Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quinta-feira, 16 de julho de 2015

O melhor estava guardado para o fim

No passado domingo, realizou-se no litoral Sintrense, o convívio de pesca da G.A.P de Magoito(Grupo Amigos Pesca de Magoito), a afluência não foi muita, cerca de 90 pescadores, provavelmente por estarmos em altura de férias.
A equipa da Bordinheira fez questão de estar presente, pois esta malta merece, uma vez que vão a todos, eu que não era para estar presente, a vida familiar alterou-se e deu para embarcar em mais uma aventura competitiva.
Cedo o meu pai passou para me apanhar, já tinha saudades de pescar com ele, temos andado desencontrados nas pescarias, mas a vida nem sempre permite que o façamos.
Depois de uma café na sede do GAP, onde podemos apreciar o bonito museu de troféus e recordações ,dos já muitos anos de pesca, chegava a hora do sorteio.
O pesqueiro escolhido, para não variar foi a praia da Aguda, tive também a companhia do presidente Filipe Ferreira e do João Rodrigues, apressamos-nos a descer, e rumamos a norte, num pesqueiro que penso chamar-se «Perigoso», mas não tenho certeza, cada um apostou em sítios diferentes, mas ficamos relativamente perto uns dos outros.
O mar estava bom, agua com boa cor, mexida quanto baste, apenas algum vento dificultava a pesca, depois de preparar um balde de engodo, monto 2 canas, uma para pescas mais ligeiras, com bóia de 3grs e fio 0,16mm e outra para pesca mais grossa com fio 0,20mm e bóia de 5grs.
Depois de engodar bem o pesqueiro, preparo uns filetes de sardinha para isco, pego na cana com pesca mais grossa, iscadas mais generosas, para tentar apanhar algum robalo ou bailas, o pesqueiro estava convidativo para isso, com uma boa coroa de areia próxima das pedras.
Na 1ª hora não senti nada, finalmente safava a grade com uma baila, pouco depois tiro outra, ainda consegui apanhar uma boa tainha neste pesqueiro, mas com a subida da maré fiquei sem condições e comecei a tentar procurar o peixe noutros caneiros.
A coisa não estava fácil, não conseguia encontrar um pesqueiro do meu agrado, as correntes laterais de norte não permitem que a bóia se mantenha nos locais que queremos e a pesca torna-se praticamente impossível.
Sem sentir um único sargo até ali, vime obrigado a tentar apanhar umas tainhas, mudo para a pesca mais fina e fui fazer companhia ao João, que lá ia tirando uma ou outra tainha pequena de vez em quando.

Depressa me fartei, após 2 ou 3 toques sem as conseguir ferrar, perdi a paciência e fui procurar novo poiso.
Fui ter com o Filipe, que na altura estava a tirar uns sargotes, fiz-lhe companhia e nos primeiros lances deu para ver que estavam por ali, tirei 4 praticamente seguidos, mas depois fraquejou, com o subir da agua, a corrente lateral tornou-se mais forte, levando o engodo e peixe para bem longe e ficou complicado pescar, a acrescentar a estas dificuldades, os banhos de mar eram uma constante.
Novamente sem condições lá fui procurar o tal sitio, fui andando para norte, mas não se vislumbrava nada em condições, mas ainda arrisquei num caneiro.
Sem ver resultados práticos, volto para trás, já desmoralizado fico a pescar ao lado do meu pai e do João, foi neste preciso momento que começa a sair uns sargotes, já com a maré praticamente no máximo e a faltar menos de uma hora para o final da jornada.

O Filipe apercebeu-se que estávamos a tirar peixe e juntou-se à malta, chegamos a estar todos com peixe ferrado ao mesmo tempo, uma loucura, o peixe tinha entrado em força, mas chegava a hora de dar por terminada a jornada, com uns peixinhos na lata, no total 12 sargos, 2 bailas e 3 tainhas.
Depois da foto da praxe ao pescado, arrumamos as tralhas, uns mais despachados que outros fomos abandonando o pesqueiro faseadamente, faltava o pior, uma longa caminhada pela praia e uma subida penosa, apesar do calor não ter apertado muito, custa sempre.
Agora vem a parte boa e engraçada da história, ia caminhando pelo estreito areal, quando já perto da subida, reparo à minha direita numa obra de arte na areia, um desenho em forma de caracol feito com pedras, abrando e aprecio, quando volto a caminhar, reparo que do meu lado direito, a uns escassos 2mts, estava outra obra de arte, uma rapariga a fazer nudismo, deitada de costas para cima, de perna aberta, permitindo uma perspectiva e visão divinal da sua beleza quase interior, por sinal muito bem cuidada.
Que monumento, por segundos fiquei sem reacção, de olhos bem arregalados, podia ter tirado uma foto de pormenor, uma vez que trazia a maquina fotográfica na mão, mas seria de mau tom, além de uma tremenda falta de respeito.
Eu sei que também gostariam de apreciar a obra de arte, mas não será possível, tirei depois uma foto já do estacionamento, onde se vê a dita rapariga já de pé.
Bom, a pesca até nem tinha corrido mal, mas agora estava excelente, mesmo que não tivesse apanhado nada já tinha valido a pena,  isto foi o tónico mais que suficiente para subir a longa arriba com animo.



Quando cheguei ao parque, onde estavam as viaturas, os pescadores que lá estavam,  também tinham visto, não falavam de outra coisa, ainda demos umas valentes risadas e comentários, houve um azarado, que quase pisou a rapariga e não viu que ela lá estava, pois passou e apenas apreciou o caracol feito em pedras.



Com a moral em altas fomos entregar o peixe para a pesagem, depois de um reconfortante banho, chegava a hora dos comes e bebes, com boa comida e muita bebida à descrição, como manda as leis.
Já bem tratados, chegava a hora da entrega de prémios, em primeiro lugar e pode-se dizer que foi por um pentelho, uma vez que o tema anda neste formato, ficou o Filipe Ferreira, com uma boa sargalhada, totalizou 15760pts, para ele os meus parabéns, uma vitória arrancada a ferros na meia hora final, onde foi implacável.

Em 2º lugar ficou o João Rodrigues com 15570pts, a fechar o pódio fiquei eu com 13240pts. 
Um pódio totalmente preenchido pela Bordinheira, nunca tinha acontecido, por clubes e equipas a Bordinheira dominou e saiu vitoriosa. 
Para finalizar, queria dar os parabéns à organização, tudo muito bom, comida, bebida, excelente acolhimento.  
Deixo apenas uma dica construtiva, pensem em realizar o concurso entre finais de Fevereiro e meados de Junho provavelmente seria mais concorrido. 
Grande abraço e bons lances para todos.

12 comentários:

  1. Grande Pedro :-) Parabéns pelo prémio amigo e ainda levaste outro de consolação. .hahaha..:-)

    Grande abraço e tudo de bom

    Luís Malabar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora viva Luís!!!
      Desde já agradeço os parabéns, foi sem duvida um dia bom de pesca he he he
      Grande abraço e boas fainas companheiro.

      Eliminar
  2. Boas Pedro,
    Epá, larga a pesca e dedica-te mas é ao marisco! LOOOOL
    Parabéns à equipa do Bordinheira pelo pleno ; )

    Haja saúde e força ai no mexilhão! ; ))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas grande Marafado,
      não posso dedicar-me ao marisco, a minha esposa não aprecia mexilhão he he he
      assim vou continuar-me focado apenas na pesca de cana.
      Obrigado, aquele abraço marafado.

      Eliminar
  3. É lá, não é todos os dias que as sereias dão à costa, ainda por cima com mexilhão sem cabelo,hehehe. Adorei o relato 5*, e fiquei cheio de pica para ir às sereias, quero dizer à pesca. Grande Abraço para o Amigo Pedro, e para todos os que vêm a este blog beber desta escrita soberba.
    J.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora viva grande companheiro Jaime Almeida,
      não é mesmo todos os dias que temos uma oportunidade destas he he he...
      Obrigado pela visita e comentário bastante positivo, é muito bom saber que os leitores gostam dos relatos, dá mais motivação para continuar a escrever, pois motivação para pescar nunca falta :)
      Abraço e bons lances e cuidado com as sereias, os monofilamentos para pescar à bóia não aguentam com peixes deste calibre.

      Eliminar
  4. Amigo Pedro, o João Rodrigues no Paiol e Aguda dá sempre cartas, a pesca foi muito boa ,nunca pesquei ai ,tenho que fazer uma incursão na Aguda, o apito dourado tem que inspecionar esses concursos de pesca o Presidente a ganhar,isso foi combinado.lol.Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora viva pequeno GRANDE companheiro Hélder,
      é verdade que a pescaria correu de feição para a malta da Bordinheira que esteve na Aguda, o João Rodrigues domina aquela zona e o Paiol ainda mais, não é por acaso que já é apelidado pelo João do Paiol he he he
      Um dia destes fazemos uma incursão à Aguda, mas aviso já que não é nada fácil lá pescar, muita banhada e pescas sempre acorrer para sul, mas o peixe costuma andar por lá é o que interessa.
      O presidente ganhou com muito mérito e à pele, foi mesmo na parte final, o João tinha mais peixe, mas os sargos pontuaram mais e o Filipe só tinha sargos, eu também podia ter feito melhor mas mais uma vez não me adaptei ao pesqueiro como deve ser, da próxima correrá melhor.
      Grande abraço e bons lances companheiro.

      Eliminar
  5. Boas Pedro,
    Parabéns pela prémio!!!
    O mexilhão por ai tb está com a toxina ou quê?!?! LOL
    Agarra-te a ele... LOL

    Forte Abraço e aperta com eles

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado grande Manuel,
      este mexilhão não parecia ter toxinas, a qualidade da agua não má por isso não deverá causar problemas ao marisco.
      Estou bem servido de marisco em casa, este fica só para ver he he he..
      Grande abraço e bons lances.

      Eliminar
  6. Fala Pedrão!

    Coisa linda o troféu, mesmo sendo o terceiro lugar. Sem falar da super companhia do seu pai, isto é ótimo! E me lembra que preciso marcar uma pescaria com o meu, os momentos juntos sempre são bons.

    Quanto ao marisco, bom relato! Mas é melhor deixar apenas na memória, pois a foto com certeza a excelentíssima não irá gostar. Sei bem como é isso.

    Grande abraço do Brasil e boas pescas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas companheiro, tudo bem consigo?
      O troféu está fantástico, a companhia do meu pai é fundamental, não podia ter melhor companheiro de jornada, não percas oportunidade para pescar com o teu pai enquanto ele puder aproveita.
      Respeito o marisco, não o apanho nem tiro fotos comprometedoras do mesmo, fica apenas na memória he he he
      Aquele abraço de Portugal e bons lances companheiro.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...