Este espaço destina-se à divulgação da pesca, em especial da pesca à bóia e da pesca de competição, onde relato as minhas pescarias e aventuras na região Oeste e não só.

Segue-me no Facebook

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Bruxaria na Pesca

No passado dia 11 de Outubro, realizou-se a 6ª prova do campeonato de pesca da Bordinheira, as condições de pesca previstas não eram as melhores, tempo de chuva, algum vento, mar bem mexido com período de vaga elevado, iriam dificultar a jornada, para mim estava óptimo, por norma dou-me bem a pescar em condições adversas.
A maré inicialmente estaria na baixa-mar(maré vazia) e acabaríamos a prova praticamente na praia-mar(maré cheia), com todas estas condicionantes bem estudadas, a escolha de pesqueiro não poderia fugir da zona da Ericeira.
Depois de tomar um café na habitual concentração na sede da Bordinheira, saímos para o mar todos ao mesmo tempo, em fila indiana, cada um seguindo as suas intuições foram virando para os spots eleitos, alguns viraram para Santa Cruz, outros para a Foz do Sizandro, outros ficaram pela Assenta, eu e o meu pai continuamos.
Na estrada, mesmo à nossa frente, seguia o carro do David Forcada, continuamos bem coladinhos, na expectativa para ver onde ia pescar.
Como já calculava virou para o seu pesqueiro habitual, mas desta vez não quis fazer-lhe companhia e deixei-o à vontade.
Ainda espreitei o mar no alto do miradouro de Ribeira D'ilhas, olhei para os lados do Cavalinho, mas não me agradaram as condições e segui o meu pensamento.
Chegamos à praia do Matadouro, nisto chega companhia, o "Bruxo" do César Ribeiro e o Paulo Xabita, que seguiram os meus conselhos, aqui sim, as condições pareciam estar reunidas para uma boa faina.
Carrego as tralhas e desço à praia, com 2 spots em mente, o "Buraco da Inês" e o "Cano de Inox", inclinei-me para a primeira opção.
Pouso as tralhas na areia, ia espreitar se o dito buraco na ponta da laje deixava pescar em condições.
Mas já nem cheguei a ir lá, bem cá fora, praticamente junto da areia vi as tainhas, com 2 palmos de agua, ali estavam elas e grandes!!!
Nem pensei 2 vezes, é já aqui, a adrenalina que já é habitual na competição, triplicou após ver o peixe, em passo acelerado volto para junto do material, estico uma das canas que levava montadas, a mais indicada para este tipo de pesca, com fio mais fino, um 0,165mm e bóia de 4grs, apenas mudei o anzol para um mais pequeno, ajusto a altura da montagem, apenas 2 palmos de altura, preparo uns filetes de sardinha para isco bem como o engodo.
Já estava na hora, como o peixe estava por ali, não quis engodar logo para não afugenta-las, vou agachado para cima da laje de maneira que o peixe não me veja, isco com um pequeno belisco e lanço, em poucos segundos a bóia dá sinal, faço a ferragem e ali estava ela a dar luta, tento fazer com que não estrebuche muito na agua, de modo a não espantar as outras e vou encalhar o peixe na praia, uma grande tainha para abrir o dia não estava mal.
Novo belisco no anzol e mais um lance, um leve jeitinho na bóia denunciou nova investida, faço a ferragem e já estava, mais uma boa tainha a lutar na ponta da linha, o mesmo trabalhar do peixe e saco com ela.
Um cheirinho de engodo para elas não abalarem, nesta altura já tinha muita companhia no pesqueiro, éramos 4 pescadores e mais uma carrada de aprendizes a surfistas na agua, as escolas de surf por aqui tornaram-se uma grande praga.
Não sou contra as ditas escolas de surf, apenas acho que deviam respeitar o espaço de quem já lá estava a pescar. Se que estamos a pescar em aguas pouco profundas e claras, onde o peixe consegue ver tudo, entra um grupo de marmajos, com pranchas e fatos coloridos a fazer uma barulheira infernal, adeus peixe, enfim, temos de aguentar e calar, mas não devia ser assim, se pago uma licença para pescar, pergunto se os surfistas pagam alguma licença para usufruírem do mar, o mar é tão grande, vão para zonas onde não esteja ninguém a pescar por perto.
Insisti no engodo, espaçadamente tirei mais 2 pequenas, mas definitivamente tinham ido embora.
Os meus colegas abandonaram-me, já com o mar a varrer um bocado, balde do engodo no braço passo então para a ponta da laje, na expectativa de dar com uns sargos.
Tiro um sargo logo no primeiro lançamento, mais um ou 2 que foram devolvidos, ferro um peixe que não sei como acabou por partir, levando a bóia e tudo.
Venho cá atrás, estico outra cana com fio 0,205mm e bóia de 7grs, arriscando um bocado volto lá para a ponta, a levar bastante porrada do mar ainda tiro mais um sargo e 2 tainhas, mas já não dava mais, tive mesmo de abandonar o pesqueiro. 
Passo para a 2ª opção, vou para o "Cano de Inox", os sargos estavam lá em força, o César e o Paulo já tinham uns quantos no saco.
Já fui tarde demais para ir para cima da pedra, onde apenas lá estava o maluco do César a levar porrada do mar, sempre de cana vergada a pô-los no saco, saiu de lá a nado he he he.
Fui tentando cá de fora e ainda consegui sacar alguns peixes, maioritariamente eram tainhas, o mar continuou a encher e já estávamos todos a pescar cá fora a pescar lado a lado, mas o bruxo do César continuou a malhar nos sargos muito mais que nós, estava de mão bem quente, como se isso já não bastasse para nos desorientar, ainda ia rogando umas pragas e lançando alguns feitiços, para os poucos sargos que conseguíamos trancar se soltassem ou partissem.
Posso garantirvos que parecia mesmo bruxaria, era vê-los a ir embora uns atrás dos outros, fartava-se de rir na nossa cara, já estávamos a ficar fulos, não sei se estão a ver, ou se já tiveram daqueles dias de pesca em que tudo parece estar contra nós, era mesmo um desses dias, nada havia a fazer.
Apesar das pragas ainda consegui tirar alguns peixes, mas sempre mais pequenos do que os do César, lá compus o ramalhete até ao final da prova.
Era hora de entregar o peixe e esperar pelos resultados dos companheiros de pesca.
Após a pesagem, banho tomado, almoçados, faltava a sobremesa, bolo de aniversário do Filipe Ferreira, depois de cantarmos os parabéns ao nosso presidente, vinha a hora do veredicto final.

Esta jornada foi ganha inevitavelmente pelo "Sr. Bruxo" César, com 24 exemplares totalizou 26220pts.
Eu apesar de tudo ainda consegui o 2º lugar com 23760pts, a fechar o pódio ficou o David Forcada com 14540pts.
Resumindo o resultado da jornada, não foi mau de todo para mim, consegui ascender ao 2º lugar da geral, relegando o Miguel Serra para o 3º lugar e recuperei um ponto ao líder.
Agora é esperar por nova jornada para ver se consigo melhorar a situação.

4 comentários:

  1. Boas Pedro!
    Mais um relatão de uma prova...
    Acho que de inicio fizeste a escolha certa, eu também preferia o buraco da Inês ao cano de inox hahhahahahaha

    Bruxedo!!!!!! Nem me fales nisso, este mês tem sido uns atrás dos outros, até um gajo perde a vontade de ir à pesca.... Mas a sorte um dia vai mudar que eu sei e o feitiço vai-se virar contra o feiticeiro.....
    Vocês têm sempre aí umas coisas boas para adoçar a boca ;)

    Abraço e força aí.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas mestre Lobo,
      sabes como é, apostar no buraco da Inês é sempre uma aposta ganha he he he
      O bruxedo é tramado, à dias em que tudo acontece, ficamos mesmo com ideia que eles andem ai, mas é mais psicológico que outra coisa, nós é que temos mente fraca e estamos habituados a que as coisas nos corram de feição, mas isso nem sempre acontece, é esperar por dias mais felizes e tentar corrigir alguns pequenos pormenores que a sorte muda.
      Sabes como é, boa comidinha faz parte dos convívios, qualquer dia não cabo no fato ;)
      Grande abraço e bons lances.

      Eliminar
  2. Boas Pedro hehehe

    cada vez estou a gostar mais deste campeonato kkk

    más pescas pra todos ...o meu é outro ....SAÚDE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas mestre Nuno,
      eu também, apesar de não estar a correr lá muito bem, andar a correr atrás do prejuízo dá muita pica, vamos ver como termina ;)
      Grande abraço e más pescas para ti também.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...