéns pelo relato e pelo convívio!

    Forte Abraço e aperta com eles na Marinha Grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais Manuel, correu mesmo tudo às mil maravilhas.
      Obrigado pela força, mas como já viste o relato dessa prova, a coisa não correu bem, mas não faz mal, a malta divertiu-se na mesma.
      Grande abraço e bons lances.

      Eliminar
  8. Grande amigo, estava curioso em acompanhar o desenrolar desta prova pela parte do meu amigo e dessa excelente vitória, trabalhosa como sempre, e desta vez também com uma direta, de manhã lá estivemos na mesa de trabalhos mas o meu amigo aparentava estar fresquinho. O Juan estava bem alegre e conviveu com diversos participantes, é um homem de bom relacionamento, torna-se evidente que passou um grande fim de semana, ficou contente, ainda bem, um abraço para ele. Este fim de semana estivemos a representar o Clube em locais diferentes, eu fui para Cascais, onde inicialmente as coisas não estavam correr muito bem, tinha a responsabilidade de colocar colega e amigo Nuno Pereira num pesqueiro onde ambos apanhássemos uma boa teca de tainhas, para fazermos alguma figura, mas a coisa estava preta, mar de ver o fundo, não era mau de todo, tainhas estavam mas muito longe, vento a fazer grande balão no fio, engodo a correr fortemente para a esquerda e... dois pescadores da terra a pescar ao fundo no local, embora colaborassem na medida que lhes foi possível. Não gostei de todas estas variáveis e convenci o Nuno a irmos dar uma volta até aos Príncipes onde estavam os campeões, observado o pesqueiro verificou-se que estavam piores do que nós, peixe.... nada, observámos mais 3 pesqueiros e peixe... nada, fui obrigado a concluir que o sítio onde estávamos era o melhor e tivemos que dar o braço a torcer e ir para lá outra vez, sendo assim o objetivo deixou de ser 70 peixes e passou a ser de 12. Á terceira hora grade ainda, até que se capturaram 3 tainha e mais tarde mais 10 seguidas, a última hora foi fraca, sempre com garrentos á distância mas nem um pegou. Pesca que permitiu uma posição razoável, 10, havendo muita gente bem mais experimentada que demoraram muito tempo a serem chamados para receber o seu troféu. A pesca estava difícil e o Nuno não acertou com as últimas capturas. Por agora é tudo, até uma próxima e um abraço para o meu amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite grande camarada Artur, temos andado desencontrados, só agora respondi aos comentários.
      Eu até estava fresco, mas no final do dia da prova estava de rastos, para restabelecer a normalidade foram precisos vários dias ;P
      O Juan adorou tudo, a hospitalidade, o convívio e as amizadfes criadas, pena não ter apanhado um peixe sequer na sua estadia, mas o mar não ajudou, bem como a sua teimosia em não mudar as suas técnicas para tentar obter alguma captura, para o ano é quase certo que voltará, pelo menos é o que eu espero, ver se o meu amigo pode acompanhar mais connosco nestes dias, vai gostar da boa companhia do Juan.
      Quanto ao relato da pesca da Charneca, já falamos disso, mas queria deixar um pequeno comentário, 10º lugar é um bom resultado, ainda para mais em cascais, onde costuma participar grandes especialistas na matéria das tainhas, o dia foi fraco, possivelmente se fosse um bom dia a posição seria pior, apesar de ter mais capturas o que talvez fosse mais prazeroso.
      Grande abraço e cá vamos andando nas nossas brincadeiras.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...