Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O que vão fazer???

Vou divulgar um pequeno artigo de opinião sobre sardinha, que fiz em Novembro a pedido da Revista Mundo da Pesca.
Este foi digitalizado por um companheiro de pesca e partilhada no facebook, a quem agradeço a partilha.
Aproveito para tentar saber também a vossa opinião acerca deste assunto.

As perguntas foram estas:
Não dispensas as sardinhas para iscar e engodar na competição, por vezes em quantidades apreciáveis. Como vai ser agora com o aumento do preço da mesma?
Quais são as opções que tomarás para contrariar esta situação?
Logicamente que não dispenso a rainha de todas as iscas, a sardinha para iscar e engodar, na maior parte das minhas jornadas é só isto que levo, mas sou bastante moderado no gasto de engodo que a vida está cara,  não sou apologista da ideia «quanto mais engodo gasto, mais peixe entra no pesqueiro», não existe uma relação proporcional, o importante é saber onde o gastar, como o gastar nas horas e nos pontos chave, para tal à que saber ler o mar, de modo a que o dito engodo, não disperse para longe, sem realizar o efeito desejado, isso sim é fundamental, não gasto por gastar, com apenas 3/4kg de sardinha realizo a maior parte das minhas jornadas de pesca, contrariamente a muitos dos meus colegas, que gastam bastante mais que eu e na maior parte das vezes sem melhores resultados. Sou bastante ecológico, nunca mando para o mar os restos de sardinhas que sobram das jornadas, volta tudo para casa, muitas vezes trago do mar restos de sardinhas que outros pescadores lá deixaram, voltam para o congelador para próxima jornada, sou um pescador ecológico e bastante preocupado com a sustentabilidade.

Já à alguns anos que penso nesta situação da falta de sardinha para engodo e isca, é sem duvida uma boa questão, existem no mercado alguns engodos em pó ou líquidos, talvez seja uma solução, misturado com cavalas ou carapau que por enquanto tem preços mais em conta,
Gastar menos engodo, do que o gasto é quase impossível, como não me vejo a pescar à bóia sem engodo, pelo menos na minha zona, provavelmente terei de abdicar da modalidade de pesca à bóia e dedicar-me ao spinning ou Surfcasting, deixar de pescar é que não!!!!!

A resposta foi simples e sincera, quem me conhece sabe como sou poupadinho e ecológico he he he...
E vocês que também usam e abusam da sardinha, quer para isco e engodo, o que vão fazer???

8 comentários:

  1. Boas Pedro,
    Já tinha lido o teu artigo e está muito bom, parabéns!
    Eu por norma é rara a vez que pesco com engodo e por ano devo fazer umas 6 pescas que uso sardinha, não há tempo para tudo... lol

    Forte Abraço e Bom Ano

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Manuel,
      obrigado companheiro, não é um artigo de destaque, é apenas uma opinião, mas que me agradou muito fazer, já que é um tema que na pesca que faço é fundamental.
      Mesmo assim companheiro, ainda consegues ter tempo para muitas outras iscas ;)
      Eu tenho muito menos tempo, dai a utilizar só sardinha, rápido, eficaz, e era barato:(
      Bom, enquanto puder vou continuar a usar sardinha, depois logo se verá.
      Grande abraço e um bom 2016 companheiro.

      Eliminar
  2. Buen artículo Pedro, como engodo no las he usado pero en los meses de primavera verano, la sardina no falta en mi nevera, para mi es lo mejor para grandes depredadores. Un abrazo colega

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Salah,
      é sem duvida uma das melhores iscas, universais, funcionam bem em quase toda a parte do mundo, tanto para peixe graúdo como mais pequeno, é a rainha das iscas.
      Um grande abraço e bons lances companheiro.

      Eliminar
  3. Olá Pedro,
    Excelente postagem! Bom conteúdo pedagógico e educativo no bom sentido, claro está! Nesta altura do campeonato, as nossas pescas são efetuadas a engodar ( 1 ou 2 baldes ) e a iscar com sardinha dado que é a técnica mais certeira para apanhar uns peixes com mares de 3 e 4 metros nos pesqueiros da altura do cabo de São Vicente! Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Marafado Nuno,
      um artigo muito didáctico, acima de tudo a minha maneira de ver as coisas, dos muitos anos de experiência acerca de pescar com engodo e isca de sardinha.
      Para mim é e será sempre a rainha das iscas, super pratica, eficaz, pena estar a ficar tão cara, mas vamos ver a evolução dos preços.
      Abraços e bons lances companheiro.

      Eliminar
  4. Pedro!
    Que belo artigo, parabéns!
    Não costumo utilizar de engodo nas pescarias, mas confesso que a Sardinha é a isca preferida. Aqui também usamos bastante o Bonito para capturar os Marimbau ou Sargos como vocês conhecem, mas não sei como é o preço desta isca em sua região.
    Feliz ano e que venha com boas pescarias e belos exemplares.
    Grande Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Tiago,
      Tens de experimentar, engodar com sardinha e iscares com pequenos beliscos de sardinha.
      O peixe cai no anzol muito mais facilmente, anda entretido a comer os pequenos pedaços que lançamos, até comer também o que colocamos como isco.
      Na ilha dos Açores, os pescadores também iscavam com bonito, e engodavam com restos de atum, que vinham das fabricas de conservas.
      O Bonito é mais caro que a sardinha, 5 ou 6 euros e nem sempre se encontra à venda nas peixarias.
      Grande abraço, um bom ano 2016 carregado de boas jornadas piscatórias.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...